Guia da Semana
Arte
Por Redação Guia da Semana

Samba da vela

Longe de ser um ritual religioso, a festa é uma reunião da comunidade de Santo Amaro em volta de uma mesa de samba e de uma vela.

A comunidade se reúne em torno da vela - e o samba rola solto (Divulgação)

Samba da vela

Preço(s) R$ 5 (a contribuição é voluntária)

Horário(s) A partir das 20h30.

Praça Francisco Ferreira Lopes, 434, Sul 04751-070

Telefone (11) 5522-8897

Quem curte um sambinha de fim de semana sabe que a festa até tem hora para começar, mas não para acabar. Não é para menos: a galera se empolga, começa a cantar, aí chega mais um e se junta ao grupo e a cantoria segue. Mas uma turma de quatro sambistas de Santo Amaro teve uma ideia inusitada: reunir a comunidade para uma rodinha, só que a festa dura o tempo que uma vela demora para se queimar inteira. Assim surgiu o Samba da Vela que, religiosamente, se apresenta às segundas-feiras a partir das 20h30, na Casa de Cultura de Santo Amaro.

O espaço da associação fica tomado pelas pessoas, que se sentam em volta da roda e cantam com os sambistas. Eventualmente, o grupo convida cantores e compositores para participar das sessões. Para que a festa não entre madrugada adentro, a vela que dá nome à roda foi a solução encontrada para delimitar o tempo de apresentação do grupo. Ela leva cerca de três horas para se queimar por completo. É quando todo mundo canta A comunidade chora e, assim, por volta das 23h, todos sabem que é hora de guardar os pandeiros para a sessão da semana seguinte. Além disso, uma sopinha deliciosa é servida para terminar a festa. 

 

Não bastasse a vela ser o cronômetro do grupo, sua cor mostra aos frequentadores o tipo de samba que é executado. No começo do ano, a vela tem a cor rosa. Isso significa que o Samba está entoando canções totalmente inéditas, criadas pelos fundadores, pelas pessoas da comunidade ou por quem vem de fora - a festa é aberta ao público. "A gente vai avaliando o samba, vê se ele é bom e, depois de mais ou menos uns três meses, escolhemos os melhores. Aí a cor da vela muda, é a vela azul", explica Sousá. É como se fosse um período de avaliação, em que as composições são analisadas e escolhidas para entrar no "caderno", que é o livro oficial do Samba da Vela. Quando as quase 20 músicas, que serão cantadas no resto do ano, são escolhidas, a vela acesa no meio da mesa é a branca. Quando um novo ano começa, o ciclo tem início novamente. Igualzinho a uma roda.

 


Mapa do local

Explore ao redor

Casa de Cultura Manoel Cardoso de Mendonça

Arte

Biblioteca Presidente Kennedy

Arte

DPNY Beach Hotel

Na Cidade

Biblioteca Belmonte

Arte

Habibs - Praça Floriano Peixoto

Restaurantes

Bar Ziriguidum

Bares

Notícias recomendadas

B3 cede obras de grandes nomes do movimento modernista ao MASP

Arte

Inhotim lança duas novas exposições virtuais no Google Arts & Culture

Arte

Google Arts&Culture disponibiliza obras do artista plástico e militante político Antonio Benetazzo; saiba mais!

Arte

Agora você pode visitar a exposição dos 20 anos de Harry Potter em uma plataforma online do Google; saiba mais!

Arte

Museu da Empatia chega a São Paulo com instalação interativa; saiba mais!

Arte

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Arte