Guia da Semana

Calor que faz bem

Seja para ajudar o organismo debilitado ou trazer novo sabor à vida, chás e infusões são aliados do bem-estar.

Coriza, corpo cansado, dor no estômago, gripe. Para os males que acometem as pessoas nesses dias mais frios, todo mundo tem um santo remédio. Ele é passado entre os membros das famílias, aprendido em feiras livres e filas de supermercado, e reconhecido cientificamente nos círculos médicos. São os chás e infusões, que aliviam o mal-estar e ajudam na recuperação de doenças e enfermidades.

Fotos: Getty Images

Com valor medicinal comprovado, as infusões auxiliam na melhoria do organismo

Numa tacada só, a bebida resultante ajuda o conjunto do organismo e ataca em pontos específicos. Na maioria das enfermidades, o corpo eleva a temperatura interna como sinal de alerta, fazendo células e órgãos perderem líquido. A ingestão de chás e infusões hidrata e ajuda a regularizar suas funções básicas.

Já as propriedades medicinais provêm dos fitoquímicos, substâncias presentes nas ervas que vão atuar diretamente na infecção ou ação viral. "A atuação das infusões sobre as doenças vai depender da escolha correta da planta, bem como da quantidade utilizada, do objetivo terapêutico e do peso da pessoa", comenta a nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori.

Medicina e prazer
As ervas disponíveis são muitas: carqueja, espinheira-santa, erva-cidreira, canela, gengibre... A facilidade de encontrá-las e o conhecimento popular tornaram seu uso comum, mas ainda existe muita informação falsa no mercado.

A começar pelo nome da bebida: chá é o termo popular para as folhas de camellia sinensis. Originária da Ásia, esta erva é rica em polifenóis, substância fundamental contra o envelhecimento celular. Quanto menos envelhecida a planta, mais rica é nesse fitoquímico. Da erva vem os chás verde, branco, oolongo, amarelo e preto. A proporção de tempo na infusão varia de um a cinco minutos. Além de ser uma sustância de prevenção, ajuda também no emagrecimento.

Qualquer outra bebida feita com as demais ervas deve ser chamada de infusão. As quantidades vão variar entre quatro e 24 gramas por litro de água e devem ser abafadas de cinco a dez minutos para a infusão. O ideal é usar sempre as ervas a granel. "Os sachês comuns no mercado trazem cloro no papel e são pequenos, além de não permitir avistar o que de fato contêm. A erva precisa de espaço para expansão e qualquer química altera o sabor e a qualidade da infusão", comenta Carla Saueressing, proprietária da Loja do Chá.


A diversidade de chás varia de acordo com a região de plantio e tempo de envelhecimento

Com experiência de 13 anos com as ervas, Carla reforça que o aroma e sabor dos chás e infusões também são importantes para a saúde. "A pessoa vai ter aconchego e todos os benefícios do chá quando ligar a bebida não somente à saúde, mas também às questões prazerosas".

Por isso, é iportante estabelecer um ritual ao tomar qualquer chá ou infusão. "Isso é uma coisa particular de cada um, como compor a mesa, o espaço da casa, o momento. O fundamental é a qualidade do produto e o uso de bules feitos com bom material, como porcelana, cerâmica de alta temperatura, vidro ou ferro fundido; nunca alumínio". As ervas podem ser postas no fundo do bule e cobertas de água, e depois coadas ou colocadas dentro do infusor. Aprecie tanto o sabor da bebida como suas qualidades medicinais, para sair logo da cama e aproveitar a vida.

Veja as ervas mais comuns e suas propriedades:

Assa-peixe
: indicado para gripes, bronquites e tosses
Boldo do Chile: estimula a produção de bile e protege o fígado
Camomila: além da ação refrescante, é antisséptica e ajuda no combate a inflamações
Erva-cidreira (ou capim-santo): indicada para insônia, palpitações, dores de cabeça e gases
Canela: antiespasmódica, sua infusão ajuda na redução de gases e é antigripal
Carqueja: ataca nos problemas do fígado, vesícula biliar e má-digestão
Cáscara-Sagrada: possui ação laxativa
Chá: digestivo, diurético, antioxidante e combate radicais livres evitando o envelhecimento precoce, principalmente as folhas com baixa fermentação (chá verde)
Cravo: ajuda na recuperação de diarreias, gases e vômitos
Erva-doce: indicada para cólicas e gases intestinais
Guaco: indicado para tosse, bronquite, asma, pigarro, rouquidão e inflamação na garganta
Jasmim: digestivo, relaxante e evita espasmos

Fonte: Oficina das Ervas

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Turma da Mônica passa a integrar a grade da TV Cultura a partir de outubro; saiba mais!

Estreia acontece no dia 9 de outubro, junto à novidade 'Mônica Toy'

"São Paulo nas Alturas" estreia na E! Entertainment Brasil em 29 de setembro

Bandas brasileiras tocam no topo de prédios históricos da cidade em novo programa do canal

7 programas da TV aberta que valem a pena

'Profissão Repórter', 'Masterchef' e 'Amor & Sexo' são algumas das opções

Transmissão ao vivo do Rock in Rio 2017 na TV e Internet

Multishow e Rede Globo vão transmitir as principais atrações do festival nos dias 21, 22, 23 e 24 de setembro

Anitta lidera indicações ao 'Meus Prêmios Nick 2017'; confira a lista completa!

Preamiação contece no dia 25 de outubro, com transmissão pela Nickelodeon

Rio de Janeiro: sinal analógico da TV termina no dia 25 de outubro; saiba como fazer a transição para o digital

O Guia da Semana tira todas as suas dúvidas sobre o assunto