Guia da Semana
Shows
Por Redação Guia da Semana

A história do pop

O ritmo levou e leva, até hoje, multidões ao delírio. Saiba por que o pop consegue atrair gregos e troianos e atinge a todos por igual.

Com músicas dançantes, Katy Perry levanta a galera em qualquer lugar (Divulgação)

O pop (de popular) é aquela música que tem um pouco de tudo, agrega todo mundo e arrasta multidões. Pode ter uma pegada de rock, dance, rap, funk e metal, só para ficar em alguns gêneros. Justamente por não ter uma cara específica, dá até para dizer que o nome foi criado para classificar aquele som que todos cantam, dançam e pedem bis. Mas quando o pop surgiu?

O comecinho do pop vem bem antes mesmo do rock, lá pelos anos 30, nos Estados Unidos. O blues e o country já tinham algumas das características do gênero: ser fácil de cantar e, por isso, já faziam muito sucesso. Foram esses ritmos que criaram o rock, alguns anos depois. Mas foi nos anos 50 que o pop veio com tudo: Elvis Presley surgia no cenário musical como um ícone do rock, mas era adorado por fãs de todo o mundo. Daí para a frente, só tem celebridade: Marvin Gaye, Ray Charles e Stevie Wonder, com um passo mais romântico e cheio de suingue; Queen e David Bowie adicionaram a pitada do rock; os Backstreet Boys fizeram milhares de adolescentes suspirarem nos idos dos anos 90, com músicas cheias de amor e açúcar; Celine Dion, com sua voz doce, ficou conhecida com a universal My heart will go on do filme arrasa-quarteirão Titanic. Os anos 2000 trouxeram uma galera mais nova, cheia de energia e com coreografias de tirar o fôlego. Nesse grupo estão Britney Spears, Rihanna, Shakira, Katy Perry, Lady Gaga, Ke$ha, Justin Bieber e a lista vai longe.

Mas não podemos nos esquecer do rei e da rainha do pop, que são ainda mais célebres: Michael Jackson e Madonna. Esses fizeram muitas casas noturnas, festas de aniversário e reuniões com os amigos literalmente sair do chão com suas músicas dançantes e fáceis de cantar. Muita gente tentava - e tenta até hoje - fazer o passinho Moonwalk de Michael: praticamente impossível não se lembrar dele andando para trás como se deslizasse sobre o chão. Michael faleceu em 2009, mas suas músicas são eternas: Thriller, Who's Bad, Black or White, só para ficar em algumas, são hits em todas as rádios.

Já Madonna é a eterna diva da música pop. A norte-americana de 53 anos se reinventa a cada novo álbum lançado. De Like a Virgin para Erotica e, anos mais tarde, Music, Hang up e Celebration, ela mostra que não para no tempo. Além de ser uma quase unanimidade entre os adoradores do pop, ela é uma antecipadora de tendências. As roupas, cores e cabelos que ela usa nos seus clipes acabam virando moda e ícones fashion.

Mas a primeira década do século 21 trouxe novíssimos ares à música pop e, como dita o gênero, com misturas de ritmos diferentes. Lady Gaga é uma verdadeira camaleoa: seu cabelo muda de cor, literalmente, conforme a roupa que usa. Seus clipes são super-mega-master produções. Outra celebridade é Rihanna, cujas músicas têm uma pegada mais de hip hop. Ke$ha traz a balada de volta, tanto na batida quanto nas letras das suas músicas. Shakira se renovou no seu último álbum, Sale el Sol, inserindo o suingue latino na dance music - Loca é um exemplo disso. Todas essas musas estão no Rock in Rio 2011, e você vai ter a oportunidade de curtir, bem pertinho, toda a força das divas do pop. Jogue-se na pista!


Atualizado em 2 Dez 2011.

Mais notícias

Sandy e Junior no Brasil em 2019

Shows

Sandy e Junior: 21 músicas que queremos ouvir na turnê "Nossa História"

Shows

Sandy e Junior confirmam turnê comemorativa de 30 anos; primeiro show é em Recife, dia 12 de julho

Shows

10 atrações brasileiras que você não vai querer perder no Lollapalooza 2019

Shows

7 atrações do Lollapalooza 2019 que vêm ao Brasil pela primeira vez

Shows

9 shows imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Shows