Guia da Semana
Cinema
Por Juliana Varella

“Festa da Salsicha” chega aos cinemas com humor adulto e sem filtros

Animação proibida para menores estreia no dia 6 de outubro.

"Festa da Salsicha" é uma animação de conteúdo adulto (Foto: Divulgação)

Estreia na próxima quinta-feira, 6 de outubro, um filme que nem parece verdade. “Festa da Salsicha", criado pela dupla Seth Rogen-Evan Goldberg (“É O Fim”, “A Entrevista”), é uma comédia de animação adulta e sem filtros sobre uma salsicha e um pão de cachorro-quente que sonham em sair de suas embalagens para, finalmente, poderem entrar um no outro.

Como vocês podem perceber pelo título e pela trama principal, o filme não tem nada de infantil e a pornografia só não é mais explícita porque os personagens são simpáticos e inocentes alimentos industrializados. No “elenco”, também estão um bagel judeu e um pão sírio que não conseguem conciliar suas diferenças religiosas, um taco mexicano lésbico, uma aguardente com conhecimentos xamânicos, um chiclete-gênio e uma ducha íntima que faz as vezes de vilão.

O filme é como uma versão adulta e de gosto duvidoso de filmes infantis que dão vida a objetos inanimados: depois de descobrirmos o que os brinquedos e os animais domésticos fazem quando não estamos por perto, é hora de saber como seria a vida de alimentos que compramos no supermercado, se eles tivessem consciência. O resultado, é claro, não é nada bonito.

Como os humanos, os alimentos reagem incialmente com a negação de seu destino ingrato. Seus compradores são vistos como deuses e a compra, como o caminho para o paraíso. Quando um deles finalmente descobre que o “outro lado” é sinônimo de tortura e morte, começa uma grande aventura em busca da verdade e da sobrevivência.

Enquanto se esbalda no absurdo de seu universo alucinógeno, “Festa da Salsicha” tenta arranhar temas mais polêmicos, alfinetando especialmente o fanatismo religioso, seus tabus e suas visões de mundo baseadas em mitos – que, no filme, são tratados literalmente como histórias inventadas por líderes drogados.

As críticas, porém, não levam a nenhuma reflexão mais profunda e acabam soando aleatórias, assim como tudo no filme. Falta uma história coerente para amarrar todas as esquetes e, mesmo que algumas sejam bem sacadas, a sensação geral é de estar assistindo a uma brincadeira entre amigos e não a um longa-metragem profissional.

Festa da Salsicha” certamente merece crédito pela autenticidade, mas não tanto pelo humor. Na versão em português, as piadas foram traduzidas e adaptadas pelo grupo Porta dos Fundos, mas nem era preciso: o humor não é politizado o suficiente nem incisivo o suficiente para precisar de uma versão local e, verdade seja dita, nem é engraçado o suficiente para merecer o investimento. É claro que existe a possibilidade de que a própria tradução tenha prejudicado o filme, mas isso é bastante improvável. No fim das contas, a tão polêmica e cara-de-pau animação não passa de mais um besteirol americano, que um dia servirá para passar o tempo num domingo de preguiça e nada mais.


Por Juliana Varella

Atualizado em 7 Out 2016.

Mais notícias

14 filmes teens recém-lançados na Netflix que você deveria dar uma chance

Cinema

13 filmes imperdíveis que estreiam nos cinemas em fevereiro de 2020

Cinema

10 filmes imperdíveis em cartaz no feriado de 25 de janeiro de 2020

Cinema

"1917", "Um Lindo dia na Vizinhança" e mais três filmes estreiam nesta semana; Confira!

Cinema

Veja a lista de indicados ao Oscar 2020

Cinema

Motivos para assistir ao filme “O Relatório”, na Amazon Prime Video

Cinema