Guia da Semana

Mundo Livre S/A

Saiba mais sobre a história da banda que originou o movimento Manguebeat.



1984, Jaboatão dos Guararapes, Recife. O rapaz Fred 04, já engajado na música, principalmente no punk rock dos Sex Pistols, decidiu formar uma banda com seu irmão Fábio Malandragem e os amigos Neguinho e Havron, com a finalidade de reinventar o famoso movimento musical setentista, injetando pitadas da música nordestina e muito psicodelismo. Nascia assim o grupo Mundo Livre S/A - que teve o nome inspirado no seriado norte-americano Agente 86, onde se pregava o conceito de mundo livre.

 

Após ensaios e algumas apresentações pela cena local, a banda deu um tempo em 1987, quando seus instrumentos foram roubados em um dos shows. O coletivo retornou dois anos depois com a seguinte formação: Fred 04 nos vocais, cavaco, guitarra e violão, Fábio Malandragem no baixo, Tony Regalia (o irmão caçula) na bateria, Bactéria Maresia no teclado e na guitarra e Otto na percussão. Em meados dos anos 90, Fred conheceu o Chico Science, Jorge Du Peixe e outros futuros integrantes da Nação Zumbi. Desse encontro, resultou um dos movimentos musicais mais importantes da história do Brasil, o Mangue, projetando a cidade de Recife para o mundo, surgindo a expressão Manguetown, nome dado a uma das canções mais famosas de Chico Science & Nação Zumbi. Para formalizar essa reunião, Fred redigiu o manifesto Caranguejos com Cérebro, impresso no encarte do primeiro álbum de Chico Science & Nação Zumbi.

 

Com o conteúdo explícito nas letras de Fred 04, o primeiro disco do Mundo Livre S/A foi lançado em 1994. Samba Esquema Noise foi uma paulada nos ouvidos dos brasileiros, deixando evidente que a onda colorida dos anos 80 havia passado. Em 1996, foi a vez de Guentando a Ôia, mais uma vez elogiado pela crítica. No mesmo ano, Otto deixou o posto de percussionista para seguir em carreira solo, dando lugar a Marcelo Pianinho. Em fevereiro de 1997, 04 revelou ao mundo o segundo Manifesto Mangue Quanto Vale Uma Vida? para expressar seu pesar com a morte do amigo Chico Science, no início daquele mês. Com o terceiro trabalho, Carnaval na Obra, a canção Maroca tornou-se um hit. E, mesmo com a ausência de Chico, o Mundo Livre continuou difundindo o manguebeat pelo mundo, com apresentações em Paris, Nova Iorque, Lisboa e Cidade do México, entre outros lugares.

 

Em 2000, o grupo gravou o CD Por Pouco, em que a faixa Melô das Musas (Musa da Ilha Grande), teve como inspiração a atriz Malu Mader. Quatro anos depois, eles vieram com o disco O Outro Mundo de Manuela Rosário, com destaque para a música Digital ao Vinagrete e Balada de Pablo e Manuelita. Em 2005, voltaram à mídia com o álbum Bebadogroove, seguido de Combat Samba - E Se a Gente Seqüestrasse o Trem das 11?, lançado em 2008. Atualmente, o Mundo Livre S/A é formado por Fred 04 (vocais, cavaquinho e guitarra), Junior Areia (baixo), Chef Tony (bateria), Bactéria Maresia (teclados e guitarra) e Tom Rocha (percussão), continua propagando suas letras por aí.

 

Foto: Divulgação

Site oficial: http://www.mundolivresa.com/site/

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA