Guia da Semana

Fornada de luxo

Lançamentos de Marcelo D2, O Rappa e Jota Quest estão entre os álbuns que devem alavancar o segundo semestre do mercado musical brasileiro.

Jota Quest em seu novo estúdio, onde está sendo gravado o novo álbum


A indústria fonográfica brasileira ganha fôlego redobrado neste segundo semestre com a chegada às prateleiras de uma generosa leva de lançamentos. Programados para os próximos meses, novos trabalhos de artistas do calibre de Jota Quest, Roberto Carlos, Marcelo D2 e O Rappa devem alavancar as vendas de final de ano. As aguardadas estréias do ex-Los Hermanos Marcelo Camelo e da jovem cantora Mallu Magalhães podem aquecer ainda mais o mercado.

JOTA QUEST

A grande maioria das bandas prefere manter distância dos palcos enquanto prepara um novo trabalho. Entretanto, com os mineiros do Jota Quest essa receita não é seguida à risca: intercalando sessões de gravação no novo estúdio da banda, em Belo Horizonte, com uma série de shows da turnê Até Onde Vai - que teve início em 2005 e já completou mais de 300 apresentações - o grupo do vocalista Rogério Flausino prepara seu primeiro disco em três anos.

A produção do álbum, ainda sem título definido, ficou a cargo do experiente Liminha, mas também contou com parcerias de peso como a travada com o compositor Nelson Motta e com o trombonista canadense Ashley Slater, ex-Freak Power, entre outras surpresas.

ROBERTO CARLOS

Em 2007, Roberto Carlos quebrou a tradição e deixou de lançar um álbum de final de ano, algo que não ocorria há décadas. Alegando não ter ficado satisfeito com o resultado de determinadas faixas, o Rei adiou o lançamento para o primeiro semestre de 2008, o que também acabou não acontecendo. Agora, trabalhando ao lado do antigo parceiro Erasmo Carlos, o cantor - que recentemente colocou na praça o disco gravado em espanhol En Vivo - promete não decepcionar os fãs, disponibilizando até o natal seu novo álbum.

MALLU MAGALHÃES

A jovem Mallu Magalhães contou com a badalada produção de Maria Caldato


Do MySpace às diversas propostas de grandes gravadoras que bateram à sua porta, a ascensão de Mallu Magalhães chega a um ponto crucial: a confecção de seu primeiro álbum. Responsável por produzir trabalhos de gente como Beastie Boys e Marcelo D2, Mario Caldato cuidou de detalhes importantes como a inserção de equipamentos analógicos que reproduzem o clima folk sessentista que marcou os sucessos Tchubaruba e J1.

Mallu, que produziu o disco de forma independente, emprestou recentemente sua voz a uma das faixas do primeiro disco solo do ex-Los Hermanos Marcelo Camelo, seu ídolo declarado.

O RAPPA

Confinado no estúdio desde o início do ano, O Rappa promete dar seqüência ao êxito de seu último trabalho de inéditas, O Silêncio Que Precede o Esporro, de 2003. O grupo, que lançou ainda em 2005 o álbum Acústico MTV, já colocou à disposição dos fãs a faixa Monstro Invisível, além de intensificar o trabalho de divulgação do novo disco - tendo, inclusive, cancelado alguns shows pelo país.

Os produtores Ricardo Vidal e Tom Sabóia indicam que o trabalho, cujo nome ainda é mantido em segredo, pretende romper com a "mesmice que impera" por meio de diferentes instrumentos e temas. A previsão é que as prateleiras recebam o disco em 15 de agosto, quando, finalmente, será revelado seu título.

MARCELO D2

Após 14 anos, o rapper Marcelo D2 lança seu primeiro trabalho sob o selo EMI


Assim Tocam os Meus Tambores é o título provisório do novo disco de Marcelo D2, que, assim como Mallu Magalhães, deixou a produção nas mãos de Mario Caldato, com quem trabalha desde os tempos de Planet Hemp. O álbum é o primeiro a ser lançado pela EMI e marca o fim do contrato com a Sony, que perdurava por 14 anos.

Mais próximo ao rock, mas sem deixar o hip hop e o samba de lado, o disco conta com as participações de duas cantoras de escolas bem distintas: Maria Rita e Pitty, além de um inusitado sample da cantora Claudia, conhecida pela versão da pérola Jesus Cristo.

MARCELO CAMELO

Enquanto segue o hiato dos Los Hermanos, seus integrantes vão buscando caminhos próprios: Rodrigo Amarante colaborou recentemente com o grupo 3 Na Massa, Bruno Medina excursiona com a cantora Adriana Calcanhotto e Rodrigo Barba assume as baquetas das bandas Latuya e Canastra. Já Marcelo Camelo está prestes a lançar seu disco de estréia e tem, inclusive, apresentações marcadas Brasil afora.

Doce Solidão, primeiro single do álbum ainda inominado, caiu na internet há cerca de três meses, e deu uma amostra aos saudosos fãs do que Camelo apresentará a partir do dia 19 de setembro, quando se apresenta no Festival Coquetel Molotov, em Recife. O grupo paulistano Hurtmold, do experiente baterista Maurício Takara, participou das gravações do disco - assim como os músicos Dominguinhos e Domenico Lancelotti - e deve escorar o cantor em seus shows.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Museu da Empatia chega a São Paulo com instalação interativa; saiba mais!

Projeto temporário permite que as pessoas se coloquem no lugar das outras

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas