Guia da Semana
Cinema
Por Redação

“A Lenda de Tarzan”: 3 Motivos para ver (e 3 para não ver) o novo filme

Conheça os pontos positivos e negativos do longa que estreia no dia 21.

Alexander Skarsgård interpreta John Clayton/Tarzan e Samuel L. Jackson é George W. Williams (Divulgação)

Estreia no dia 21 de julho “A Lenda de Tarzan”, mais uma aventura inspirada nos famosos personagens criados por Edgar Rice Burroughs no século XIX. O filme narra o retorno de Tarzan (Alexander Skarsgård) e Jane (Margot Robbie) à África, oito anos depois de sua mudança para os Estados Unidos, para investigar as atividades suspeitas de um explorador belga (Christoph Waltz) no Congo.

Para ajudar você a decidir se deve ou não conferir essa estreia nos cinemas, reunimos 3 pontos positivos e 3 negativos para colocar na balança:

Motivos para ver:

O diretor é o mesmo da franquia “Harry Potter”

“A Lenda de Tarzan” é dirigido por David Yates, que comandou os quatro últimos filmes da saga “Harry Potter” e assina a direção do muito aguardado “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, que estreia em novembro.

Um filme de encher os olhos


Se há um elemento que merece destaque em “A Lenda de Tarzan”, é o visual. Enquanto a fotografia aposta em tons frios, abusando de azuis e cinzas no lugar dos tradicionais verdes e marrons (que aparecem com mais força nos momentos de paz), o figurino de época capricha na elegância e mostra uma transformação radical no visual de Alexander Skarsgård de John Clayton III a Tarzan.

Um Tarzan digno do título


Alexander Skarsgård pode não ser o membro mais carismático da família, mas sua interpretação de Tarzan é surpreendentemente expressiva e bem dosada. A câmera de Yates, porém, abusa um pouco mais do que deveria de sua aparência, contemplando demoradamente o rosto delicado e o torso musculoso do ator, às vezes sem nenhuma função narrativa.

Motivos para não ver:

A donzela em perigo


Se você assistiu aos trailers de “A Lenda de Tarzan”, provavelmente reparou numa cena em que Jane (Margot Robbie) rejeita o pedido de Leon Rom (Christoph Waltz) para que grite “como uma donzela”. Pois é uma decepção notar que, apesar da postura contestadora, a esposa de Tarzan passa praticamente todo o filme acorrentada, sendo levada de um lugar a outro como uma isca para o herói – ou, no caso, como uma donzela em perigo.

Grandes atores (no modo automático)


Além de Robbie e Skarsgård, o elenco conta com Christoph Waltz no papel do vilão, Leon Rom, e Samuel L. Jackson como George Washington Williams, um americano que acompanha a dupla numa viagem ao Congo para colher provas de que Rom e o governo belga estão escravizando o povo africano.

Waltz e Jackson, pouco estimulados por um roteiro que não dá nenhuma atenção aos personagens, decepcionam, entregando versões caricatas de si mesmos e declamando suas histórias e objetivos em discursos excessivamente didáticos.

Efeitos visuais fracos


A verdade é que “A Lenda de Tarzan” não é nenhum “Mogli”. Por mais que as tomadas aéreas e algumas panorâmicas sejam realmente bonitas, os efeitos que recriam a floresta num plano mais fechado não funcionam tão bem. Em algumas cenas – como quando Tarzan e Williams estão correndo sobre as árvores – o cenário parece bastante falso.


Por Redação

Atualizado em 23 Jul 2016.

Mais notícias

Saiba como assistir ao Oscar 2021 na TV e Internet

Cinema

Divulgados trailer e pôster inéditos do filme "Cruella"; confira!

Cinema

Resenha: 'En las estrellas'

Cinema

Confira a lista dos indicados ao Oscar 2021

Cinema

Oscar 2021: saiba onde assistir aos filmes indicados

Cinema

10 mostras de cinema online para conferir em março de 2021

Cinema