Guia da Semana
Cinema
Por Juliana Varella

Crítica: “Para o que der e vier” é combinação desastrosa entre criador de Mad Men e humoristas de Hollywood

Filme traz Owen Wilson e Zach Galifianakis em papéis pouco inovadores.

Owen Wilson e Zach Galifianakis vivem dois amigos inseparáveis (Divulgação)

O que acontece quando você combina o diretor e roteirista de uma das séries de maior sucesso na televisão americana com dois astros das comédias mais clichês de Hollywood? A julgar por “Para o que der e vier”, que estreia nesta quinta no Brasil, nada de bom.

O filme é escrito e dirigido por Matthew Weiner, da série Mad Men, e traz no elenco o sempre-conquistador Owen Wilson e o sempre-infantil Zach Galifianakis, mergulhados em suas zonas de conforto. Wilson “interpreta” Steve, um mulherengo que vive chapado e trabalha como “garoto do tempo” numa TV local. Já Galifianakis é Ben, um homem nos seus 30 anos que não tem emprego e tenta ser escritor, mas sofre com transtorno bipolar, age como uma criança selvagem e também não sabe o que é ficar sóbrio por mais de algumas horas.

Quando o pai de Ben morre, numa cidadezinha do interior, Steve o leva para reencontrar a família – em particular a irmã, Terry (Amy Poehler) e a viúva, Angela (Laura Ramsey). Depois de uma sequência de piadas sem graça sobre a vida sexual do idoso falecido com a jovem esposa, a leitura do testamento revela uma surpresa: todas as propriedades foram deixadas para Ben.

Certa de que seu irmão é incapaz de gerenciar qualquer coisa, Terry começa a pressioná-lo, levando a transformações que desequilibrarão a amizade entre Ben e Steve. A briga acaba envolvendo Angela, uma personagem que impressiona pela concentração de estereótipos femininos: bela, jovem, cuidadora, professora, sempre com um sorriso no rosto, dona-de-casa prendada e interesse sexual de três homens diferentes ao longo do filme.

“Para o que der e vier” tenta conciliar o humor escrachado do cinema com diálogos pseudo-intelectuais da televisão, mas não consegue encontrar o tom. Ao invés disso, o que o espectador encontra é um conjunto de comentários de mau gosto tecidos por personagens pouco interessantes, quando não absurdos. Não espere dar grandes risadas.


Por Juliana Varella

Atualizado em 29 Abr 2015.

Mais notícias

7 filmes do diretor David Lynch que você precisa assistir

Cinema

Os melhores filmes infantis de 2019... até agora

Cinema

10 filmes imperdíveis com alienígenas para quem gosta do gênero

Cinema

10 filmes europeus imperdíveis para assistir na Netflix

Cinema

"MIB: Homens de Preto - Internacional", "Dor e Glória" e mais quatro filmes estreiam nesta quinta (13); Confira:

Cinema

Dia dos Namorados? 8 filmes para cultivar o amor próprio

Cinema