Guia da Semana

Sem muitas surpresas

Os indicados para o Prêmio Shell já eram esperados na opinião do colunista.

Foto: Getty Images


O Prêmio Shell está para o teatro brasileiro assim como o Festival de Gramado está para o cinema nacional. O mais importante e aguardado prêmio do teatro nacional chega a sua 22ª edição sem grandes surpresas, num ano que não foi dos melhores para o teatro carioca. Pouca coisa se viu de novo em 2009. Este ano parece ser o ano dos musicais, com indicações para espetáculos como Avenida Q, O Despertar da Primavera e Oui oui... A França é aqui.

O recordista com cinco indicações foi o espetáculo O Despertar da Primavera com merecida indicação de melhor ator para Rodrigo Pandolfo, já indicado na edição anterior por Cine-Teatro Limite. Pandolfo pode ou não levar o Shell dessa vez, no páreo estão os excelentes Chico Diaz, por Moby Dick, e Fernando Eiras, por In on It, também indicado na edição anterior por A Noviça Rebelde. Na minha opinião, Eiras tem grandes chances de levar o prêmio no que eu considero como um dos melhores espetáculos de 2009.

Na categoria direção, temos João Fonseca com o espetáculo Oui oui... A França é aqui, indicado também por A Falecida na edição anterior e Charles Moeller em dupla indicação por Avenida Q e O Despertar da Primavera. Enrique Diaz corre por fora com o excelente In on It.

Na categoria melhor atriz, Beth Goulart tem grandes chances de levar o Shell por sua atuação  em Simplemente eu, Clarice Lispector, concorrendo com Cristina Pereira por A tartaruga de Darwin, Solange Badin por Oui oui... A França é aqui, Bianca Byington por Farsa da boa preguiça, Marília Pêra por Gloriosa e Sabrina Korgut por Avenida Q.

Os vencedores do 22º Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro serão conhecidos em março deste ano.

Confira a lista completa de indicados ao 22º Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro:

Autor:
Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche por "Oui oui... A França é aqui"
Flávio Marinho por "Além do arco-íris"
Lícia Manzo por "A História de Nós 2"
Rodrigo Nogueira por "Play"

Direção:
Bruce Gomlevesky por "Festa de família"
Charles Möeller por "O despertar da primavera"
João Fonseca por "Oui oui... A França é aqui"
Charles Möeller por "Avenida Q"
Enrique Diaz por "In on It"
João das Neves por "Farsa da boa preguiça"


Ator:
Chico Diaz por "Moby Dick"
Michel Bercovitch por "Gorda"
Rodrigo Pandolfo por "O despertar da primavera"
André Dias por "Avenida Q"
Fernando Eiras por "In on It"
Otávio Augusto por "Rock N' Roll"


Atriz:
Beth Goulart por "Simplemente eu, Clarice Lispector"
Cristina Pereira por "A tartaruga de Darwin"
Solange Badin por "Oui oui... A França é aqui"
Bianca Byington por "Farsa da boa preguiça"
Marília Pêra por "Gloriosa"
Sabrina Korgut por "Avenida Q"


Cenário:
Camila Toledo e Bia Lessa por "Formas breves"
Fernando Mello da Costa e Rostand Albuquerque por "Moby Dick"
Rogério Falcão por "O despertar da primavera"
Alberto Renault por "Dois irmãos"
Carlos Alberto Nunes por "A chegada de lampião no inferno"


Figurino:
Beth Filipecki por "As meninas"
Marcelo Pies por "O despertar da primavera"
Kalma Murtinho por "Gloriosa"
Rodrigo Cohen por "Farsa da boa preguiça"


Iluminação:
Maneco Quinderé por "Simplemente eu, Clarice Lispector"
Paulo César Medeiros por "O despertar da primavera"
Paulo César Medeiros por "Avenida Q"
Renato Machado por "A chegada de lampião no inferno"


Música:
Tim Rescala pela direção musical e arranjos de "Miranda por Miranda"
João Callado e Nando Duarte por ""Oui oui... A França é aqui"
Alexandre Elias por "Farsa da boa preguiça"
Liliane Secco por "Esta nossa canção"


Categoria especial:
CCBB pelos 20 anos de incentivo ao teatro e demais atividades artísticas
Márcia Rubin pelas coreografias de "Miranda por Miranda"
Claudio Botelho pela versão das músicas de "Avenida Q"
Galpão Aplauso pela inclusão social no teatro de forma dinâmica e produtiva, através do espetáculo "Todo mundo é mundo"
Cia. Movimento Carioca de Teatro pelo projeto de montagem de "Espia uma mulher que se mata" por sua importância para o intercâmbio cultural com o teatro latino-americano


Homenagem:
Eva Todor por sua iluminada trajetória no cenário artístico brasileiro

Quem é o colunista: Alexandre Pontara.

O que faz: Paulista, radicado no Rio, Alexandre Pontara é uma mistura de ator, dramaturgo e produtor cultural.

Pecado gastronômico: Bolo Negro e Tiramissú de Chaika.

Melhor lugar do Brasil: Paraty.

Fale com ele: capontara @uol.com.br ou acesse seu site

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA