Guia da Semana

Behind The Candelabra desponta como favorito à Palma de Ouro

Michael Douglas vive pianista gay Lee Liberace em filme que foi recusado por Hollywood

O Festival de Cannes 2013 chegou ao sétimo dia com poucas surpresas – enquanto o Grande Gatsby não animou a imprensa e The Bling Ring, de Sofia Coppola, recebeu críticas relativamente positivas, as melhores avaliações vêm ficando com o novo filme dos Irmãos Coen (como previsto), Inside Llewyn Davis. Para aquecer os ânimos, porém, o candidato mais polêmico da seleção foi exibido na manhã de hoje, 21 de maio: Behind The Candelabra (Atrás do Candelabro), de Steven Soderbergh. O filme, destinado à televisão pela HBO, foi recusado por diversos estúdios de Hollywood e não será distribuído nos cinemas norte-americanos, mas já desponta como novo favorito à Palma de Ouro no festival francês.

+ Conheça os destaques do Festival de Cannes 2013
+ Saiba o que os críticos escreveram sobre O Grande Gatsby
+ Confira a programação da Parada Gay 2013

Behind The Candelabra tem uma história tão conturbada quanto a de seu protagonista, Lee Leberace: o filme levou quatro anos para ser completado, em parte pela dificuldade de financiamento devido ao tema, em parte por um câncer que Michael Douglas enfrentou e venceu durante o percurso. Douglas, apontado pela crítica como possível vencedor do prêmio como melhor ator, vive o pianista gay Lee Liberace, que fez muito sucesso nos Estados Unidos e morreu de AIDS em 1987. Ele era casado com Scott Thorson (Matt Damon), mas nunca levou o relacionamento a público. O longa não contém cenas explícitas de sexo nem nudez, mas, mesmo assim, rendeu brincadeiras entre os atores. “Sobre dividir a cama com Michael Douglas, agora posso dizer que tenho algo em comum com Sharon Stone, Glenn Close e Demi Moore”, disparou Damon, bem-humorado.

Quanto à impossibilidade de estrear nos cinemas, Steven Soderbergh se mantém positivo: para ele, a televisão tem sido muito mais aberta à criatividade dos diretores e roteiristas do que os grandes estúdios, que recusaram o projeto alegando que não atrairia nenhum público além dos próprios gays. “Na televisão, mais pessoas irão assistir ao filme”, acredita o diretor. O festival segue até o dia 26 de maio. Only God Forgives, de Nicolas Winding Refn, e Only Lovers Left Alive, de Jim Jarmusch, ainda estão por vir.

Atualizado em 22 Mai 2013.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Críticos brasileiros elegem "Aquarius" e "Elle" como os melhores filmes de 2016

Abraccine também escolheu "Estado Itinerante" na categoria curta-metragem

"Minha Mãe é uma Peça 2" é o terceiro filme nacional mais assistido desde 2002

Comédia estrelada por Paulo Gustavo estreou em dezembro e segue em cartaz

Festival gratuito de cinema francês pode ser visto em qualquer lugar

7ª edição do MyFrenchFilmFestival acontece entre 13 de janeiro e 13 de fevereiro

Sesc Santana exibe óperas europeias na tela de cinema

“A Flauta Mágica” e “Aida” têm exibições em janeiro

10 Filmes sul-coreanos que você precisa conhecer

Filmes como “A Criada” e “Invasão Zumbi” são exemplos do crescimento do cinema comercial no país

Michael Fassbender fala sobre a adaptação de “Assassin’s Creed” para os cinemas

Filme estreia no Brasil no dia 12 de janeiro