Guia da Semana
TV
Por Redação Guia da Semana

Reformar

Diferente de um projeto novo, a reforma parte de algo que existe e se propõe a mudar ambientes, cores, usos e costumes de um local.

Getty Images

REFORMAR: esta palavra assusta. Mas, além de significar trabalho, é a melhor maneira para arquitetos exercitarem sua criatividade. Fico especialmente feliz quando sou procurada para este tipo de serviço. Quanto mais antigo e improvável, maior a modificação - com certeza, a realização também será maior.

Uma reforma pode ser mais complexa do que um projeto novo. Podemos considerar que reformar é partir de uma imagem existente para chegar a um produto final completamente diferente. Ou seja, temos que apagar, praticamente esquecer, o que é real, enquanto um projeto novo é pegar um papel em branco, sem nenhuma ideia pré-concebida, e ter um resultado que não sofrerá interferência no que já existe.

Não estou falando em trocar revestimentos ou substituir caixilhos, mas sim em mudanças de uso, dos costumes e transformações mais radicais. Cabe ao profissional, com sua experiência e conhecimento, dar a segurança ao cliente de que tais alterações são viáveis e o resultado será compensador.

Qualquer obra é um processo complicado: envolve muitas pessoas e infinitas escolhas que o mercado oferece. Um projeto bem pensado é o melhor começo. Invariavelmente, quando se decide fazer uma reforma, várias opiniões de parentes e amigos já foram ouvidas, mas é preciso entender que, assim como confiamos em um médico quando a questão é saúde, existem profissionais que podem reunir todas estas ideias, aproveitar as pertinentes e criar um espaço bonito, prático e inteligente. O período do projeto deve ser respeitado, ainda que a ansiedade o faça parecer infinito.

Em reformas, sempre teremos "surpresas". É praticamente impossível encontrar um imóvel que não tenha um pilar em local improvável, ou uma tubulação em condições piores que as esperadas. Você deve estar disposto a enfrentar mudanças. É comum também que propostas rejeitadas no início, simplesmente por não terem sido entendidas, façam parte do projeto final. Conforme o trabalho vai aparecendo, o cliente sente segurança e acata as sugestões com mais tranquilidade.

Acabo de ouvir uma conversa clássica no elevador: "Eu só ia mexer no banheiro, mas acabei reformando a casa toda". É obvio que orçamento e prazos, nesses casos, acabam sendo multiplicados. Esse aumento na obra às vezes acontece porque o proprietário se envolve de tal maneira e acha que é muito trabalhoso. Portanto, deve fazer de uma só vez, mas acredito que a possibilidade de criar espaços novos e o acompanhamento destas modificações, ver o resultado real, as ideias se transformando em concreto são o que motivam e dão coragem em continuar e ampliar este projeto, além de ser absolutamente gratificante a comparação antes/depois.

Colaborou:

Sylvia Figueiró - Arquiteta, atua nas áreas residencial e comercial.






Atualizado em 1 Dez 2011.

Mais notícias

"Sterblitch não tem um Talk Show: o Talk Show" estreia dia 5 de junho, no Globoplay

TV

MasterChef Profissionais: cozinheiros precisam reproduzir prato de restaurante nesta terça-feira (12)

TV

No Dia Mundial de Conscientização do Autismo, Nat Geo Kids apresenta a pré-estreia da segunda temporada da série “Pablo”

TV

De novelas suspensas a programa inédito, Globo promove mudanças em função do Covid-19

TV

Rede Globo altera sua programação para aumentar espaço de informações sobre o COVID-19

TV

Transmissão ao vivo do Oscar 2020 na TV e Internet

TV