Guia da Semana
TV
Por Redação Guia da Semana

Partindo para Vassouras

Cidade dos Barões, Vassouras ainda conserva casarões, palacetes e fazendas dos tempos áureos do café.

Não é preciso ir muito longe para conhecer lugares especiais, aprender um pouco sobre a História do Brasil e vivenciar uma rotina completamente diferente do dia a dia das cidades grandes. A pouco mais de 100 quilômetros do Rio de Janeiro - a cerca de uma hora de carro - está Vassouras , estância turística do Vale do Café. Construções imponentes da época do Império e antigas fazendas de café ainda preservadas fazem parte do cenário desse pequeno município.

Vassouras é a cidade ideal para ser explorada de carro. Isso porque, apesar de pequena, é rica em área rural e os viajantes podem se hospedar no centro ou em hotéis fazenda, mais afastados da parte histórica. Além da opção de hospedagem, o passeio quase obrigatório às fazendas de café precisam ser feitos de carro, já que as propriedades ficam entre seis e 15 quilômetros de distância da região central. Para chegar a essas propriedades, é preciso circular por rodovias como a BR-393 e a RJ-127 e por estradas de terra - caminhos, em geral, mais tortuosos.

Com pouco mais de 32 mil habitantes, a cidade cresceu rapidamente na primeira metade do século 19, impulsionada pela farta produção e exportação cafeeira. Na época, muitos fazendeiros locais receberam o título de barões, característica que conferiu à cidade o apelido de Cidade dos Barões. Alguns exemplos são os barões de Vassouras, de Itambé, de Campo Belo, de Ayuruoca, do Amparo e de Ribeirão, todos personagens ilustres que contribuíram para o crescimento e o desenvolvimento da região.

Mas somente um título foi pouco para um município tão próspero, que chegou a ser o maior produtor do cobiçado grão no mundo. Em meados do século 19, Vassouras também foi reconhecida como a Princesinha do Café. O alto poder econômico dos barões resultou em fazendas, palacetes e casarões, todos construídos com luxo, ostentação e requinte. Na época, era comum que cada filho ou filha de barão recebesse pelo menos uma propriedade como herança, o que levou os fazendeiros a investirem na aquisição e na construção de novos prédios, hoje ocupados por instituições públicas e privadas.

História viva

A importância cultural e histórica de Vassouras levou ao tombamento de seu conjunto urbanístico e paisagístico pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em 1958. Atualmente, o café não faz mais parte de sua paisagem, mas as edificações permanecem preservadas. Muitos prédios foram restaurados e recuperados, e há pelo menos seis fazendas abertas para visitação. Em cada uma, os turistas podem conhecer um pouco sobre o ciclo do café, apreciar paisagens rurais, observar os cômodos das fazendas - com mais de 20 dormitórios -, visitar senzalas e áreas utilizadas para o plantio e o armazenamento dos grãos. Os passeios incluem ainda um lanche, com produtos típicos da fazenda.

Como chegar: saindo do Rio de Janeiro ou de São Paulo, BR-116 e BR-393.

Foto: Divulgação/ Secretaria de Cultura e Turismo de Vassouras

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

MasterChef Brasil: cozinheiros vão preparar receita em prato não convencional neste domingo (19)

TV

Shows da Virada Cultural 2019 serão transmitidos ao vivo pela internet; saiba mais!

TV

“MasterChef": gastronomia mineira é o próximo desafio dos cozinheiros; saiba mais!

TV

Troféu Imprensa 2019 é neste domingo (28); saiba tudo!

TV

Conheça a trama de "A Dona do Pedaço", próxima novela da Globo

TV

MasterChef Brasil do dia 21 de abril tem prova com pimentas do mundo todo; saiba mais!

TV