Guia da Semana
Música
Por Ricardo Archilha

"Mesmo Se Nada Der Certo" coloca a música como protagonista e conquista com uma improvável e divertida história de superação

Estrelado por Mark Ruffalo e Keira Knightley, o filme chega aos cinemas no dia 24 de julho.

E não é que a química entre Mark Ruffalo e Keira Knightley deu certo?! (Divulgação )

Falar de cinema e deixar a música de lado não é só impossível, como injusto. Caminhando juntas, as duas artes são complementares, se não essenciais. Afinal, de que adianta um bom filme sem uma boa trilha sonora? E quando a música aparece como protagonista, o resultado é, na maioria das vezes, encantador. E não estamos falando dos famigerados musicais - dos quais uns amam, outros odeiam. E sim de filmes que usam a melodia como tema central de suas tramas. É o que acontece em Mesmo Se Nada Der Certo, comédia romântica estrelada por Mark Ruffalo, Keira Knightley, Adam Levine - e até Cee Lo Green, cuja estreia prevista é para o dia 24 de julho.

Dan (Ruffalo) é um produtor musical frustrado que acaba de perder o seu emprego na agência que ele próprio fundara. Divorciado, ele leva o estilo de vida típica de um perdedor: acorda tarde, enche a cara e sequer sabe a idade da filha. As coisas parecem mudar quando ele conhece Gretta, uma jovem britânica prestes a deixar Nova York após levar um fora do namorado (Levine), cuja fama recente como cantor fez colocar seu relacionamento em segundo plano. Acontece que ela é uma compositora indie e sua voz desperta em Dan o antigo faro para descobrir novos talentos. Sem o aval de seu ex-sócio, a dupla embarca em uma difícil missão: produzir de forma independente um demo para Gretta.

É aí que a música entra em cena e acompanha o filme até o fim. Sem dinheiro para alugar um estúdio, Dan, Gretta e seu time de músicos pobretões usam o cenário de Nova York para gravar as canções. A amizade entre os dois cresce, mesmo que os laços emocionais com seus antigos parceiros apareça aqui ou ali. Dessa forma Mesmo Se Nada Der Certo vai na contramão de romances tradicionais, ao não deixar claro o nascimento de um romance entre os dois. Será que ela vai ficar com ele? Com o ex? Será que ele vai voltar para a antiga esposa? As perguntas que geralmente borbulham nesse tipo de filme não são providas, necessariamente, de uma resposta. Aliado a trilha sonora, o humor leve, porém não menos inteligente, proporciona uma agradável e sedutora sessão. É difícil não entrar no ritmo, mesmo que, precisamos confessar, os vocais de Knightley soem, às vezes, um pouco irritantes.

Não é a primeira vez que o diretor John Carney embarca em um musical - e em um romance. Apenas Uma Vez, de 2006, segue o amor entre dois cantores em Dublin e faturou prêmios em importantes festivais como o Independent Spirit Awards e o Festival Sundance de Cinema. Nascido na Irlanda, falar de estrangeiros longe de sua terra natal também é recorrente em sua filmografia, como é o caso de The Rafters, de 2012. Com atores mais famosos, Mesmo Se Nada Der Certo promete empurrar a carreira de Carney para o mainstream. Levando em conta os recorrentes clichês de qualquer comédia romântica, o filme tem tudo para conquistar o público. Pode esperar que vai valer a pena!

ASSISTA SE VOCÊ:

  • Gosta de musicais
  • Quer assistir a uma comédia leve e divertida
  • Gosta de ser surpeendido

NÃO ASSISTA SE VOCÊ:

  • Não gosta de musicais
  • Prefere comédias mais inteligentes e com humor negro
  • Espera um final clichê

Por Ricardo Archilha

Atualizado em 3 Fev 2015.

Mais notícias

Os 10 melhores álbuns de 2020... até agora

Música

12 artistas negros que você precisa conhecer e ouvir o quanto antes

Música

12 álbuns lançados em maio de 2020 que você precisa ouvir o quanto antes

Música

De Nina Simone a Deep Purple, plataforma de streaming disponibiliza mais de 50 shows do Montreux Jazz Festival; saiba tudo!

Música

8 álbuns lançados em abril que você precisa escutar o quanto antes

Música

13 discos lançados em março de 2020 que você precisar ouvir o quanto antes

Música