Guia da Semana
Literatura
Por Nathália Tourais

9 livros para entender mais sobre o Brasil

No cenário politico e social atual, saber mais sobre a história do nosso país é também necessidade.

Para entender seu país, é necessário viajar por sua história (WWF)

O mundo, e em especial o Brasil, acordou para os assuntos políticos e sociais. As pessoas, que antes não se interessavam e tinham preguiça de pensar política - muitas vezes simplesmente por não entender - hoje buscam em noticiários, jornais, revistas, filmes e livros, informações sobre os cenários atuais e também histórias de movimentos, influências e direcionamentos para, assim, conseguirem ter um posicionamento melhor em relação aos acontecimentos, formando opiniões baseadas em fatos e não apenas em achismos.

Visando este cenário atual, o Guia da Semana listou 9 livros que você precisa ler para entender mais o Brasil. Confira: 

RAÍZES DO BRASIL - SÉRGIO BUARQUE DE HOLANDA

Nunca será demasiado reafirmar que Raízes do Brasil inscreve-se como uma das verdadeiras obras fundadoras da moderna historiografia e ciências sociais brasileiras. Tanto no método de análise quanto no estilo da escrita, tanto na sensibilidade para a escolha dos temas quanto na erudição exposta de forma concisa, revela-se o historiador da cultura e ensaísta crítico com talentos evidentes de grande escritor. A incapacidade secular de separarmos vida pública e vida privada, entre outros temas desta obra, ajuda a entender muito de seu atual interesse. E as novas gerações de historiadores continuam encontrando, nela, uma fonte inspiradora de inesgotável vitalidade.

 

 

 

O POVO BRASILEIRO - DARCY RIBEIRO

Por que o Brasil ainda não deu certo? Quando chegou ao exílio no Uruguai, em abril de 1964, Darcy Ribeiro queria responder a essa pergunta na forma de um livro-painel sobre a formação do povo brasileiro e sobre as configurações que ele foi tomando ao longo dos séculos. A resposta veio com este que é o seu livro mais ambicioso, fruto de trinta anos de estudo - uma tentativa de tornar compreensível, por meio de uma explanação histórico-antropológica, como os brasileiros se vieram fazendo a si mesmos para serem o que hoje somos. Uma nova Roma, lavada em sangue negro e sangue índio, destinada a criar uma esplêndida civilização, mestiça e tropical.

 

 

 

 

O ABOLICIONISMO - JOAQUIM NABUCO

Esta obra busca ser não apenas uma defesa da libertação dos escravos, mas um programa de reforma da sociedade imperial e uma crítica de suas estruturas e instituições. Deseja expressar uma época em que despontavam as primeiras manufaturas capitalistas e começavam a se reformular as relações, as ideias, as instituições e as próprias classes sociais.

 

 

 

 

 

 

 

 

SER ESCRAVO NO BRASIL - KÁTIA DE QUEIRÓS MATTOSO

Nesta obra, a autora procura vincular o local, o regional, com uma visão de conjunto, além de abordar temas, tais como o da alforria e do liberto, em suas ligações com o escravismo em geral.

 

 

 

 

 

 

 

 
 

 

A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE DE CLASSES - FLORESTAN FERNANDES

O livro é dividido em dois volumes e é um marco na sociologia brasileira em mais de um sentido. De um lado, é uma das teses mais famosas já apresentadas na USP e, de outro, é a consolidação de nosso maior sociólogo, assim como o pleno desenvolvimento de sua sociologia histórica. Se no volume I o autor coloca em xeque de modo explícito “o mito da democracia racial”, além de promover um deslocamento conceitual e geográfico da questão racial no Brasil, introduzindo, de um lado, a abordagem marxista da sociedade de classes, e de outro, o caso paulista em lugar do nordestino, no volume II, mais propriamente sociológico e menos conceitual-histórico, Florestan Fernandes aborda diretamente o movimento ou movimentos negros — ou melhor, a emergência e as perspectivas de tais movimentos na sociedade e na política brasileiras.
 

CASA GRANDE E SENZALA - GILBERTO FREYRE

A edição comemorativa do livro conta com textos de Darcy Ribeiro, Roland Barthes, entre outros, que mostram a recepção crítica do livro ao longo dessas oito décadas. Valorizando o papel do negro na história brasileira, exaltando a miscigenação racial, desmistificando preconceitos e reconhecendo a originalidade de nossa cultura, Gilberto Freyre revolucionou a historiografia. Com uma linguagem que em muitos aspectos se aproxima da literatura e, por vezes, com um tom irreverente, Freyre abalou o meio intelectual dos anos 1930 com este livro ao apresentar, por meio de uma sólida pesquisa em arquivos e bibliotecas do Brasil e do exterior, a miscigenação racial como uma vantagem da sociedade brasileira. Esse posicionamento era bastante polêmico não somente no Brasil como também no exterior, visto que no mesmo ano de 1933, Adolf Hitler assumia na Alemanha o posto de chanceler do III Reich, propagando a doutrina da raça ariana pura.
 

FORMAÇÃO DO BRASIL CONTEMPORÂNEO, COLÔNIA - CAIO PRADO JUNIOR

A obra acerca do pensamento social e da historiografia brasileira e apresenta texto sobre as relações entre nação e colônia no processo histórico que originou o Brasil. O livro trata, entre outros assuntos, do sentido da colonização; Povoamento; Raças; Economia; Grande lavoura; Agricultura de subsistência; Mineração; Pecuária; Produções extrativas; Artes e indústria e vida social e política.

 

 

 

 

 

 

AMERICA LATINA, MALES DA ORIGEM - MANOEL BOMFIM

Trata-se de uma das principais obras do historiador sergipano que, por tanto incomodar os conservadores, passou muitas décadas esquecido. Em seu ensaio, Darcy Ribeiro analisa o pioneirismo do autor na interpretação crítica da América Latina, e o prefácio de Franklin de Oliveira examina as razões do silêncio que o envolveu durante anos. Como destaca Antonio Candido, Manoel Bomfim prova que, na América Latina, o conservantismo, fruto do parasitismo, é o grande 'mal de origem'. Livro hoje reconhecido como clássico na bibliografia sobre América Latina e Brasil, ganhou edição revista, com capa e diagramação novas, em comemoração ao Centenário de seu lançamento (1905).

 

 

 

HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA - SÉRGIO BUARQUE DE HOLANDA

Abrange cronologicamente a História do Brasil até 1964. Totalizando 11 volumes, a obra - dirigida por Sérgio Buarque de Holanda (períodos colonial e monárquico) e Boris Fausto (período republicano) - retrata diferentes campos da formação histórica do país, desde a organização material da sociedade até as formas de cultura e do pensamento. Este décimo primeiro volume, o último da coleção, analisa economia e cultura brasileiras entre a Revolução de 1930 e o Golpe Militar de 64. Os dois primeiros volumes são dedicados à época colonial - Do descobrimento à expansão territorial e Administração, economia, sociedade. 
 

1808 - LAURENTINO GOMES

O propósito deste livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar a história da corte lusitana no Brasil, a fim de devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. '1808 - Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil' é o relato de um dos principais momentos históricos brasileiros.


Por Nathália Tourais

Atualizado em 1 Abr 2015.

Mais notícias

Santos recebe a maior livraria flutuante do mundo em agosto; saiba mais!

Literatura

7 livros que inspiraram ótimas séries e valem a leitura

Literatura

10 livros em quadrinhos que você precisa ler se gosta do formato

Literatura

5 clubes de assinatura de livros para você experimentar

Literatura

Até 2 de setembro: Amazon realiza 'Book Friday' com produtos até 80% mais baratos; saiba mais!

Literatura

10 chefs famosos que lançaram livros

Literatura