Guia da Semana

Invocação do Mal supera clichês e supreende

Apesar de roteiro batido, diretor de "Sobrenatural"e "Jogos Mortais" entrega um filme de terror acima da média

Quantas vezes você já viu um filme com uma história assim: uma família (com filhos pequenos) se muda para uma casa antiga e pouco a pouco se vê atormentada por algum espírito do mal que mora no local até que um investigador paranormal, padre ou genérico, venha libertar o local do mal que o assola.

+ Confira as salas e horários de Invocação do Mal
Veja os filmes que estão em cartaz nos cinemas
+ Relembre as casas mais mal-assombradas do cinema

"Horror em Amityville", "O Orfanato" e "Atividade Paranormal" – só para citar alguns - são filmes que apostam nesta velha fórmula. “Invocação do Mal” também vai no embalo deste modelo, porém com um diferencial: a direção segura de James Wan que extrai leite de pedra e entrega um bom filme sobre casa mal-assombrada.

Uma história real, pero no mucho

O longa conta a história de uma família com cinco crianças,que se muda para uma casa de fazenda nos anos 70. Logo, eles começam a enfrentar aparições assustadoras e decidem pedir ajuda a dois investigadores paranormais.

Inspirado em uma "história real", o filme utiliza um dos casos mais famosos do casal Edward e Lorraine Warren, que por anos rondou o os Estados Unidos atrás de fantasmas e assombrações.

James Wan parece entender todos os clichês que assombram o roteiro de seu longa e foge do óbvio. Não existem sustos fáceis, barulhos que surgem do nada apenas para assustar ou outros recursos simples de filmes menos esforçados.

Aqui, o que prevalece é o clima de tensão, construido pouco a pouco com cameras que rondam pela casa como um de seus moradores ou que são colocadas em perspectivas fora do convencional, dando um clima de aflição a seu espectador. Mais do que apenas levar um susto, o público fica tenso por não saber de onde o perigo virá na próxima cena.

Elenco bom de grito

Se, por trás das câmeras, o diretor consegue salvar alguns cafonices da história do filme (bruxas, bonecas do mal, espíritos de crianças…), seu elenco consegue manter a trama crível. Destaque para as cinco filhas - que perdem um pouco da relevância na segunda metade do filme com a chegada do casal de investigadores - e para Lili Taylor, a mãe das meninas.

Essa não é a primeira casa possuída que a atriz encara, tendo participado de “A casa mal-assombrada”, outro bom filme de terror. Taylor consegue dar vida ao seu papel e vai se transformando de dona de casa feliz a mulher desesperada com o desenrolar do filme. Mais uma boa intepretação da atriz que é sempre deixada para papéis secundários.

Invocação do Mal, é mais um bom trabalho no currículo de James Wan, que já coleciona bons filmes de terror como “Sobrenatural” e o primeiro filme da franquia “Jogos Mortais”. Uma boa pedida para quem gosta de filmes de casas mal assombradas, mas está cansado do mais ou menos que aterrorizam o genêro.

Veja se você

Não veja se você

Atualizado em 17 Set 2013.

Por Edson Castro
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Logan: "filme definitivo" do Wolverine chega aos cinemas

Longa marca a despedida de Hugh Jackman do personagem que viveu por 17 anos

Um Limite Entre Nós: filme indicado ao Oscar chega ao Brasil em cima da hora

Longa traz Denzel Washington e Viola Davis em atuações singulares

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil

“Silêncio”: 3 motivos para ver o novo filme de Scorsese (e 3 para pensar duas vezes)

Longa traz Andrew Garfield e Adam Driver como padres jesuítas

Playarte Splendor inaugura novo cardápio para ser degustado no cinema

Praticidade é o foco dos novos petiscos da Sala Vip

Cinema nacional tem crescimento expressivo em 2016

Filmes brasileiros atraíram 30,4 milhões de espectadores no último ano