Guia da Semana
Arte
Por Anna Thereza de Almeida

Rafinha Bastos: muito mais do que um humorista polêmico

O Guia da Semana conversou com o comediante sobre seus projetos pessoais e profissionais.

O canal de Rafinha Bastos no Youtube acumula quase 120 milhões de visualizações (Divulgação)

Não dá para falar de humor, stand up comedy e internet sem falar de Rafinhas Bastos. O jornalista e comediante é uma das grandes referências – se não a referência – quando o assunto é inovação e entretenimento – e claro, também é uma das pessoas mais lembradas no quesito “polêmicas”.

+ Em entrevista ao GDS, Fábio Porchat fala sobre carreira e novo espetáculo
+ Leia a entrevista em que Alexandre Frota fala sobre o lançamento do livro 
+ "Não existe nenhuma possibilidade de projeto com os travessos", garante Rodriguinho

Com mais de 10 anos apostando na produção de vídeos para a internet, Rafinha realmente conhece o sucesso: seu canal no Youtube, no ar desde 2006, atingiu neste ano a marca de 1 milhão de inscritos. E pra quem acha que é pouco, o canal ainda acumula quase 120 milhões de visualizações.

Mas engana-se quem acha que Rafinha só sabe fazer humor. Atualmente no ar em “A Liga”, programa da Band que conta diversas histórias sob a perspectiva de quem as vive, o jornalista acaba de lançar o canal MARCAPASSO, que, assim como “A Liga”, possui uma pegada mais séria, com vídeos – na verdade documentários de curta duração – de histórias de vida interessantes.

Além do novo projeto Marcapasso, Rafinha ainda encabeça o programa de entrevistas “8 Minutos”, também veiculado em seu canal no Youtube, a série “A Vida de Rafinha Bastos”, exibida pelo canal pago FX, e seus espetáculos de stand up comedy. Atualmente, o comediante está em cartaz com seu segundo show solo, intitulado “Péssima Influência”.

Para entender um pouco mais sobre todos esses projetos, o Guia da Semana conversou com o humorista Rafinha Bastos. Confira:

O espetáculo “Péssima Influência” é o seu segundo projeto de stand-up. Por que essa demora em criar um novo show?
Na verdade eu já faço este show desde 2011. É que nunca entrei em temporada em São Paulo com ele. O material não é factual, então não perdi as piadas. O show ainda está fresco.

Quais são as principais diferenças dos shows “Arte do Insulto” e “Péssima Influência”?
Acho que evolui na minha maneira de escrever, na minha maneira de ver a comédia. Faço stand-up há muito pouco tempo (apenas 10 anos), então acho que este show é infinitamente superior ao primeiro.

Você se acha uma péssima influência?
Não, minha mãe é que acha.

Quais são as suas expectativas para o show no Teatro Bradesco?
Tô super empolgado porque ainda não me apresentei em São Paulo com este show e ainda mais empolgado pelo fato do teatro ficar a cinco quadras da minha casa.

O seu programa de entrevistas “8 Minutos” é um sucesso. Como funciona a escolha dos entrevistados e qual é o fio condutor para essas entrevistas?
Não há nada roteirizado. Buscamos pessoas que eu quero muito conversar e simplesmente sento pra bater um papo. Livre assim. Estou muito feliz com o sucesso do projeto.

Qual é a entrevista mais foda do “8 minutos”?
Tenho vários "preferidos", mas gosto muito do papo com o Carlos Alberto de Nóbrega. Foi o primeiro 8 MINUTOS, e eu adoro. 

Por que 8 minutos?
Foi uma sugestão do meu amigo Fernando Muylaert, que me ajuda na direção do quadro. Achamos que seria o tempo ideal. E era. Deu certo.

No dia 10 de outubro você lançou no Youtube o canal “MARCAPASSO", que foca em histórias reais de superação. O que te levou a desenvolver esse projeto? Qual é a essência desse trabalho?
Há muito tempo queria fazer algo na web que fosse além da comédia. Venho assistindo muito conteúdo que tem outra pegada.  E o Marcapasso nasceu dessa busca.

Essa pegada “mais real” também é uma das características do programa “A Liga”, da Band, que por sinal você voltou a gravar. Como você encarou esse convite e o que mudou no programa desde a sua saída? Você pretende continuar na atração?
Nós já tínhamos conversado sobre uma possível volta no ano passado, mas achei que não seria a melhor hora. Pintou o papo de novo este ano e topei. Nada mudou na maneira de fazer o programa. É um projeto com o qual me identifico e tenho orgulho de fazer parte, mas não sei o que será do ano que vem. Ainda não definimos nada.

No inicio deste mês você ficou sabendo da segunda temporada da série "A Vida de Rafinha Bastos”, do canal a cabo FX. Como você recebeu essa notícia? Você já tem algo definido para a nova fase da atração? Tem alguma coisa que pretende incluir ou tirar do roteiro?
Soube, através da FX, que o programa teve uma grande aceitação e a audiência foi super legal. Isso me deixou muito feliz, mas não tem uma segunda temporada confirmada ainda. Adoraria fazer mais coisas com a FX e pelo jeito tem muita coisa pra acontecer. Vamos ver o que vai rolar.

Quais são seus próximos passos? Você já tem planos para 2014?
Quero ficar mais tempo com a minha mulher, meu filho e meus cachorros.


Por Anna Thereza de Almeida

Atualizado em 29 Out 2013.

Mais notícias

Google Arts & Culture disponibiliza tour virtual e coleções digitais do acervo do Museu Nacional

Arte

Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro disponibiliza online seu acervo de pintura com mais de 400 itens

Arte

B3 cede obras de grandes nomes do movimento modernista ao MASP

Arte

Inhotim lança duas novas exposições virtuais no Google Arts & Culture

Arte

Google Arts&Culture disponibiliza obras do artista plástico e militante político Antonio Benetazzo; saiba mais!

Arte

Agora você pode visitar a exposição dos 20 anos de Harry Potter em uma plataforma online do Google; saiba mais!

Arte