Guia da Semana

A disco music ontem e hoje

Harmony Cats, Bee Gees e Donna Summer são alguns exemplos clássicos do ritmo - e que se mantém vivo até hoje.

Foto: Divulgação / My Space

Os Bee Gees eram a sensação das pistas com seu Stayin` Alive nos anos 70

Na década de 70, as discotecas embalavam os sábados com o ritmo da disco music. Era uma forma de liberdade de expressão em que negros, latinos e gays criavam um movimento nos subúrbios de Nova York.

Isso se expandiu e virou fenômeno: além da música com influências do funk, soul e ritmos latinos, também houve uma moda em cima disso, com saltos plataformas e calças boca-de-sino. Muitos artistas apareceram nessa época e se firmaram no cenário. Podemos citar Michael Jackson, Donna Summer e os Bee Gees.

Com o tempo, o estilo foi saturando e perdendo suas forças, dando espaço, mais tarde, para a dance music. Mas nem por isso foram esquecidos seus arranjos característicos e marcantes.

Nos anos 80, por exemplo, o Brasil mostrou canções influenciadas pela disco com Rita Lee, Harmony Cats e Gretchen, mas sem serem rotuladas como tais. Atualmente, a música eletrônica está cada vez mais forte, as produções no segmento não param e, como qualquer tendência, ela vem e volta.

Isso aconteceu com a disco. DJs e produtores estão trazendo novamente esse clima para as pistas. Artistas atuais usam esses elementos em suas músicas, atualizando com batidas mais fortes.

Um grande exemplo é a dupla francesa Daft Punk, que fez escola no meio dos anos 90 e inovou a house music. Em 2001, foi lançado o hit One More Time, trazendo mais uma vez essa roupagem bem atual e que se expandiu para o mundo todo. Nessa época, também Kylie Minogue retornou às paradas com o sucesso de Can`t Get You Out Of My Head.

Essa mesma ideia pode ser vista claramente em artistas atuais que bebem na fonte da disco, como os franceses do Justice e Breakbot, os noruegueses do Röyksopp, e também Le Knight Club e Stardust - projetos paralelos da dupla Daft Punk.

Aqui no Brasil, o destaque desse segmento fica para a dupla We Say Go, que também acrescentam uma pegada rock em seus sets. Pois então, independentemente da época, a música boa sempre estará em nossos ouvidos. Arrisque uns passinhos e caia na noite!

Leia a coluna anterior de Marcos Chapeleta:

Technotronic e o poperô

Quem é o colunista: Além de ser apaixonado por música, gosto de estar de bem com a vida e sempre pensar positivo..

O que faz: DJ, baterista, além de atuar na área corporativa.

Pecado gastronômico: Comida japonesa é comigo mesmo.

Melhor lugar do mundo: Me veio na cabeça a ilha de Lost (rs).

O que está ouvindo no carro, iPod ou mp3: Rock e Pop (a essência, é claro).

Fale com ele: chapeletatosko@gmail.com, ou siga seu blog e Twitter.



Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Divulgados os indicados ao Grammy Latino 2018; confira!

Chico Buarque, Elza Soares e J Balvin estão na lista

As melhores músicas de 2018... até agora

Confira alguns singles que conquistaram pessoas ao redor de todo o mundo e deram o que falar

12 músicas que falam sobre comida (e que você precisa adicionar na sua playlist)

Canções inspiradoras que vão abrir o apetite de qualquer um

Os melhores clipes de 2018... até agora

Confira algumas produções que têm se destacado no mundo da música

Conheça as músicas da Copa do Mundo de 2018

Tem funk, pop, samba e até mistura de axé com funk!

Mais de 15 funks obrigatórios na playlist do Carnaval 2018

Funk pode não ser o seu gênero musical preferido, mas que ele anima qualquer festa, ele anima

Cadastre-se para
NOVIDADES

Receba ofertas de
PASSAGENS

×
Receba novidades do Guia da Semana

Whatsapp Guia da Semana
Receba nossos tópicos mais quentes e notícias fresquinhas em seu Whatsapp

CADASTRE-SE

Notificações em seu PC ou celular
Receba notificações instantâneas com nossos tópicos mais quentes e notícias fresquinhas

CADASTRE-SE

Ofertas de passagens
Receba as melhores ofertas e promoções de passagens aéares em seu Whatsapp.

CADASTRE-SE

Newsletter do Guia da Semana
Dicas semanais para aproveitar o melhor que a cidade tem a oferecer.