Guia da Semana
Arte
Por Redação Guia da Semana

Nós no YouTube

No fantástico mundo do YouTube, todos têm vez.

Cris Nicolotti e seu hino contra a chatice, Vai Tomar no C.


Certa vez, o artista plástico norte-americano Andy Warhol preconizou: "um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama". Provavelmente, Chad Hurley e Steve Chen, os homens por trás do YouTube, não imaginaram que sua invenção deixaria uma legião sedenta pelo estrelato mais próxima de conquistar sua glória passageira.

Hurley e Chen, os pais do YouTube
Dotes musicais à parte, o portal mais adorado dos últimos tempos abriu as portas para amadores e artistas desconhecidos divulgarem suas "obras". Se a possibilidade de disponibilizar vídeos caseiros na internet não era nenhuma novidade, o YouTube teve o mérito de centralizar centenas de milhares de arquivos no mesmo endereço. Ao permitir que registros de nomes consagrados da música figurem ao lado de gravações feitas com uma câmera digital de maneira rápida e dinâmica, o site atraiu uma multidão de candidatos à fama.

O onipresente cover

Na cola do fenômeno virtual, veio uma das maiores pragas da música: as versões. Emulado por artistas em decadência, oportunistas de plantão ou simplesmente por talentos ineptos, os covers caíram no gosto dos internautas do YouTube, que não têm o menor pudor em assassinar sucessos de seus artistas favoritos.

Regravado por uma infinidade de músicos, o saudoso Tom Jobim sofreu como poucos a agrura de ter suas obras-primas requentadas indiscriminadamente. Felizmente, o gênio da bossa nova não pode conferir o mar de vídeos em que um sujeito qualquer, provido de um piano ou de um violão desafinado, tripudia as versões originais de Águas de Março, Luíza ou Corcovado.

Chama a atenção nesses casos a cara-de-pau do internauta, que não mede meias palavras e tasca na descrição do vídeo frases como "minha versão de Garota de Ipanema" ou ainda "meus arranjos para Chega de Saudades". Outra modalidade comum no YouTube é criar clipes para canções que ainda não o tem. Uma simples noção de programas como Flash já basta para a música ganhar uma animação própria - algo como uma biografia não-autorizada. Há ainda aqueles que não se dão ao trabalho de criar algo mais sofisticado, e simplesmente sobrepõem fotografias de trivialidades, como um churrasco de final de semana, ao seu hit favorito, criando uma aberração megalomaníaca.

Celebridade digital

Assunção: mágoas do Orkut
Desde que estourou como uma das maiores sacadas da internet, o YouTube revelou um punhado de celebridades digitais. Com maiores ou menores pretensões, pessoas comuns, muitas vezes distantes do universo musical sob jugo das gravadoras, abusaram da irreverência ao dar forma a verdadeiras febres instantâneas.

Ewerton Assunção causou frisson na rede ao lançar o hit Vou Te Deletar do Meu Orkut, canção símbolo dos cada vez mais comuns relacionamento cibernético. Vai Toma no C., o mais recente boom do YouTube, levou os holofotes da rede à atriz Cris Nicolotti, cujo marido compôs o sucesso baseando-se em hinos evangélicos e o dedicou a um vizinho.


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte

Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro disponibiliza online seu acervo de pintura com mais de 400 itens

Arte

B3 cede obras de grandes nomes do movimento modernista ao MASP

Arte

Inhotim lança duas novas exposições virtuais no Google Arts & Culture

Arte

Google Arts&Culture disponibiliza obras do artista plástico e militante político Antonio Benetazzo; saiba mais!

Arte

Agora você pode visitar a exposição dos 20 anos de Harry Potter em uma plataforma online do Google; saiba mais!

Arte