Guia da Semana
Música
Por Redação Guia da Semana

Lobão se reinventa a cada disco

O polêmico cantor lança seu novo CD "Canções Dentro da Noite Escura", com parcerias póstumas.

Por Gabriela Agustini


Polêmico. Essa talvez seja a palavra que melhor define o músico, cantor e também compositor João Luiz Woerdenbag Filho, o Lobão. Conhecido por suas posturas combativas e declarações bombásticas, o artista continua ativo como nunca e acaba de lançar mais um disco, talvez o mais autoral de carreira.

Em Canções Dentro da Noite Escura, Lobão compõe, canta, toca guitarra, bateria e faz até o back in vocal. As parcerias são apenas com companheiros que não estão mais estre nós, como Cazuza e Júlio Barroso: "Essa foi a espinha dorsal emocional do disco, os amigos que se foram, mas que continuam vivos em mim", conta do Rio de Janeiro em entrevista exclusiva por telefone. O álbum traz ainda uma música em homenagem à Cássia Eller, escrita por Lobão na noite da morte da cantora.

O CD comemora a 10ª edição da revista Outracoisa, lançada pelo músico há quase 2 anos e responsável por colocar no mercado títulos de bandas importantes no cenário independente como Cachorro Grande e Mombojó. Além de toda atuação no meio musical, Lobão apresenta um programa de entrevistas, o Saca Rolha, ao lado do jornalista Marcelo Tas e da modelo Mariana Weickert, no canal 21. Depois de um tempo no ostracismo chegou a hora do Lobão atacar por todos os lados!

Leblon
Em meio a lembranças desses amigos que partiram, Lobão resolveu criar um cenário para o seu novo disco. O lugar escolhido não poderia ser outro. Como o Leblon serviu de ponto de encontro entre ele e vários outros artistas como Júlio, Cazuza e Cássia, que também viviam por lá, o álbum inteiro foi ambientado no bairro da zona sul carioca. Mas, o Leblon do Lobão é um Leblon idealizado, delirante, como ele mesmo classifica: "Fiz o disco perambulando pelo Leblon, daí resolvi criar um Leblon idealizado, fastasmático. Um cenário delirante para eu poder conversar com os outros", conta.

Cazuza, Júlio Barroso e Cássia Eller
Lucinha Araújo, mãe do Cazuza, entregou a letra de Seda ao Lobão, que deu para Ney Matogrosso incluir no show sobre o Cazuza. Como isso não aconteceu, o cantor resolveu usá-la em um próximo disco. Duas semanas depois, o poema de Júlio chegou às suas mãos, motivando a idéia do disco. "Resolvi incorporar isso e deixei como espinha dorsal emocional do meu novo CD. Inclui também a música que escrevi para a Cássia no dia da sua morte. Como ela sempre tinha sido a nossa porta-voz, resolvi fazer do disco um reencontro com esses amigos que vivem em mim", explica o cantor.

Continua...

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

10 álbuns lançados em junho para ouvir o quanto antes

Música

Os 10 melhores álbuns de 2020... até agora

Música

12 artistas negros que você precisa conhecer e ouvir o quanto antes

Música

12 álbuns lançados em maio de 2020 que você precisa ouvir o quanto antes

Música

De Nina Simone a Deep Purple, plataforma de streaming disponibiliza mais de 50 shows do Montreux Jazz Festival; saiba tudo!

Música

8 álbuns lançados em abril que você precisa escutar o quanto antes

Música