Guia da Semana
Arte
Por Redação Guia da Semana

Ponto de encontro

O papel do personagem em uma peça não é só representar uma figura, mas também de fazer a relação entre ele e a história, os objetos e o cenário.

Foto: Getty Images


No teatro, há o cenário, a indumentária, a iluminação, a sonoplastia, mas é no teatro também que o ator dá corpo às palavras, à criação do dramaturgo.

A descrição dos ambientes nas peças pode ser muito rica, de uma potência imagética, e só adquire importância se o personagem atribuir algum traço de seu caráter na relação com os objetos. O personagem é o objeto que dá sentido àqueles desprovidos de subjetividade, seja por sua memória, sua obsessão, sua convicção.

O personagem se distingue nas relações que estabelece na trama, na história, pois é ele quem dá sentido a todos os componentes de uma peça de teatro.

O enredo desenvolvido pode ser novidade para alguns, mas o trabalho do dramaturgo é o de aproximar o espectador dele mesmo e os personagens entre si, em uma convenção comportamental, na medida que extrai a natureza humana do personagem.

A proximidade é trabalho do dramaturgo ao apresentar algo que o espectador reconheça, que estimule sua imaginação, que faça ver a grandiosidade de si como escritor, sua capacidade de observação, sua compaixão e humanidade que, através de sua obra, provoca a cooperação nas situações difíceis.

O esforço de um dramaturgo em esmiuçar o caráter humano é a busca encantada por uma quimera, por uma ilusão, e a motivação do espectador é encontrar-se com sua intimidade.

A verdade do ator depende do personagem, por isso o público tem que acreditar que o personagem é real, mas a linguagem é muito livre e, assim, a convenção comportamental pode ser destruída, e a comunicação entre audiência e escritor fica impedida por um obstáculo. Devemos procurar o ponto de encontro, e que seja encontrado facilmente quase por um instinto, às escuras, de olhos fechados. Também viver a própria vida, ter experiências estranhas e interessantes, ouvir conversas que encham de assombro, dormir à noite aturdido com seus sentimentos e tolerar o fragmentado.

Leia as colunas anteriores de Renata Bar:

Comportamento desmedido

Realismo Mágico

Qual a verdade?

Quem é a colunista: Renata Bar Kusano.

O que faz: Publicidade e Propaganda (FAAP), uma aprendizagem em edição em vídeo e suas correlações.

Pecado Gastronômico: carré de vitela ao molho de hortelã e camarão à provençal!

O melhor lugar do mundo: debaixo d´água.

Fale com ela: rebarkusano@gmail.com ou acesse seu blog



Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Conheça a 'Transe', plataforma digital que promove e conecta agentes das artes visuais no Brasil

Arte

Cirque du Soleil lança site especial durante a quarentena; saiba tudo!

Arte

15 museus brasileiros para visitar online

Arte

8 lives de galerias e museus para você curtir arte em casa

Arte

Curitiba recebe visita de museu egípcio itinerante; saiba mais!

Arte

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte