Guia da Semana
Literatura
Por Nathália Tourais

10 livros baseados em fatos reais que você precisa ler

Livros reportagens que fizeram história e prendem a atenção até a última página.

Para quem não gosta de ficção, os livros reportagens são excelentes escolhas (Fotolia)

O livro reportagem é um estilo literário simplesmente incrível. Daqueles que começamos a ler e só conseguimos parar quando chegamos na última página. Eles retratam a vida real e, ricos em detalhes, dão ao leitor a dimensão necessária para sentir-se ali, dentro da história, da cena e do acontecimento.

Gay Talese, Joseph Mitchel e Norman Mailer são grandes fenômenos desse gênero e se você nunca os leu, já não tem mais desculpas. Assim, para enriquecer suas leituras, o Guia da Semana listou 10 livros baseados em fatos reais que você precisa ler. Confira:

1- HONRA TEU PAI - GAY TALESE

Honra teu pai fala sobre o mundo da máfia, centrado na história de Joseph 'Joe Bananas' Bonanno, que controlava uma das chamadas Cinco Famílias de Nova York, e de seu filho Salvatore 'Bill' Bonanno, protagonista de uma sangrenta guerra entre mafiosos. Partindo do sequestro de Joseph em 1964, o livro tem o intuito de remontar a origem do clã Bonanno e descrever a ascensão do patriarca, que aos 26 anos já controlava uma das grandes famílias da máfia italiana de Nova York. Ao mesmo tempo, mostra o confronto que surge após o sequestro de Joe, quando Bill, diante do vácuo de poder deixado pela ausência do pai, se vê emaranhado num embate pelo controle da própria família.

 

 

 
 

2- A LUTA - NORMAN MAILER

Em 1974, no Zaire, travou-se aquela que ficaria para a história do boxe como uma das maiores lutas do século. Após ter seu título de Campeão Mundial dos Pesos Pesados revogado por se recusar a atender à convocação do Exército dos EUA durante a Guerra do Vietnã, o boxeador Muhammad Ali desafiava George Foreman, detentor do título. Na aparência de uma simples luta de boxe, enfrentavam-se no ringue duas forças ideológicas - o establishment branco, representado por um George Foreman que se vestia com as cores da nação norte-americana, e a expressão da autonomia negra, na figura de Ali. Neste livro, Norman Mailer busca fazer um relato dessa luta, da cena que a circundava e dos principais personagens que a compuseram.

 

 

 

3- HIROSHIMA - JOHN HERSEY

A mais importante reportagem do século XX - um retrato de seis sobreviventes da bomba atômica escrito um ano depois da explosão. Quarenta anos mais tarde, o repórter reencontra seus entrevistados. A bomba atômica matou 100 mil pessoas na cidade japonesa de Hiroshima, em agosto de 1945. Naquele dia, depois de um clarão silencioso, uma torre de poeira e fragmentos de fissão se ergueu no céu de Hiroshima, deixando cair gotas imensas - do tamanho de bolas de gude - da pavorosa mistura. Um ano depois, a reportagem de John Hersey reconstituía o dia da explosão a partir do depoimento de seis sobreviventes. Quarenta anos depois, Hersey voltou a Hiroshima e escreveu o último capítulo da história dos hibakushas - as pessoas atingidas pelos efeitos da bomba. Hiroshima permitiu que o mundo tomasse consciência do catastrófico poder de destruição das armas nucleares.

 

4- O SEGREDO DE JOE GOULD - JOSEPH MITCHEL 

Em 1942, Joseph Mitchell publicou nas páginas da revista The New Yorker o perfil de um literato maltrapilho que vivia perambulando pelo Greenwich Village, o bairro boêmio de Nova York. O personagem chamava-se Joe Gould e a reportagem revelava que, apesar de viver como um mendigo - dormia em pensões baratas, albergues e, às vezes, até na rua -, preparava uma obra monumental: História oral do nosso tempo. Gould morreu em 1957 e o livro que vinha escrevendo nunca foi encontrado - não se sabia, então, nem mesmo se chegara de fato a existir. Em 1964, sete anos após a morte de Gould e mais de vinte anos após o perfil da The New Yorker, Joseph Mitchell escreveu para a mesma revista outro texto sobre o boêmio do Village - "O segredo de Joe Gould" -, revelando o mistério guardado por tanto tempo. 


 

5- O REINO E O PODER - GAY TALESE

The New York Times, o jornal mais influente do mundo, foi fundado por um filho de imigrantes que, antes de iniciar uma dinastia de editores, trabalhou como servente, jornaleiro, office-boy e tipógrafo. Como toda grande instituição, abrigou lutas e batalhas pelo poder, numa guerra traduzida em conflitos de personalidade, manipulações, choques de interesses, alianças táticas, vitórias exultantes e decepções profundas. A história desse grande jornal é apresentada aqui pelo editor e ensaísta Gay Talese, que expõe a filosofia e os princípios editoriais do Times, descreve as mudanças que o jornal sofreu ao longo de mais de um século de existência, identifica suas contradições, analisa a atuação de suas figuras-chave e destaca suas relações (às vezes incestuosas) com o poder político. Também reconstitui reportagens de impacto, como os primeiros relatos do bombardeio americano sobre a população civil do Vietnã do Norte, decisivos para a mudança da opinião pública sobre a guerra.
 

