Guia da Semana
Arte
Por Nathália Tourais

5 escritores incríveis e polêmicos para ler

Saiba mais sobre o estilo da escrita e os motivos pelos quais determinados autores foram questionados e apontados.

Hunter Thompson (Reprodução)

Alguns escritores, além de terem feito história com seus pensamentos inovadores e escritas peculiares, produziram obras que ficaram marcadas e, ao mesmo tempo, tornou cada um deles extremamente polêmicos. Seja pelo comportamento, pela escrita, pelos assuntos abordados ou por tudo isso junto, o fato é que ficaram ainda mais conhecidos e, sim, foram reconhecidos.

Assim, apesar de duramente criticados, apontados e julgados, são escritores que, com certeza, valem a leitura. Por isso, o Guia da Semana lista 5 deles que você precisa saber mais a respeito. Confira:

SIGMUND FREUD

Sigmund Freud foi um médico neurologista, criador da psicanálise e um dos maiores pensadores que a humanidade já teve. Austríaco, desenvolveu teorias sobre sonhos, sobre a relação entre pais e filhos, sobre a sexualidade infantil e muitas outras, revolucionárias e, sem dúvidas, extremamente polêmicas. Assim, Freud documentou tudo em escritos e livros, tornando-se um escritor reconhecido, pela clareza com que escrevia sobre assuntos tão complexos e intensos e, ao mesmo tempo, um autor questionado.

Dica de livros: A Interpretação dos Sonhos, Luto e Melancolia.

CHARLES BUKOWSKI

Bukowski foi um escritor e poeta alemão que chocou - e encantou - o público com seu estilo único e peculiar. Dono de uma escrita obscena, que narra porres memoráveis, relacionamentos baratos e muitas de suas relações conflituosas e sexuais. Foi claramente influenciado por Dostoiévsky, pelo pessimismo, e Ernest Hemingway, pelas frases curtas e palavras simples, ficando conhecido como poeta sujo.

Dica de livros: Mulheres, Cartas na Rua e O Amor é um cão dos diabos.

NELSON RODRIGUES

Ainda na escola, Nelson Rodrigues ganhou um concurso de redação com um tema sobre adultério. Já adulto, bordava temas delicados para a sociedade da época e, até mesmo, para a sociedade atual. Escrevia sobre assuntos que estavam cobertos por véus que ele, tão bem, soube retirar. Nelson tocava nas feridas sem dó nem piedade e também falava sobre suas imperfeições.

Dica de livros: Meu destino é pecar, O Casamento e O homem proibído.

HUNTER S. THOMPSON

Conhecido pelo seu estilo de escrita extravagante, o jornalista Hunter Thompson criou o Jornalismo Gonzo, que une-se ao estilo literário e retira as fronteiras entre o escritor e o relato. Conhecido como lenda da contracultura, escrevia completamente entorpecido de diversos tipos de droga, sempre em primeira pessoa e fugindo das estruturas convencionais. Assim, misturava alucinação com realidade, ficção com fatos e informações imprecisas.

Dica de livros: Medo e delírio em Las Vegas e Rum: Diário de um jornalista bêbado e

DAN BROWN

Praticamente todos os livros do escritor geraram polêmica (e debates eternos), mas, principalmente, os que abordam temas religiosos. O motivo? As revelações, até então confidenciais. A repercursão é tanta que sempre que Dan lança um livro, muitos outros para debater, retrucar e questionar suas teses são lançados na sequência.

Dica de livros: Código da Vinci, Anjos e Demônios e O Símbolo Perdido.


Por Nathália Tourais

Atualizado em 18 Dez 2015.

Mais notícias

Conheça a 'Transe', plataforma digital que promove e conecta agentes das artes visuais no Brasil

Arte

Cirque du Soleil lança site especial durante a quarentena; saiba tudo!

Arte

15 museus brasileiros para visitar online

Arte

8 lives de galerias e museus para você curtir arte em casa

Arte

Curitiba recebe visita de museu egípcio itinerante; saiba mais!

Arte

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte