Guia da Semana
Arte
Por Redação Guia da Semana

Dica de leitura: Cine arco-íris

O livro vem com quase 300 resenhas de filmes sobre a homossexualidade, desde os anos 40 até os dias de hoje.

Filmes de temática LGBT não são fenômeno recente porque, somente agora, a sociedade estaria mais permeável a esse gênero cinematográfico. O livro Cine arco-íris (Edições GLS) traz resenhas de quase 300 películas produzidas nos últimos cem anos. Sim, os filmes gays começaram a ser produzidos por volta dos anos 40 do século 20.


Para situar o leitor na história desse gênero tão peculiar, o autor mostra um pouco do começo do cinema, em 1895, e vai desenrolando as "novidades" que surgiam até 1940, quando apareceram o que pode ser considerado os primogênitos filmes LGBT. Prova disso é o Festim Diabólico, de Alfred Hitchcock - sim, o mestre do suspense. Nele, segundo o autor, dá a entender que os dois protagonistas seriam homossexuais. Nos anos 50, A Malvada mostra uma Bette Davis com um relacionamento para lá de impossível com sua secretária.

A produção de filmes LGBT vai aumentando com o passar dos anos. Foi na década de 60 que filmes simbólicos como Nero foram produzidos - a película mostra o reinado do imperador romano, com todas as orgias que ele protagonizava. O Brasil entra na rota dos filmes homossexuais com Noite Vazia, de Walter Hugo Khouri; e O Cortiço, de Francisco Ramalho Jr, são alguns exemplos.

Outros ícones cinematográficos que extrapolam os títulos de filmes importantes e também são classificados como LGBT são O beijo da mulher-aranha, de Hector Babenco; Lei do Desejo, de Pedro Almodóvar (que traz Antonio Banderas ainda desconhecido do público) e Vítor ou Vitória, com Julie Andrews no elenco. A temática lésbica ficou mais forte em 1990, quando a Kate Winslet de antes de Titanic estrelou Almas Gêmeas, do diretor Peter Jackson. Na trama, ela é uma adolescente que é apaixonada pela melhor amiga.

Mas, a partir dos anos 2000, a temática saiu totalmente do armário. Milk, com Sean Penn no papel do primeiro gay a assumir um cargo público nos Estados Unidos; e O segredo de Brokeback Mountain, com Heath Ledger e Jake Gyllenhall nos papeis de dois cowboys que se apaixonam, são os exemplos mais recentes.


Cine arco-íris
De: Stevan Lekitsch
Editora: Edições GLS
Páginas: 272


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Conheça a 'Transe', plataforma digital que promove e conecta agentes das artes visuais no Brasil

Arte

Cirque du Soleil lança site especial durante a quarentena; saiba tudo!

Arte

15 museus brasileiros para visitar online

Arte

8 lives de galerias e museus para você curtir arte em casa

Arte

Curitiba recebe visita de museu egípcio itinerante; saiba mais!

Arte

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte