Guia da Semana

6 lugares em SP para conhecer diferentes culturas

Confira opções que te levam a outros países sem fazer com que saia do seu

São Paulo é um pouquinho de tudo. Não apenas dos paulistanos, mas também dos japoneses, dos italianos, judeus e tantas outras origens que, juntas, fazem da cidade essa mistura única e singular que vemos nos mais diversos bairros daqui. 

A metrópole recebeu, ao longo dos anos, pessoas vindas de diferentes países, culturas e regiões e, assim, ganhou características de todas elas, além de lugares que nos levam a eles sem que precisemos sair de SP. 

Pensando nisso, o Guia da Semana lista alguns desses lugares. Confira:

 

Feira da Liberdade

A Feira de Arte, Artesanato e Cultura da Liberdade, ou a Feirinha da Liberdade, como é conhecida, é uma manifestação cultural brasileira, que mostra como a cultura se apresenta e mescla as tradições dos diversos povos que compõem sua população.

Além de barracas com comidas deliciosas, como yakisoba e yakibifun (macarrão de arroz) takoyaki e ebiyaki (bolinhos de polvo e camarão), guioza, tempurá, o famoso imagawaki (bolinho de feijão azul), as ruas possuem mercados com uma diversidade de alimentos simplesmente incrível e barracas de artesanato.

Memorial da Imigração Judaica

Localizado na sede da Sinagoga mais antiga do Estado de São Paulo (a Kehilat Israel, no bairro do Bom Retiro), o novo espaço cultural - Memorial da Imigração Judaica - reúne importante acervo com documentos e obras raras que narram a história e a contribuição dos imigrantes judeus ao desenvolvimento do Brasil.

Bixiga

O Bairro do Bixiga, localizado na região do Centro, abriga desde a rua Major Diogo até as Avenidas Nove de Julho e Brigadeiro Luís Antônio. O local foi construído por imigrantes italianos recém-chegados ao Brasil e seus moradores cultivam até hoje suas origens, principal motivo pelo qual ganhou fama.
Com diversidade, formou um dos bairros mais boêmios e, ao mesmo tempo, religiosos da capital. Tradicional, conta com muitas cantinas e feiras, além de ser uma delícia de caminhar.

Catedral Ortodoxa de SP

Inaugurada em 1954, o projeto foi inspirado na Igreja de Santa Sofia, construção bizantina em Istambul, na Turquia. Imponente e dourada, abriga abóbadas centrais e mezaninos laterais pintados por Joseph Trabulsi, na década de 1950. Com a técnica de afresco e iconostácio, todo em mármore foi entalhado à mão, com ícones do iconógrafo russo Krivotz.

Pavilhão Japonês

Construído no Japão, o Pavilhão Japonês foi completado em janeiro de 1954 e trazido para o Brasil em abril do mesmo ano. O pavilhão foi feito para comemorar o quarto centenário de São Paulo e demonstrar a gratidão nipônica à cidade.

O espaço conta com uma área de 7.500 metros quadrados e uma área construída de 570 metros quadrados. O prédio principal representa a arquitetura nipônica. Todo material envolvido na obra e no jardim foi trazido do Japão.

A atração também conta com o Salão de Exposição de Arte Japonesa, que mantém em seu acervo roupas de samurais, esculturas do século XI, estatuetas e vasos de várias dinastias. Já o salão nobre possui 80 metros quadrados e fica a dois metros do chão.

Jardim do Museu do Ipiranga

Nem todo mundo sabe, mas os jardins do Museu do Ipiranga foram inspirados na França e desenhados pelo paisagista belga Arsenius Puttemans. Inspirados na área verde ao redor do Palácio de Versalhes, o estilo renascentista dá ares europeus ao local.
Vale lembrar que o local está fechado para reformas, mas o passeio é permitido pelos jardins.

Atualizado em 17 Jun 2016.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças