Guia da Semana
Shows
Por Ezio Jemma

Guns` N Roses faz show cheio de clássicos em São Paulo

O público que lotou o Anhembi pôde ver quase 3 horas de sucessos da banda.

Guns`N Roses tocou por quase 3 horas (Felipe Panfili/Divulgação)

Quando a banda Plebe Rude subiu ao palco por volta das 21h e 40 já estava claro que seria mais uma noite de atrasos no show do Guns` N Roses, marcado para as 22h. No entanto, a espera de uma hora e meia não incomodou o público que lotava a Arena Anhembi e que já parecia prever o show que estava por vir. 

Assim que as luzes se apagaram e os acordes de “Chinese Democracy” ressoaram pela Arena, todo o incômodo foi esquecido. Axl Roses aparece em meio a pirotecnia e leva os ansiosos fãs a loucura. Loucura que seria ainda maior quando o grito “do you know where you are” deu início ao hit “Welcome to the Jungle”.

As boas vindas do cantor ao público só aconteceu após a performance de “Estranged”, quinta música do setlist. Na sequência vieram “Better” e “Rocket Queen”. A qualidade dos músicos faz com que o show tenha vários momentos solos. O primeiro deles foi comandado pelo guitarrista Richard Fortus que mostrou toda sua virtuosidade na sonoridade rock/blues.

“Live and Let Die” e “This I Love” mostraram que, apesar de não ser o mesmo da época do Use Your Illusion, Axl ainda sabe utilizar a sua versatilidade vocal e emocionar a plateia. Em seguida, o baixista Tommy Stinson assumiu o microfone e cantou o cover “Holidays in the Sun” dos Sex Pistols.

Imagens de “O Exterminador do Futuro” foram passadas no telão durante o hit “You Could be Mine” que faz parte da trilha sonora do filme. O momento solo do guitarrista Dj Ashba seria incrível especialmente pelo seu final. Após receber os aplausos ele levou o Anhembi abaixo com um dos riffs mais famosos da história do rock: “Sweet Child O’Mine”. Mas não parou por aí.

Enquanto Bumblefoot e Richard Fortus promoviam um dueto de guitarras, um piano de calda foi sendo posicionado no centro do palco. Todos já sabiam o que estava por vir. Axl se sentou ao piano e entoou a sempre monumental “November Rain” em meio a gritos e lágrimas da plateia.

Um dos momentos mais especiais do show estava para acontecer assim que Bumblefoot assumiu a frente do palco. Depois de cantar “Abnormal”, de sua autoria, o músico homenageou o piloto Ayrton Senna ao tocar o “Tema da Vitória”. As mais de 30 mil vozes se juntaram a sua guitarra e propiciaram um dos números mais memoráveis da noite.

A reta final do show foi repleta de sucessos. Depois de “Don’t Cry”, a tradicional participação do público em “Knocking on Heaven’s Door”, “Civil War” e “Nightrain”, Axel agradeceu o público com tom de despedida e deixou o palco. No entanto, a banda logo voltou com a requisitada “Patience”. Os assovios do início da música ressoavam na Arena. 

Para encerrar a noite, uma chuva de papéis vermelhos semelhantes a pétalas de rosa acompanharam a clássica e energética “Paradise City”. Pode-se dizer que a paciência dos fãs foi recompensada pelas quase 3 horas de show que transformaram a selva paulistana em um paraíso do Rock’ n Roll.


Por Ezio Jemma

Atualizado em 29 Mar 2014.

Mais notícias

Sandy e Junior no Brasil em 2019

Shows

Sandy e Junior: 21 músicas que queremos ouvir na turnê "Nossa História"

Shows

Sandy e Junior confirmam turnê comemorativa de 30 anos; primeiro show é em Recife, dia 12 de julho

Shows

10 atrações brasileiras que você não vai querer perder no Lollapalooza 2019

Shows

7 atrações do Lollapalooza 2019 que vêm ao Brasil pela primeira vez

Shows

9 shows imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Shows