Guia da Semana
Arte
Por Redação Guia da Semana

Curiosidade desfeita?

Arguto observador do cotidiano em suas crônicas, Carrasco se perde ao retratar mulheres estereotipadas e caricatas.

No banheiro: mulheres discutem o "tamanho" dos parceiros
Foto: Divulgação

O que as mulheres tanto fazem quando vão ao banheiro? É a esta questão que a comédia Toalete, que está em cartaz no Teatro Gazeta após temporada carioca, pretende responder.

Escrita por Walcyr Carrasco, autor de novelas de sucesso como O Cravo e a Rosa e Chocolate com Pimenta e dirigida pela também global Cininha de Paula, a peça se propõe a radiografar os conflitos, alegrias e intimidades do universo feminino.

O elenco, que conta com nomes como Márcia Cabrita, Suzana Pires, Cynthia Falabella e Vera Mancini, desdobra-se em múltiplos personagens para contar, por meio de dez cenas, o dia-a-dia no banheiro feminino de um hotel de luxo, que recebe hóspedes, participantes de uma convenção, executivas e prostitutas.

Foto: Divulgação
A trama é costurada por meio da personagem Dagmar, uma fervorosa protestante que passa o dia sentada junto à pia oferecendo comprimidos, absorventes íntimos, balas, lenços de papel e desodorante enquanto procura converter as demais personagens "ao caminho do bem".

Em cena durante praticamente todo o espetáculo, a personagem da experiente Vera Mancini, que interpretou a alcoólatra Sofia no filme Garotas do ABC, aposta na crítica as mulheres que circulam pelo banheiro por meio de uma visão calcada em valores moralistas e religiosos.

Para escrever o texto, Carrasco afirma ter se valido de sua experiência como repórter para entrevistar amigas e conhecidas sobre as histórias que acontecem nesse ambiente que desperta tanta curiosidade nos homens. "Garimpei histórias reais, informações e comportamentos. Só depois parti para a criação do texto, sempre com meu olhar crítico" , acredita.

Já para a diretora, a intenção era mostrar um lado forte das mulheres, que muitas vezes é negado. "As mulheres bancam de mocinha, com delicadeza e fragilidade, mas no banheiro fazem muitas revelações, mostram sua intimidade, não se contentam com uma posição passiva diante da vida e são capazes de discutir os homens com absoluta franqueza" , comenta.

Amigas se arrumam em busca de companhia "limpinha"
Foto: Divulgação

É justamente aí que reside o problema. Ao acreditar que franqueza e delicadeza estão em lados opostos, o espetáculo resvala para um desfile de piadas prontas e muitas vezes grosseiras, que na média mais constrangem do que divertem.

Na tentativa de provocar o riso por aproximação com o cotidiano, a montagem apresenta uma vasta coleção de clichês: há os recém-casados que resolvem transar no banheiro durante a festa de casamento, as amigas que conversam sobre suas táticas para arranjar companhia na happy hour e, surpresa das surpresas, a rica herdeira que descobre que o marido é amante da secretária loira e siliconada.

Se o espetáculo procura realizar um retrato do universo feminino, a idéia que se tem dele certamente não é das melhores. As mulheres apresentadas são, na maioria das vezes, fúteis, interesseiras, falsas e pouco inteligentes. Duas delas trocam dicas para conseguir, como diz uma das personagens, "sexo com alguém que seja limpinho e pague um misto quente". Melhor acreditar que há quem use o banheiro só para sua finalidade principal.


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte

Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro disponibiliza online seu acervo de pintura com mais de 400 itens

Arte

B3 cede obras de grandes nomes do movimento modernista ao MASP

Arte

Inhotim lança duas novas exposições virtuais no Google Arts & Culture

Arte

Google Arts&Culture disponibiliza obras do artista plástico e militante político Antonio Benetazzo; saiba mais!

Arte

Agora você pode visitar a exposição dos 20 anos de Harry Potter em uma plataforma online do Google; saiba mais!

Arte