Guia da Semana
Shows
Por Anderson Nascimento

SWU 2011: 3º dia

Rock dos anos 1990 domina o último dia de festival.

Megadeth em show no SWU (Carol Mendonça)

O último dia de SWU 2011 deixou de lado o hip hop/pop do sábado, 12, que trouxe nomes como Snoop Dogg e Black Eyed Peas, e o rock de épocas distintas do domingo, 13, com Duran Duran, Peter Gabriel e Lynyrd Skynyrd. No domingo, o line up dos palcos Energia e Consciência foi quase todo formado por roqueiros dos anos 1990.

O Raimundos foi a primeira banda a se apresentar no Palco Energia, às 14h10, iniciando o flashback anos 1990. O grupo liderado por Digão encerrou a apresentação com a clássica e pesada “Eu Quero Ver o Oco”.

>>Veja fotos do último dia do SWU

>>Veja fotos do 2º dia do SWU 2011

>>Veja fotos do 1º dia do SWU 2011

Na sequência, às 15h, o ex-baixista do Guns N’ Roses Duff McKagan apresentou sua banda, a Loaded, ao público do Palco Consciência. Mesmo com um repertório animado de músicas autorais, o baixista escolheu encerrar a apresentação com “It’s So Easy”, do Guns.

A única atração sem ligação direta com os anos 1990 que se apresentou em um dos dois grandes palcos do SWU nesta segunda foi o Black Rebel Motorcycle Club. O grupo tem um som que mistura elementos do pós-punk com o folk e o garage rock, lembrando muito as bandas indie que surgiram no início dos anos 2000 pós-Strokes. A última música do belo show foi a dançante “Whatever Happend To My Rock n’ Roll?”.

Phil Anselmo, vocalista do Pantera e ícone noventista, trouxe sua outra banda, o Down, ao Palco Consciência. Com um heavy metal pesado e muito alto, Anselmo e seus parceiros ensandeceram o público do SWU. No final do show, além de tocar um trecho de “Walk”, do Pantera (deixando o público em transe), o Down ainda presenteou os fãs com “Bury me in Smoke”, com direito a participação especial de Duff McKagan na guitarra.

Depois do heavy metal do Down, foi a vez do surf music do 311. O grupo, contemporâneo de nomes como Sublime, mistura elementos do ska, do rock e até do rap. Além do vocalista e galã Nick Hexum, o 311 também tem o metido a rapper SA Martinez que garante um toque divertido a algumas músicas. Perto do final, o show ganhou um ar tribal: quando todos os integrantes da banda assumiram um instrumento de percussão. A apresentação acabou com “Down”.

O Palco Consciência foi tomado por uma sensação de incerteza com o final do show do 311. O Sonic Youth fez o que muitos consideram seu último show, já que o casal Kim Gordon e Thurston Moore anunciou separação recentemente, fato esse que fez o futuro de um dos ícones do rock alternativo dos anos 1990 se tornar "incerto", como afirmou o site oficial da banda.

Se a incerteza sobre o futuro do Sonic Youth era a tônica do Palco Consciência, o Primus tratou de deixar o público boquiaberto no Palco Energia. O grupo liderado pelo baixista Les Claypool tocou um som complexo, difícil de rotular, mas que agradou a maioria. Poucos conheciam o som da banda, mas todos ficaram espantados com o preciosismo de Claypool, que fez solos incríveis.

Outro grupo que garantiu preciosismo e solos incríveis ao público do SWU foi o Megadeth. O vocalista Dave Mustaine disparou clássicos, como “Symphony od Destruction” e “Holy Wars”, que encerrou o show.

Com o fim da noite se aproximando, o line up começou a ganhar ares grunge. Stone Temple Pilots e Alice in Chains se apresentaram na sequência. O primeiro grupo trouxe o elegante vocalista Scott Weiland, já o segundo veio com William DuVall, que está na banda desde a morte de Layne Stanley, em 2002.

O último show da noite e do SWU 2011 foi o do Faith No More. O grupo liderado pelo elétrico Mike Patton entrou no Palco Energia todo de vestido de branco. Patton também usava bengala e chapéu Panamá, além de fumar um cigarro, bem no estilo "pai de santo".

Mike Patton estava eufórico. O vocalista tomou a câmera de um dos cinegrafistas oficiais do SWU, caiu e levou banho de cerveja do público. No setlist do show, claro, não faltaram hits como "Epic", "Midlife Crisis" e "King For a Day".

Depois da apresentação, uma grandiosa queima de fogos de artifício. Era o fim do SWU 2011. Foi "épico, do jeito que o Faith No More gosta.


Por Anderson Nascimento

Atualizado em 6 Jan 2012.

Mais notícias

Lives de Carnaval: confira a agenda completa dos shows virtuais

Shows

Agenda: lives imperdíveis de fevereiro de 2021

Shows

Shows nacionais em São Paulo em 2021

Shows

Shows internacionais em São Paulo em 2021

Shows

Confira a agenda de lives imperdíveis em dezembro de 2020

Shows

Shows imperdíveis em São Paulo em dezembro de 2020

Shows