6- ABUSADO - CACO BARCELLOS

Este livro é uma lição sobre a lógica, os meandros e o 'modus operandi' das corporações criminosas que comandam o tráfico de drogas e outras atividades ilegais no Estado. Através da história de Juliano VP - sua infância, adolescência, entrada e ascensão no tráfico de drogas na favela Santa Marta (em Botafogo, bairro de classe média) -, temos um retrato da ocupação do morro pelo Comando Vermelho e da implantação de sua disciplina. Mas não é apenas um livro sobre a história do tráfico. Juliano é um personagem fascinante, um criminoso com refinado gosto literário, preocupado com o destino da comunidade favelada do Rio de Janeiro e cujos contatos iam dos violentos chefes do CV até importantes intelectuais cariocas.

 

 



7- CHICO MENDES, CRIME E CASTIGO - ZUENIR VENTURA

No começo de 1989, o jornalista Zuenir Ventura foi enviado ao Acre para uma série de reportagens sobre a morte do seringueiro Chico Mendes, assassinado em dezembro de 1988. Os textos deram ao repórter o Prêmio Esso de Jornalismo. Zuenir voltou à região dois anos mais tarde e, em outubro de 2003, completou a série de matérias sobre o líder que chamou a atenção do mundo todo para a luta contra a devastação da Amazônia. O livro é dividido em três partes. A primeira, 'O crime', reúne as reportagens feitas para o Jornal do Brasil no começo de 1989, logo após o assassinato. Na segunda, 'O castigo', estão as reportagens produzidas em 1990, juntamente com Marcelo Auler, que cobrem o julgamento dos assassinos. '15 anos depois' é a terceira parte, com textos de outubro de 2003, quando Zuenir revisitou lugares e personagens envolvidos no crime.



8- A FEIJOADA QUE DERRUBOU O GOVERNO - JOEL SILVEIRA

O livro reúne histórias políticas sempre saborosas, tanto das grandes figuras da República, como Juscelino Kubitschek, João Goulart ou Jânio Quadros, como das menos conhecidas do público. Uma delas é Antonio Carlos Ribeiro de Andrada, a raposa mineira que 'tirava a meia sem tirar o sapato' e que, ao deixar o Ministério da Fazenda, pediu sete contos emprestados para pagar suas dívidas. Já o chefe de polícia de Getulio Vargas, João Alberto Lins de Barros, intimava os amigos a comparecer de madrugada à delegacia com o objetivo de formar uma roda de pôquer. Só Getulio Vargas recusou-se a dar entrevista a Joel - esmagou no cinzeiro o que restava do charuto e saiu sem se despedir, batendo a porta. O incidente, claro, rendeu matéria. Em meio a esses personagens todos, salta aos olhos um em especial - o próprio Joel.



9- O LIVRO DAS VIDAS - VARIOS AUTORES

Este livro apresenta uma pequena amostra da arte de escrever obituários. Ele reúne uma seleção de textos publicados na seção de obituários do New York Times, com ênfase nas histórias de pessoas comuns, cujas vidas ganham outra dimensão ao serem descritas com o olhar dos repórteres do diário americano. Para além dos 'mortos ilustres', esta coletânea mostra como a seção de obituários pode alcançar grandes momentos ao descrever, com humor, ironia e notável poder de síntese, histórias de pessoas que dificilmente freqüentariam as páginas dos jornais.

 

 

 

 

 
 

10- A MULHER DO PRÓXIMO - GAY TALESE

Em "A Mulher do Próximo', o autor mergulha fundo na intimidade de seus contemporâneos, traçando um amplo e fascinante painel da mudança de costumes sexuais que surgiu nos Estados Unidos nas décadas de 1960 e 1970. Faz também uma espécie de história da repressão e da liberdade sexual em um país fundado por puritanos, mas onde floresceram as seitas de amor livre e o nudismo.


Por Nathália Tourais

Atualizado em 25 Ago 2015.

Mais notícias

10 clubes de leitura em São Paulo para participar se você ama livros

Literatura

7 aplicativos perfeitos para amantes de leitura

Literatura

Santos recebe a maior livraria flutuante do mundo em agosto; saiba mais!

Literatura

7 livros que inspiraram ótimas séries e valem a leitura

Literatura

10 livros em quadrinhos que você precisa ler se gosta do formato

Literatura

5 clubes de assinatura de livros para você experimentar

Literatura