Guia da Semana

Thor: O Mundo Sombrio repete fórmula de sucesso

Sequência de Thor acerta no tom e não deve desapontar os fãs da franquia

Há dois anos, a figura do ator Chris Hemsworth se tornou sinônimo de Thor: um deus nórdico com voz de trovão, porte de titã e pavio curto, em guerra contra o ambicioso irmão Loki (Tom Hiddleston) pelo trono de Asgard. Agora, chega às telas Thor: O Mundo Sombrio – um filme sem grandes novidades, mas que entrega exatamente o que o público quer: mais humor, menos Thor e muito mais Loki.

+ Veja salas e horários para assistir a Thor: O Mundo Sombrio
+ Confira o especial geek no Guia da Semana
+ Relembre os melhores filmes com super-herós

A trama segue o padrão de fantasias épicas: há alguns milhares de anos, o avô de Thor venceu uma guerra contra os Elfos Negros, um povo que queria transformar todo o universo em trevas com uma substância misteriosa chamada Éter. É claro que nem todos os Elfos morreram, e é claro que o Éter foi escondido naquele lugar “onde ninguém nunca mais o encontraria” - até que alguém o encontrou.

Apesar de previsível, a história é apenas um pano de fundo para que o público possa rever a problemática relação entre Thor e Loki e torça mais uma vez para que Jane Foster (Natalie Portman) consiga ficar ao lado do guerreiro. Anthony Hopkins, Rene Russo, Idris Elba, Kat Dennings, Stellan Skarsgard e a bela, porém sub-aproveitada Jaimie Alexander completam o time.

O roteiro se divide em duas partes: uma em Asgard, onde a família de Thor lida tanto com as chantagens emocionais de um Loki aprisionado quanto com a ameaça de retorno dos Elfos Negros; outra na Terra, onde Jane, o professor Erik e seus estagiários investigam um fenômeno chamado “a convergência”.

As questões científicas deixam tantas lacunas que o melhor a fazer é ignorá-las: afinal, quais são as chances de portais dimensionais e alinhamento de planetas soarem reais quando o assunto é uma guerra entre deuses e elfos? O diretor Alan Taylor, que dirigiu alguns episódios de Game of Thrones, não se esforça muito nas explicações e prefere fazer o que sabe melhor: criar o clima.

Taylor também investe no humor, fazendo graça com situações banais e com o próprio universo Marvel – vale avisar que quem nunca assistiu aos filmes anteriores pode ficar um pouco perdido.

Mas quem realmente rouba a cena é Hiddleston. O ator, mais solto que no primeiro filme, transita entre uma dezena de emoções e deixa o espectador tão confuso quanto Thor com seus jogos sentimentais. É ele, também, que garante as melhores risadas, tornando-se um vilão muito mais interessante que o Elfo Malekith, discretamente reduzido a segundo plano.

O filme começa fraco, ganha força quando o irmão de Thor assume a dianteira e volta a esfriar quando o foco são os Elfos e os fenômenos gravitacionais – mais engraçados do que propriamente empolgantes. No fim, duas cenas extras (antes e depois dos créditos) colocam a imaginação dos fãs para funcionar e dão uma pista sobre um novo personagem de um novo filme da marca.

Thor: O Mundo Sombrio pode não ser uma obra-prima, mas é uma sequência muito bem sucedida de um filme cujo maior trunfo não é a história, mas sim seus personagens – que têm a chance de evoluir entre um filme e outro e cujos problemas psicológicos são tão ou mais desafiadores que a guerra ao seu redor.

Assista se você:

- É fã dos heróis da Marvel
- Gostou do primeiro Thor
- Procura um filme para relaxar e se divertir

Não assista se você:

- Não gostou do primeiro Thor
- Espera um filme sério ou violento
- Não gosta de filmes de fantasia ou ficção científica

 

Atualizado em 31 Out 2013.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Novo trailer de “Valerian e A Cidade dos Mil Planetas” mostra a exuberância de seu universo fantástico

Filme de Luc Besson chega aos cinemas no dia 10 de agosto

Infância de Pharrell Williams será retratada em musical de Hollywood

"Atlantis" terá produção da FOX e direção de Michael Mayer

12 Filmes, séries e mangás de ficção científica para conhecer depois de “A Vigilante do Amanhã”

Obras como “Matrix” e “Paprika” dialogam diretamente com os temas do filme com Scarlett Johansson

Novo trailer de "Homem-Aranha: De Volta ao Lar" mostra cena estrelada pelos Vingadores

Nova fase do herói nas telonas estreia no dia 6 de julho

Warner divulga primeiras fotos do novo "Tomb Raider" - confira!

Filme estreia em março de 2018

10 Suspenses psicológicos para quem gostou de “Fragmentado”

Conheça outros filmes surpreendentes sobre transtornos mentais e identidades múltiplas