Guia da Semana

Guia da Semana

A Philco lançou recentemente no Brasil uma linha gamer, intitulada Philco Gaming, trazendo periféricos de entrada e mid-end. O mouse Philco PMS31 é um dos modelos lançados pela marca e que nos foi enviado pela marca para análise. Tendo características interessantes, o modelo conta com uma construção simples, mas com qualidade. Sem mais delongas, vamos a mais uma review aqui, no Pizza Fria!

Características do modelo

Antes de nos aprofundarmos no mouse Philco PMS31, vale a pena apresentarmos suas principais características. Ele traz um sensor óptico de alta precisão, RTT3168 IC, tendo sua sensibilidade ajustável em até 2.400 DPI, 4000 FPS, 2ms de tempo de amostragem e velocidade de movimento de 48IPS. Além disso, vem com retroiluminação em LED com 4 cores vibrantes. Seu cabo USB Gold, presente no cabo de 1,70m, garante maior resistência e durabilidade. Seu modelo é bem ergonômico e apresenta seis botões básicos.

Aqui, começam algumas das limitações. O modelo é recomendado para destros com pegada fingertip/fingerclaw, suas 4 resoluções de DPI, divididas em 800 (LED Vermelho), 1000 (LED Azul), 1600 (LED Verde), acabam limitando a customização de cores, as atrelando exclusivamente ao DPI selecionado. Seus 6 botões não são configuráveis e o modelo também não apresentou nenhum aplicativo. É claro, devemos considerar que por seu preço médio de R$ 99,90, o Philco PMS31 dificilmente apresentaria características de um modelo high-end. No entanto, sua construção é bem elaborada e isso mostra o cuidado da Philco com o modelo, mesmo sendo de entrada.

philco pms31
O Philco PMS31 oferece até 2400 DPI. (Imagem: Divulgação)

Experiência em uso

Aqui, trarei um pouco mais de minha experiência de uso cotidiano e em games. Posso dizer que em ambos os casos, o modelo funciona muito bem, deslizando sem muitos problemas em um mouse pad de superfície rígida. Todavia, por ser um modelo com fio, ele certamente funciona muito melhor com um mouse bungee, pois por deslizar facilmente, o modelo acaba andando sozinho, o que é ruim. Desta forma, o Philco PMS31 tem um desempenho mais interessante em modelos de mouse pad feitos de tecido, que “seguram” e dão um pouco mais de controle.

Nos jogos, as características expressadas acima já mostram que o modelo é modesto. Contudo, tanto em títulos MOBA, RTS e FPS, o Philco PMS31 se saiu bem. É claro, não é comparável a nenhum modelo high-end, mas ao atrela-lo às configurações internas de cada jogo, ele não deixou a desejar. A única questão que ainda me incomodou foi a rigidez de seu fio, que acabava atrapalhando um pouco na movimentação em alguns momentos, sobretudo em títulos como Counter Strike Global Offensive, Valorant ou Battlefield 2042, em que o jogador se movimenta de forma muito mais veloz.

philco pms31
Sua pegada e material de produção são satisfatórios. (Imagem: Divulgação)

Sua pegada é extremamente confortável, com um material plástico apresentando pequenos detalhes. Em suas laterais, o modelo simula uma textura mais porosa e elevada, auxiliando na pegada. O modelo é relativamente leve, apresentando 132 g, mas com seu mousefeet (os “pézinhos” do mouse) muito deslizante, ele parece perder uma boa parte do peso. Questões como peso e pegada são muito particulares, mas em minha experiência, tudo correu de forma positiva e sem problemas a não ser os citados acima como o fio pesado, o deslizar exagerado e a necessidade de se adequar a um novo modelo, que é uma questão que ocorre com todo periférico.

Vale a pena comprar o Mouse Philco PMS31?

Reconhecendo o grau de exigência do público gamer, o Mouse Philco PMS31 certamente não é a melhor pedida. O modelo se apresenta como de entrada, sendo bem básico, ou seja, voltado para uso diário e para jogadores casuais. Mesmo ele não desapontando nos testes, apresentou em seus detalhes problemas como a ausência de customização dos leds, opções de DPI limitadas e com baixos números e fio com acabamento muito rígido, que pode limitar a movimentação, algo que pode mudar negativamente um round.

Trazendo agora para a experiência mais casual, se o jogador se organizar (como tive de fazer aqui em meu setup), o mouse apresenta resultados interessantes e aí sim, vale a pena. Se você não quer pagar preços exorbitantes em modelos de mouse, que em alguns casos beiram os R$ 300,00 (ou mais!), talvez o Philco PMS31 possa caber em seu orçamento. Em linhas gerais, o que torna mesmo o modelo da Philco como “gamer” são seus leds, design mais arrojado e um sensor mais aprimorado, mas que não chega a ser grande coisa.

Portanto, se você é um jogador mais competitivo, o mouse Philco PMS31 não vai te servir. Agora, se você é daqueles que usa o computador para trabalho e, casualmente jogar, mas não quer perder o estilo (e os leds!), este modelo pode se enquadrar perfeitamente em sua realidade!

*Review elaborado em modelo cedido pela Philco.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Álvaro Saluan, Pizza Fria

Atualizado em 5 Mai 2022.