Guia da Semana

5 motivos para assistir ao documentário brasileiro "Tarja Branca"

Produção linda defende uma revolução no brincar

Se os documentários têm o poder de nos fazer pensar além, nos dando a oportunidade de ultrapassar limites já impostos por nossas memórias e vivências, "Tarja Branca" faz isso de forma encantadora, imersiva, doce e, ao mesmo tempo, chocante. 

Para quem ainda não conhece ou nunca ouviu falar, a produção aborda algo simples e, ao mesmo tempo, extremamente complexo: o brincar! A partir de depoimentos de adultos de diferentes gerações, origens e profissões, o documentário discorre sobre a pluralidade do ato de brincar, e como o homem pode se relacionar com a criança que mora dentro dele.

Por meio de reflexões, o filme mostra as diferentes formas de como a brincadeira, ação tão primordial à natureza humana, pode estar interligada com o comportamento do homem contemporâneo e seu "espírito lúdico".

Confira abaixo os motivos pelos quais você deveria assistir: 

POÉTICA

O documentário, do início ao fim, é extremamente poético. Um corajoso elogio ao brincar, mostra, a cada cena, o lado bonito do ato e, mais do que isso, a necessidade para o desenvolvimento humano, psíquico e pessoal.

ALERTA

Brincar é a atividade raiz da infância. É a base do desenvolvimento infantil e humano. É atividade que expressa liberdade, criatividade, estimula o desenvolvimento motor a relação com o outro, a expressão dos próprios sentimentos e, sem dúvidas, é a primeira ligação da criança com o mundo externo e social. 

Infelizmente, na contemporaneidade, brincar tornou-se perigoso. Não por acaso, hoje em dia não vemos mais crianças com joelhos ralados, brincando de esconde-esconde, pega-pega, pipa, pular corda, bola de Gude e tantas outras opções que têm se tornado cada vez mais ausentes na sociedade. E o que isso pode causar é o que o filme discute, de forma belíssima.

Assim, o documentário deixa clara a ideia de que esse tão importante ato de brincar está em perigo e, com isso, as crianças também, nos mostrando os processos sociais que existem por trás de um simples brincar e a hipótese de que vivemos um momento de crise em relação a isso. 

ENTREVISTAS 

O desenrolar do documentário é dado por entrevistas e depoimentos, que moldam todo o caminho que o assunto percorre. Assim, pedagogos, psicanalistas, artistas, escritores, humoristas, pensadores e tantas outras pessoas de diferentes áreas de atuação cruzam seus pensamentos e percepções, instigando-nos e convocando-nos a refletir junto com cada um deles. 

LINHA DO TEMPO

O longa faz, através de entrevista, uma linha do tempo sobre a mudança do brincar ao longo dos anos. Buscando o peso de depoimentos de pessoas de diferentes gerações e condições sociais, conseguimos revisitar a infância de outros tempos, de outros cenários, e refletirmos a respeito de como e por que a direção do caminho foi se modificando. 

RESPONSABILIDADE 

Mais do que nos levar a refletir a respeito da brincadeira e da mudança que o comportamento infantil vem sofrendo, "Tarja Branca" nos faz pensar na responsabilidade que nós, adultos, temos sob todos os atos das crianças, sobre os exemplos que damos e sobre como podemos achar uma saída para esse padrão que se estabeleceu e que, de certa forma, rouba a infância da própria infância. Qual a nossa parcela de culpa? Como podemos reverter? De que forma podemos incentivar o brincar? 

TRAILER  

Atualizado em 16 Ago 2016.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças