Guia da Semana

Top 7 das mortes na TV

Tiros, sangue, suicídios e muito mais marcaram as cenas de morte mais chocantes das novelas brasileiras. Confira as mais bombásticas

oto: TV Globo / Divulgação

Léo na cena em que atropela a prima Irene, em Insensato Coração

Mesmo quem não acompanha de perto as tramas noturnas na TV ouve falar que "fulano morreu" e "sicrano foi assassinado". E querendo, ou não, lê nas capas de revista das bancas e sites de notícias como será o fim de determinado personagem ou sobre a vingança que promete chocar o país. Não dá para negar, as novelas, durante os dias da semana, são como o clássico futebol de domingo na telinha. Exemplo disso, o folhetim atual das nove, Insensato Coração, na TV Globo, vem arrancando suor dos espectadores.

Isso porque o vilão Leonardo, vivido por Gabriel Braga Nunes, tem se saído um assassino de mão cheia. O cara já matou a ex-cunhada e a prima, quase executa o irmão, de quem, aliás, roubou a namorada (e se casou com ela), fez o pai perder a empresa e despertou a fúria de inocentes presos injustamente. O que irá acontecer com ele? Só os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares podem determinar.

Da mesma forma que Léo não tem a mínima pena de suas vítimas, outros grandes vilões já fizeram o público tremer ao verem as cenas de morte diante da TV. Um deles foi o misterioso Adalberto, interpretado por Cecil Thiré, na novela A Próxima Vítima. Ao todo, foram dez vítimas trágicas, em cenas épicas, que vão de atropelamento, com o clássico Opala preto do assassino, até empurrão na linha de trem, tiros e envenenamento.

Confira as sete cenas de morte que pararam o Brasil e foram sucesso de audiência na tela da TV.

O Bem Amado - Odorico Paraguaçu (1973)



Escrita por Dias Gomes, na trama, Odorico Paraguaçu é eleito prefeito da pequena Sucupira e uma de suas metas de governo é construir um cemitério na cidade. Feita a obra, o problema é encontrar um defunto para estrear seu projeto supervalorizado. Para isso, o político corrupto recorre ao matador Zeca Diabo, interpretado por Lima Duarte. Ao contrário do que ele imagina, Zeca se revolta e quem acaba estreando o empreendimento fúnebre e o próprio Odorico, morto a tiros em seu próprio gabinete. A cena da morte do prefeito é uma das mais marcantes da TV, inclusive por ser, O Bem Amado, a primeira telenovela exibida em cores. 

Pecado Capital - Carlão (1975)



Mesmo produzida rapidamente para substituir a versão censurada de Roque Santeiro, a trama fez um grande sucesso no horário das oito. Escrita por Janete Clair, foi protagonizada pelo eterno galã Francisco Cuoco, que deu vida a José Carlos Moreno, o Carlão, um taxista sedutor, muito querido dos moradores da região. Noivo de Lucinha (Betty Faria), ele tem a vida transformada depois que assaltantes de um banco, em fuga, esquecem uma mala com o dinheiro roubado no banco de trás do seu táxi. Dividido entre o receio de se passar por cúmplice ou usar o dinheiro para resolver seus problemas pessoais, Carlão se afunda na ambição. No último episódio, quando resolve deixar o valor em uma obra do metrô e fazer uma denúncia anônima às autoridades, é assassinado com tiros à queima roupa e a notícia de sua morte repercute na mídia como se ele fosse membro da quadrilha que assaltou o banco.

Vale Tudo - Odete Roitman (1988)



A trama de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères parou, literalmente, o país.
Entre emboscadas e falcatruas, a novela levantou temas e discussões sobre o país e o caráter do povo brasileiro. A protagonista Raquel Accioli (Regina Duarte) é mãe da ambiciosa Maria de Fátima (Glória Pires), que busca ser rica a qualquer custo, enquanto a mãe sobe na vida de forma honesta. No enredo, Odete Roitman (Beatriz Segal) é uma poderosa empresária, que manipula a vida dos filhos e de todos a sua volta. A vilã protagoniza uma das mortes mais marcantes da TV. Assassinada com três tiros, o mistério durou 13 dias, e a pergunta "Quem matou Odete Roitman?", tomou conta do país. No último capítulo, revelou-se que ela havia sido morta, por engano, por Leila (Cássia Kiss). No dia da exibição da morte, a novela registrou 81 pontos no Ibope, com picos de 92.

Rainha da Sucata - Laurinha Figueroa (1990)



A novela de Silvio de Abreu retratou o universo dos novos-ricos e da elite decadente brasileira. As personagens Maria do Carmo (Regina Duarte), uma emergente que alcança o sucesso com uma empresa de sucata, e Laurinha Figueroa (Glória Menezes), uma socialite falida, personificaram os dois polos e protagonizaram cenas inesquecíveis. Gravada em São Paulo, teve um final cinematográfico. A vilã Laurinha mata o marido Betinho (Paulo Gracindo) após uma crise de hiperglicemia. Em seguida, se joga do último andar de um edifício na Avenida Paulista, onde sua rival tinha negócios. A vilã ainda consegue incriminar a arquirrival, arrancando um brinco de sua orelha na hora da queda.

Anos Rebeldes - Heloísa (1992)



No ramo das minisséries, escrita por Gilberto Braga e Sérgio Marques, com a colaboração de Ricardo Linhares e Ângela Carneiro, Anos Rebeldes foi inspirada nos livros 1968, O ano que não terminou, de Zuenir Ventura, e Os carbonários, de Alfredo Sirkis. O seriado se passa no Rio de Janeiro, no período de 1964 a 1979, quando o país vivia a ditadura militar. Nesse contexto, estudantes revolucionários se envolvem em embates políticos. Heloísa (Cláudia Abreu), filha de Natália (Betty Lago) e do banqueiro Fábio (José Wilker), um dos financiadores do golpe militar, é uma jovem mimada, mas, ao longo da história, rompe com os padrões tradicionais de sua família, muda completamente o visual e desperta consciência política. Quando a repressão se torna mais dura, tenta fugir do país com alguns companheiros, mas é morta a tiros, em uma cena que ficou na memória dos telespectadores.

Senhora do Destino - Nazaré (2004)



Autoria de Aguinaldo Silva, o folhetim narrou a história da nordestina Maria do Carmo (Susana Vieira), que, abandonada pelo marido com cinco filhos pequenos, pede ajuda ao irmão e vai tentar a vida no Rio de Janeiro. Ao chegar na capital, uma mulher lhe oferece ajuda. Porém, a desconhecida é Nazaré (Renata Sorrah), que desaparece com a caçula Lindalva (Carolina Dieckmann), para dar um golpe e herdar a fortuna de um rico, do qual é amante. A vilã mantém a história de que a jovem é sua filha legítima e não poupa esforços para isso. A megera ganhou repercussão nacional com seu jeito despojado e a famosa escada, da qual ela empurra suas vítimas, virou assunto nacional. Depois de muitas mortes, o fim da vilã fechou com chave de ouro o enredo. Ao ser desmascarada na frente da suposta filha, ela se joga de uma ponte, se declarando à garota.

A Favorita - Gonçalo Fontini (2008)



Uma das vilãs mais temidas pelo público, Flora (Patrícia Pillar) deu o que falar. A novela de João Emanuel Carneiro teve cenas polêmicas e não poupou nas mortes. Desde o primeiro episódio uma, em específico, deixa um mistério: quem matou o filho do empresário Gonçalo (Mauro Mendonça)? A dúvida paira entre Flora e Donatela (Cláudia Raia). Revelada a identidade da assassina, a vilã faz da vida da rival um verdadeiro drama e pretende tomar o lugar dela na família composta pelo empresário, sua esposa Irene (Glória Menezes) e neta Lara (Mariana Ximenes), filha legítima de Flora. Entre as vítimas da megera, a morte de Gonçalo deixou sua marca. A cena foi gravada no maior estilo suspense e teve direito a sangue nas paredes, luz baixa e a interpretação inquestionável de Patrícia Pillar.

Atualizado em 12 Fev 2014.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Transmissão do Critics' Choice Awards 2016 na TV e internet

A premiação reúne os maiores talentos do cinema e da TV

Confira a programação especial de fim de ano da Rede Globo

A emissora carioca preparou muitas novidades para o mês de dezembro

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro