Guia da Semana

Saiba tudo sobre 'Sexo e as Negas', a nova série da TV Globo

Escrita por Miguel Falabella, a nova atração global aborda temas femininos do cotidiano

Na próxima quarta-feira, dia 16 de setembro, a polêmica – a gente já te conta o porquê – série humorística Sexo e as Negas estreia na Rede Globo. Escrita por Miguel Falabella, a nova atração global, que vai ocupar a lacuna de 'Tapas & Beijos', vai abordar assuntos que toda mulher se preocupa: cabelos, corpo, homens, entre outros temas.

A atração é estrelada por Karin Hils, Corina Sabbas, Lilian Valeska e Maria Bia. Já as atrizes Claudia Jimenez e Alessandra Maestrini interpretam personagens chaves na trama, que são tão importantes quanto o quarteto. Maria Gladys, Bia Nunnes, Marcos Breda e Land Vieira também participam da série.

Segundo Falabella, que no último dia 8 de setembro participou de uma coletiva de imprensa no Projac, a sua nova produção se assemelha bastante com a série norte-americana 'Sex and the City'. "Eu sou fã de 'Sex and the City', e Sexo e as Negas tem a mesma cara. Nós temos os depoimentos ao longo dos episódios e temos a narradora. Inclusive a narradora é a Claudia (Jimenez) e, assim como a personagem da Carrie em 'Sex and the City', ela tem o Big, que na nossa série é interpretado pelo Rafael Machado", declarou o autor.

Porém, mesmo com toda a semelhança, a série de Falabella é bastante diferente. Na versão de Miguel, quem conduz a trama é Jesuína (Claudia Jimenez), uma moradora da Cidade Alta em Cordovil, dona de uma rádio comunitária e de um bar, que é o point de toda a galera.

Já Corina Sabbas vive a operária Tilde, enquanto Karin Hils dá vida à camareira Zulma. Lilian Valeska interpreta a costureira Lia e Maria Bia a cozinheira Soraia. As quatro personagens sempre se encontram no bar de Jesuína, onde dividem suas crises, romances e sonhos – prática essa que as quatro amigas de 'Sex and the City' também têm.

Polêmica

Segundo rumores, a Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial teria recebido três denúncias de racismo por conta do nome do programa. Miguel Falabella, no entanto, usou o Facebook para falar sobre a polêmica.

"Sexo e as Negas não tem nada de preconceito. Fala da luta de quatro mulheres que sonham, que buscam um amor ideal. Elas podiam ser médicas e morar em Ipanema, mas não é esse meu universo na essência, como autor. Não sou Ipanemense. Sou suburbano, cresci com a malandragem nos ouvidos. Portanto, as minhas personagens são camareiras, cozinheiras, indicadoras de mesas, operárias. E desde quando isso diminui alguém? São negras, são pobres, mas cheias de fantasia e de amor. São lúdicas! E sobrevivem graças ao humor. Seres humanos. Reais. Com direito a uma vida digna e muito... Mas MUITO sexo! Vai dizer agora que eu sou racista? Ah! Nega...Dá um tempo... Dito isso, faço como Truman Capote: never complain e never explain! (Nunca reclame e nunca explique)”, escreveu o autor. 

 

Atualizado em 16 Set 2014.

Por Anna Thereza de Almeida
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro

Globo planeja exibir versões censuradas de suas séries na internet

Diretor de mídias digitais da emissora já avalia a ideia

Band vai exibir episódio de "Os Simpsons" que previu vitória de Donald Trump

Programa vai ao ar nesta quarta-feira, às 22h10