Guia da Semana
Literatura
Por Nathália Tourais

10 livros que você não leu na época da escola e deveria ler hoje

Veja quais títulos indicados na sua adolescência merecem ser lidos.

Livros que você não leu na época de escola e deveria ler hoje (Fotolia )

É muito comum que os adolescentes não leiam as obras literárias indicadas na escola. Aliás, a grande maioria não leu nenhum deles ou leu e não gostou. Entretanto, alguns títulos são extremamente enriquecedores e hoje, mais velhos, já com o gosto pelos livros formado e outra concepção de leitura, talvez seja uma ótima oportunidade de ler ou reler alguns deles.

Por isso, listamos 10 livros que você não leu na escola e deveria ler hoje. Confira:

1- CAPITÃES DE AREIA

Esta obra narra a história da vida urbana de meninos pobres e infratores que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. O livro vai revelando os personagens, cada um deles com suas carências e suas ambições - do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca.



2- DOM CASMURRO

Em 'Dom Casmurro', Machado de Assis construiu a intimidade de um viúvo obcecado, Bentinho, pela busca de uma certeza sobre o grande amor de sua vida, Capitu.



3- O AUTO DA BARCA DO INFERNO

O Auto da barca do Inferno, de Gil Vicente, é uma sátira impiedosa da sociedade portuguesa do século XVI, e uma alegoria dramática- duas são as barcas em que os personagens podem subir; a do Inferno, munida do Diabo, e a da Glória, encabeçada pelo Anjo. Assim, é realizado o auto do julgamento das almas, e a maior parte delas segue na primeira barca. Entre os 'réus', um agiota, um sapateiro rico, um tolo, uma alcoviteira, um usuário, quatro cavaleiros e um frade corrupto, além de outros representantes da humanidade.

Ninguém é salvo ou condenado em função de sua classe social. O que conta é o seu comportamento com relação ao próximo, é sua verdade moral ou ética, sua consciência acerca dos atos que cometeu. Escrita há tantos anos, esta peça ainda guarda uma surpreendente atualidade para os leitores do século XXI.



4- MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS

Em 'Memórias póstumas de Brás Cubas', Machado de Assis busca construir, na figura de um 'defunto-autor' e não um 'autor-defunto' - como bem se define o próprio Brás Cubas -, o motivo central de sua crítica à sociedade, pois estando distanciado do mundo dos vivos, o morto Brás Cubas destrói, a partir de suas relações sociais, a sociedade do Brasil do século XIX, com seus vícios, seu parasitismo e suas mesquinharias.



5- LUSÍADAS

"Os Lusíadas" de Luís Vaz de Camões, publicado em 1572, é considerada a maior obra da literatura portuguesa. Este poema épico conta os feitos heróicos dos navegadores portugueses que abriram caminhos novos pelos mares. Vasco da Gama e os marinheiros que o acompanharam até à Índia são os protagonistas deste poema épico que muito deve a mitologia e cultura clássica.



6- MACUNAÍMA

A saga de Macunaíma 'Imperador do Mato' começa quando ele perde sua muiraquitã, um amuleto de pedra que havia ganhado de Ci, a Mãe do Mato. Acompanhado de seus irmãos Maanape e Jiguê, o herói viaja para o Sul em busca do amuleto, que estava em poder do fazendeiro peruano Venceslau Pietro Pietra. Encantado com a 'civilização moderna', Macunaíma, de certa forma, se vê dividido entre seu reino e as maravilhas de 'São Paulo, a maior cidade do universo' .



7- A HORA DA ESTRELA

A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo pelo escritor Rodrigo S.M., alter-ego de Clarice Lispector, de um modo que busca permitir aos leitores acompanhar o seu processo de criação. O autor faz o relato da vida triste e sem perspectiva da alagoana Macabéa, pontuada com as informações do 'Você sabia?' da rádio Relógio, sinistro metrônomo a comandar o ritmo de seus últimos dias de vida. Para a cartomante Carlota, a quem Macabéa procura em busca de um sopro de esperança, esses dias derradeiros deveriam ser coroados com o casamento com um estrangeiro rico. Mas, ironicamente, Macabéa termina sob as rodas de um automóvel de luxo Mercedes-Benz.



8- MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS

A linguagem popular e a vida das camadas pobres e médias são as protagonistas deste romance que faz uma crônica de costumes do Brasil de dom João VI. Publicado pela primeira vez como folhetim, este romance descreve a trajetória do anti-herói Leonardo, endiabrado filho de imigrantes portugueses que, após uma infância atribulada, escolhe a vadiagem como ocupação e, depois de inúmeros percalços, acaba se tornando um sargento de milícias. O livro contém um suplemento de leitura, com informações sobre a linguagem, os personagens, resumo da obra e etc.



9- OS SERTÕES

Uma comunidade do sertão mais profundo do Brasil enfrenta numerosos batalhões de soldados, recrutados de todos os cantos do país. 'Os Sertões' narra os episódios da Guerra de Canudos e descortina um território desconhecido e esquecido, junto com o seu elemento humano.



10- ANJO NEGRO

Ismael e Virgínia - ele negro, ela branca - parecem viver em desgraça- seus filhos morrem precocemente e de forma inexplicável. Quando, no dia do enterro da terceira criança, o casal recebe a inesperada visita de Elias, o irmão branco e cego de Ismael, inicia-se uma história macabra de desejo e morte, que beira a loucura. Com um enredo trágico e polêmico, que envolve racismo, estupro e incesto, 'Anjo negro', de 1946, esteve sob censura durante dois anos, e só estreou em 1948.


Por Nathália Tourais

Atualizado em 12 Set 2015.

Mais notícias

7 motivos para ler mais histórias em quadrinhos

Literatura

10 biografias imperdíveis para ler (ou reler) na quarentena

Literatura

10 livros de suspense para ler em 2020

Literatura

10 livros nacionais recentes para ler em 2020

Literatura

6 romances recentes para ler em 2020

Literatura

10 clubes de leitura em São Paulo para participar se você ama livros

Literatura