Guia da Semana
Literatura
Por Nathalia Tourais

10 livros para quem gosta de psicologia

Confira obras que abordam a mente humana como temática.

A mente humana já inspirou cineastas, artistas e escritores (Fotolia)

A mente humana é um dos assuntos mais fascinantes do mundo e da atualidade e o universo das artes está imensamente ligado à ele. Não por acaso, existem milhares de pintores que dizem que o processo criativo surge de uma angústia, tristeza ou sonho. Outros, que produzem quando estão em crises mais profundas consigo mesmos, em um momento recluso, de reflexões.

Entretanto, a literatura também é recheada de obras incríveis. Muitos livros são teóricos, mas existem outros que abordam transtornos interessantíssimos de formas brilhantes. Por isso, o Guia da Semana lista livros com diferentes abordagens para quem gosta de saber mais sobre os mistérios da mente. Confira: 

1- PRECISAMOS FALAR SOBRE O KEVIN

Kevin Khatchadourian, 16 anos, é autor de uma chacina na qual matou sete colegas, uma professora e um servente num colégio dos EUA. Neste livro, a autora fez um thriller psicanalítico em que a mãe do assassino escreve cartas ao pai ausente. Discute casamento, maternidade e família, enquanto denuncia o que há com sociedades contemporâneas que produzem assassinos mirins em série, ou 'pitboys'.

 

 

 

 

 

 

 

2- EXTRAORDINÁRIO

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade - até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente - convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

 

 

 

 

 

 

3- AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL

Este livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir 'infinito' ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento.

 

 

 

 

 

 

4- MISERY - LOUCA OBSESSÃO

Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca. Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz e fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado.


 

5- SERIAL KILLERS - ANATOMIA DO MAL

O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move - e o que pode deter - assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates ('Psicose'), Leatherface ('O Massacre da Serra Elétrica') e Hannibal Lecter ('O Silêncio dos Inocentes'). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? Este livro é um dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Nele você vai descobrir como eles matam e por que eles matam.

 

 

6- HOJE EU SOU ALICE

No livro, a autora relata a jornada de uma vítima de transtorno de múltipla personalidade, que precisou lutar contra a anorexia, o álcool e contra nove personalidades alternativas que emergiram após ficarem adormecidas diante de uma infância cruel. Sem controle, Alice entregou-se a elas - e sua vida passou a ser um caleidoscópio de acontecimentos e revelações. Este é o relato sobre uma doença e sobre a história de uma mulher que decidiu lutar contra a realidade e a imaginação.

 

 

 

 

 

 

 

7 - SYBIL

O livro conta a história de Sybil e suas dezesseis personalidades. Entre elas, mulheres e homens, e cada uma com diferentes transtornos, padrões de fala e aparência. As páginas nos possibilitam viver a estranheza e o fascínio da aflição de uma mulher que vive diferentes pessoas dentro de si mesma.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8- UMA MENTE BRILHANTE

Esta biografia do matemático Nobel de Economia John Nash pretende explorar a linha entre loucura e genialidade. A jornalista Sylvia Nasar tem o intuito de narrar a vida do homem que, aos 30 anos, já somava em seu currículo uma entrevista com Albert Einstein, uma bolsa de pós-graduação no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton e soluções de alguns complexos enigmas matemáticos. Mas a natureza frágil e extraordinária da genialidade cedia terreno à loucura e, aos 31 anos, Nash sofria seus primeiros colapsos. Em 1994, no entanto, o autor do conceito de equilíbrio na teoria dos jogos, batizado como 'Equilíbrio de Nash', ganhou o Nobel de Economia.

 

 

 

 

 

9- O LADO BOM DA VIDA

Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele 'lugar ruim', Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.

 

 

 

10- O DEMÔNIO DO MEIO DIA

Entremeando o relato de sua própria batalha contra a doença com o depoimento de vítimas da depressão e a opinião de especialistas, Solomon desconstrói mitos, explora questões éticas e morais, descreve as medicações disponíveis, a eficácia de tratamentos alternativos e o impacto que a depressão tem nas várias populações demográficas (sejam crianças, homossexuais ou os habitantes da Groenlândia). No epílogo inédito escrito exclusivamente para a nova edição brasileira, conhecemos o que aconteceu com Solomon, com os entrevistados e com os tratamentos da depressão desde a publicação de 'O demônio do meio-dia'. A inteligência, a curiosidade e a empatia do autor nos permitem conhecer não só as doenças mentais, mas a profundidade da experiência humana.

 

 


Por Nathalia Tourais

Atualizado em 2 Fev 2016.

Mais notícias

10 clubes de leitura em São Paulo para participar se você ama livros

Literatura

7 aplicativos perfeitos para amantes de leitura

Literatura

Santos recebe a maior livraria flutuante do mundo em agosto; saiba mais!

Literatura

7 livros que inspiraram ótimas séries e valem a leitura

Literatura

10 livros em quadrinhos que você precisa ler se gosta do formato

Literatura

5 clubes de assinatura de livros para você experimentar

Literatura