Guia da Semana
Música
Por Redação Guia da Semana

Música no espeto

Cantar enquanto seu público saboreia uma picanha não é tarefa fácil. Saiba como é a vida de um cantor de churrascaria.


Uma das marcas registradas dos cantores de churrascaria é o figurino chamativo

Entre peças de picanha e rodadas de polentinha frita, quem nunca foi surpreendido com Detalhes ou Hotel Califórnia? Você pode até perder o apetite só de pensar nisso, mas a verdade é que diversos músicos consagrados já passaram pelos palcos de rodízios e festas interioranas. Chitãozinho e Xororó, Ivete Sangalo, Emílio Santiago e Jair Rodrigues, apenas para citar alguns, já deram um tostão de suas vozes aos apreciadores de carnes suculentas.      

E entre um hit de gosto duvidoso e uma garfada na maminha, é possível se contagiar e arriscar um refrão (mesmo de boca cheia). Assim é a rotina do famoso cantor de churrascaria, que costuma se dividir em dois perfis de músicos: aquele em início de carreira ou que já chegou ao fundo do poço. Qualquer que seja a situação, ambos sempre possuem algo em comum em suas performances: uma seleção de canções que agrada a todos os famintos.

Voz em brasa

Ser taxado de cantor de churrascaria é um rótulo que quase ninguém gostaria de carregar, mas que segundo os próprios, poucos conseguem fazer. Lidar com o humor dos clientes e escolher o gênero ideal para cada ocasião requer um feeling apurado, como explica José Maria Teixeira do Nascimento, o Zezo, no ramo há 18 anos. "Não existe essa de escolher onde e o que tocar. Eu canto de tudo um pouco. Forró, axé, música popular, até em inglês, se me pedirem. Tocar em restaurantes é engraçado às vezes. Você encontra de tudo, do conhecido ao bêbado pedindo música", afirma o autointitulado Príncipe dos Teclados. 

Foto: Divulgação

Zezo, o Príncipe dos Teclados, em uma de suas apresentações

Sem glamour

Programas de auditório, arenas lotadas, capas de revistas... Essa realidade está distante dos músicos de churrascaria, que costumam levar uma vida instável. "Alguns conseguem contratos com determinados restaurantes, mas esse não é o meu caso. Nunca me faltou trabalho, mas é complicado viver sem saber se você vai ter grana para o mês todo", comenta Geraldo Coelho, na estrada há 17 anos. Para o alento de Geraldo, as agendas das churrascarias costumam ser bem movimentadas em datas como o dia das mães e dos namorados, garantindo shows em épocas de vacas magras (sem trocadilhos).

Estilo cheguei

Quando se fala em palcos bovinos, outra característica marcante é o visual de seus artistas. Eles costumam se apresentar com roupas extravagantes, com estilos que puxam ora para o country, ora para o brega. O importante é chamar a atenção de um executivo de gravadora anônimo, para quem sabe, receber o sonhado convite para gravar um álbum. "Gosto de cantar música sertaneja de origem, tem tudo a ver com churrascaria. Uso jeans, calça de couro, cinto, bota de cowboy, camisa xadrez, colete e chapéu", comenta Zezo.

Foto:sxc.hu

Vai um hit brega para acompanhar a maminha?

Performances criativas também valem. Mas nem sempre terminam bem. "Uma vez, eu estava cantando e resolvi andar entre as mesas. Enquanto eu andava e cantava, tomei um baita tombo. A churrascaria inteira deu risada. Por essas e outras, bom-humor é fundamental", conta Geraldo.

Couvert artístico

Ao mesmo tempo que muitos torcem o nariz para cantores românticos e duplas sertanejas, os números de vendagem de álbuns do gênero dizem o contrário. A conta bancária dos artistas e suas mansões estampadas em revistas de celebridades são prova disso. Mas apesar de geralmente apostar no filão, cantores de churrascaria têm direito a uma fatia do bolo muito menor. O valor cobrado pelas apresentações flutua entre R$ 50 até R$ 1.000, de acordo com o dia, a duração do show e a época do ano. "Lugar para tocar não falta. Precisa colocar a cara na rua. O melhor de fazer música popular em lugares como churrascarias é que o povo acolhe muito bem a gente. A grana, mesmo sendo curta, dá pra pagar as contas e levar a vida", comenta Geraldo.

 As 10 mais quentes do rolete

Djavan - Oceano
Só pra contrariar - Que se chama amor
Chitãozinho e Xororó - Fio de cabelo
Roberto Carlos - Detalhes
Bruno e Marrone - Dormi na praça
Raul Seixas - Metamorfose Ambulante
Wando - Fogo e Paixão
Zezé di Camargo e Luciano - É o amor
Reginaldo Rossi - Garçom
Fagner - Borbulhas de amor



Atualizado em 19 Nov 2012.

Mais notícias

Músicas que prometem bombar no Carnaval 2019

Música

10 músicas que prometem bombar no verão 2019

Música

Saiba como assistir ao Grammy Latino 2018 ao vivo

Música

Divulgados os indicados ao Grammy Latino 2018; confira!

Música

As melhores músicas de 2018... até agora

Música

12 músicas que falam sobre comida (e que você precisa adicionar na sua playlist)

Música