Guia da Semana

Guia da Semana

"Nossos ídolos ainda são os mesmos". A letra composta por Belchior foi entoada por uma das vozes mais viscerais da MPB, que há 30 anos fez o Brasil chorar sua perda. Elis Regina foi encontrada morta no apartamento que morava em São Paulo no auge de seus 36 intensos anos, e após uma suposta mistura de cocaína e álcool.

>> Veja os shows que acontecem nesta semana
>> Nova turnê do Paul McCartney pelo Brasil
>> Madonna marca seu retorno aos palcos do Brasil
>> Show e exposição de Elvis Presley vêm ao Brasil

Considerada por muitos críticos a melhor cantora brasileira de todos os tempos, uma de suas características mais marcantes era o temperamento forte.

Suas apresentações eram marcadas por grandes performances, que iam de risos a ódio e até lágrimas, o que a tornou referência para tantas outras divas da música.

Elis Regina Carvalho Costa nasceu no dia 17 de março de 1945, em Porto Alegre. Ainda bem jovem, aos 11 anos, começou a cantar em programas de rádio de sua cidade. Até que entre 1961 e 1963 lançou quatro discos.

Porém, começou a fazer sucesso e em 1964 partiu do Rio Grande do Sul. No ano seguinte, interpretando "Arrastão", composição de Edu Lobo e Vinicius de Moraes, e veio o grande reconhecimento nacional. Elis venceu o primeiro Festival de Música Popular Brasileira e despontou.

Homenagem

Mãe de João Marcelo Bôscoli, fruto de seu primeiro casamento com o músico Ronaldo Bôscoli, e de Pedro Camargo Mariano e Maria Rita, com o pianista César Camargo Mariano, no ano que marca os 30 anos de seu falecimento, sua filha Maria Rita homenageia a mãe com cinco shows gratuitos dedicados ao seu repertório.

O projeto Viva Elis começa em Porto Alegre (24/03), segue para Recife (01/04), Belo Horizonte (8/04), e após São Paulo, no Parque da Juentude, no dia 5 de maio, vai para o Rio de Janeiro (13/5).

Além dos shows, o projeto reúne uma exposição multimídia itinerante sobre a vida de Elis, organizada pelo filho da intérprete João Marcelo Bôscolli. O público pode relembrar sua trajetória através de fotos, vídeos, músicas e depoimentos.

Confira cinco performances da cantora que mostram porque Elis deixou saudade e é ainda hoje uma das vozes femininas mais célebres da música brasileira.

Águas de Março
Composição: Tom Jobim


Como Nossos Pais
Composição: Belchior



O Bêbado e o Equilibrista
Composição: Aldir Blanc e João Bosco



Madalena
Composição: Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza




Atrás da Porta
Composição: Chico Buarque

Por Marcus Oliveira

Atualizado em 23 Abr 2012.