Guia da Semana

Relembre temas polêmicos de Glória Perez

Novelas da autora sempre tratam de temas de cunho social. Veja o que já passou pelas tramas da Rede Globo

Conhecida por escrever novelas que misturam a cultura brasileira com a de países exóticos do resto do mundo, Glória Perez começa mais uma jornada nesta segunda, 22 de outubro, com Salve Jorge. Desta vez, a trama se passa na Turquia e conta com Rodrigo Lombardi e Nanda Costa nos papéis principais.

>> Confira o que acontece nas novelas da semana
>> Saiba mais sobre Salve Jorge, nova novela da Globo 

Na nova produção, Glória Perez aposta em questões como a pacificação do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, e o tráfico ilegal de pessoas para o exterior. Com 17 trabalhos de sua autoria desde1983, a autora sempre trata de assuntos polêmicos de cunho social. Relembre alguns:

>> Novelas

Uma das novelas com mais capítulos da Globo, 243 no total, a produção tratava de gestações em barrigas de aluguel. Após um casal descobrir que a mulher não poderia ter filhos, eles contratam Clara para gerar o bebê em troca de 20 mil dólares. Desenvolvendo um senso de maternidade, após um parto difícil que a deixa estéril, a moça decide não entregar o bebê, gerando uma briga na justiça sobre quem tem o direito sobre o recém nascido.

Explode Coração tratou de questões como quebra de tradições familiares. Dara era uma jovem cigana que, apesar de se orgulhar de suas origens, se recusava a ficar presa às tradições e queria estudar, se formar, escolher o próprio marido e pertencer a uma sociedade não cigana. Através de uma conversa pelo computador, Dara conhece Júlio Falcão, por quem se apaixona. A protagonista precisou lutar contra seu noivo prometido, a mulher de Júlio e as tradições do povo cigano para viver seu amor verdadeiro.

Uma das produções mais memoráveis da Rede Globo, O Clone, que se passava no Brasil e em Marrocos, tratou de assuntos polêmicos como a clonagem de pessoas, com os personagens Diogo e Lucas, o consumo abusivo de drogas com Mel, personagem de Débora Falabella, e a quebra das tradições religiosas pelas gerações mais novas com o núcleo muçulmano. Tanto questões como o direito de não usar o véu das muçulmanas que vivem em países ocidentais, como o casamento entre ocidentais e orientais foram tratadas na trama.

Com Deborah Secco no papel principal, a novela conta a história de Sol, uma jovem do subúrbio carioca que resolve se mudar para os Estados Unidos onde acreditava que teria maiores oportunidades de crescimento pessoal. Depois de ter o visto de turista negado mais de uma vez, ela resolve fazer a travessia de forma clandestina, através do México, com a ajuda dos coyotes. Para completar o enredo, Sol é enganada e, acreditando levar um presente para a mãe de um dos coyotes, acaba sendo presa por porte de drogas.

Situada na Índia, Caminho das Índias contou sobre a rivalidade entre dois grupos indianos opostos: os brâmanes e os dalit. Através da história de Maya, pertencente a família tradicional da casta dos comerciantes, e Bahuan, que faz parte das pessoas consideradas impuras, a novela mostra o sistema de divisão de castas que, apesar de proibido pelas leis indianas, permanece ativo pelos costumes religiosos da população.

>> Minisséries

A minissérie baseada no romance homônimo de Roberto Drummond trouxe às telas da TV o confronto a sociedade defensora da moral e dos bons costumes e as prostitutas que trabalhavam no Maravilhoso Hotel. A história se desenrola através de Hilda Müller, uma rica mulher que estava pronta para casar, mas, após uma revelação de sua cartomante, resolve se juntar ao prostíbulo. Enquanto isso, frei Malthus sente que poderia realizar um milagre e tenta, a todo custo, exorcizar o demônio de Hilda Furacão.

A minissérie retrata a época em que o Acre vivia uma situação de conflito, por ser um território boliviano que estava sendo povoado por brasileiros que migravam do Nordeste atraídos pela exploração da borracha, que estava em seu auge por conta da Revolução Industrial. Quando a Bolívia decidiu retomar seu território, o povo acreano se revoltou e os seringueiros resistiram à ocupação boliviana, liderados por Luiz Galvez. Amazônia também mostrou a diferença de qualidade de vida dos principais grupos econômicos da época: os seringueiros e os seringalistas.

Atualizado em 25 Out 2012.

Por Rafaella Finci
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Quarta temporada de ‘Adotada’ estreia nesta terça-feira (11), na MTV

Maria Eugênia vai rodar por todo o Brasil em 13 novos episódios inéditos

Marcos é expulso do BBB 17

A delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá esteve nos Estúdios Globo nesta segunda-feira (10)

Talk show de Tatá Werneck estreia hoje no Multishow

"Lady Night" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 22h30

Sílvio Santos passa o comando do SBT para as filhas Daniela e Renata

Patrícia Abravanel ficou de fora das ações da emissora

Transmissão ao vivo do show da Marília Mendonça no Rio de Janeiro na TV e Internet

Cantora apresenta turnê do DVD ' Realidade - Ao Vivo' a partir das 23h

José Mayer assume que errou em carta aberta

Acusado de assédio sexual por figurinista da Globo, ator admite que "passou dos limites"