Guia da Semana
Shows
Por Redação Guia da Semana

Cypress Hill

Fique por dentro da história do grupo que chacoalhou o hip hop latino nos anos 90.



O grupo de hip hop latino com pitadas de rock and roll, Cypress Hill, ganhou o mundo no início da década de 90 com o hit Insane in the Brain. Porém, tudo começou em 1988, quando os irmãos cubanos Senen Reyes (Sem Dog) e Ulpiano Sergio Reyes (Mellow Man Ace) - que se mudaram com a família de Cuba para o subúrbio de SouthGate, Los Angeles em 1971 - formaram o grupo de rap DVX (Devasting Vocal Excellence), juntamente com o ítalo-americano Lawrence Muggered (DJ Muggs) e o cubano nativo de Los Angeles, Louis (B-Real) Freese. Após a saída de Mellow Man Ice, em 1990, o trio passou a se chamar Cypress Hill, nome tirado de uma das ruas do bairro onde viviam.

 

Na mesma época os três rapazes conquistaram o reconhecimento da vizinhança local, com a gravação das demos The Phunky Feel One e How Could Just Kill a Man, que custou a bagatela de U$$65 mil, distribuída pela Sony. Em 1991, veio o primeiro álbum, Cypress Hill, que trouxe os hits Pigs, Latin Lingo, Tres Equis, Stoned is the Way e Hand on the Pump. O disco foi bem aceito pela mídia especializada, que o classificou como um dos melhores novos álbuns de 1991. Com as portas abertas, eles aproveitaram para manifestarem seu desejo quanto à conscientização e a legalização da maconha - e escreveram uma música, que tornou-se o hino da Organização Nacional pela Reforma das Leis da Marijuana (Norml). Com isso, o trio revolucionou o cenário musical americano.

 

No ano seguinte, as canções The Phunky Feel One e How Could Just Kill a Man, alcançaram um sucesso estrondoso entre as rádios de colégios dos Estados Unidos, além de How Could Just Kill a Man conquistar o primeiro lugar da WBLS, de Nova Iorque. Ainda em 1992, o Cypress Hill debutou no famoso festival alternativo Lollapalooza, liderado por Perry Farrell (vocalista do Jane´s Addiction). Após essa aparição, o grupo tornou-se capa da revista High Times. Em 1993, com o segundo disco, Black Sunday, o coletivo conquistou as paradas brasileiras, graças ao sucesso do hit Insane in the Brain, tendo seu clipe exibido diariamente pela MTV Brasil. O CD foi 1º lugar na parada da Billboard, além do single Insane in the Brain ter ganhado prêmio de platina-duplo e ter vendido mais de 3,25 milhões de cópias. A partir desse álbum o Cypress provou que a mistura de rock and roll e rap dá mais que certo, prova isso sas as participações especiais de Sonic Youth na faixa I Love you Mary Jane, e Pearl Jam, em Real Thing.

 

Em 1994, depois de integrarem o line-up da segunda versão do festival Woodstock, o trio voltou a ser um quarteto, com a entrada do ex-percussionista dos Beastie Boys, Eric Correa (Bobo). No mesmo ano, eles receberam o prêmio de melhor grupo de rap, no Rolling Stones Music Awards. Cypress Hill III - Temples of Boom, foi o terceiro trabalho da banda, e também o terceiro disco de platina da carreira. Porém, os vídeos das músicas foram censurados pela MTV americana, por conterem letras muito violentas - e o grupo se manifestou, dizendo que as músicas refletiam a realidade das ruas. No ano de 1996, o grupo passou a maior parte em turnê, que aportou em terras brasileira em setembro daquele ano, no festival Close-up Planet - que incendiou a pista do palco principal, onde também se apresentaram Silver Chair, Bad Religion e os punks ingleses do Sex Pistols.

Em 1997, o quarteto se dedicou a projetos paralelos, no caso de B-Real, ele trabalhou com os artistas Coolio, Bhusta Rymes, L.L. Cool J e Method Man, na música Hit ´em High, trilha sonora do filme Space Jam. Além de contribuir no álbum de Dr. Dree, Aftermath. O vocalista Sen Dog lançou seu primeiro trabalho solo, Get Wood Sampler, em 1998. Ainda no mesmo ano, o Cypress Hill gravou o álbum IV, que trouxe o sucesso Tequila Sunrise, e contou com as participações de Wyclef Jean and the Refugee AllStars, Gang Starr, Busta Rhymes e Canibus. O grupo fechou a década com o lançamento do disco Los Grandes Éxitos en Español, como o próprio nome já diz, o trabalho registrou os maiores hits da banda em versões latinas.

 

Em 2000, eles vieram com o CD duplo Cypress Hill V - Skull & Bones - o primeiro disco, Skull, é um hip hop de raiz, já o Bones, é um tributo dos rapazes ao bom e velho rock and roll. O resultado desse trabalho demonstrou mais uma vez que o quarteto sabe trabalhar muito bem com esses dois gêneros musicais, consolidadas nas faixas Rap Superstar e Rock Superstar. Rappers como Eminen, Everlast e Xzibit, elogiaram o álbum. Ainda nos anos 2000, eles lançaram The Instrumental Album (2001), Stoned Raiders (2001), Stash (EP, 2002), Till Death Do Us Part (2004), Greatest Hits From The Bong (2005), The Gunslinger vol. 1 (2005), The Gunslingers vol. 2 (2006), Rise Up (2010) e Cannabis Dream (2011). Em abril de 2011, o Cypress Hill voltou ao Brasil para uma única apresentação, no Credicard Hall, em São Paulo, ao lado da banda de nu metal Deftones.

 

Foto: Divulgação / My Space Oficial

Site oficial: http://cypresshill.com/home


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Mais de 12 shows imperdíveis em São Paulo em abril de 2019

Shows

Sandy e Junior no Brasil em 2019

Shows

Sidney Magal faz show no Quintal do Espeto Tatuapé no dia 11 de abril; saiba mais!

Shows

Sandy e Junior: 21 músicas que queremos ouvir na turnê "Nossa História"

Shows

Sandy e Junior confirmam turnê comemorativa de 30 anos; primeiro show é em Recife, dia 12 de julho

Shows

10 atrações brasileiras que você não vai querer perder no Lollapalooza 2019

Shows