Guia da Semana

Amber Heard doa o dinheiro que ganhou no divórcio com Johnny Depp

A quantia de cerca de R$ 22 milhões será enviada à instituições de caridade

A novela de Amber Heard e Johnny Depp finalmente chegou ao fim. Após diversas denúncias de violência doméstica, a modelo chegou a um acordo de divórcio com o ator e embolsou uma quantia de nada menos que US$ 7 milhões, cerca de R$ 22 milhões. Em declaração à imprensa, publicada pela Variety, Amber mostrou que não está interessada no dinheiro do agora ex-marido e anunciou que doará a quantia à American Civil Liberties Union, instituição que combate violência contra a mulher, e para o Hospital Infantil de Los Angeles, onde trabalha como voluntária. Leia um trecho divulgado pela revista:

"Como descrito na ordem de restrição e no acordo do divórcio, dinheiro não teve nenhum papel para mim pessoalmente e não tem, exceto pelo fato de que eu posso doá-lo para a caridade e, fazendo isso, espero ajudar aqueles com menor capacidade para se defender”.

Johnny Depp e Amber Heard se conheceram durante as filmagens de Diário de um Jornalista Bêbado, em 2009. Eles se casaram no início de 2015 e, desde então, têm sido protagonistas de polêmicas, acendendo o debate sobre violência doméstica contra as mulheres.


Atualizado em 19 Ago 2016.

Por Redação Guia da Semana
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Olimpíadas 2020: Goku, do "Dragon Ball Z", pode ser embaixador dos Jogos no Japão

Apesar de nenhum anúncio oficial, o rumor está circulando na internet!

Harvard disponibiliza curso online e gratuito de fotografia

Programa constitui em 12 módulos que vão de práticas básicas ao uso de softwares de edição

"Ai, misericórdia": você precisa conhecer o novo meme das redes sociais

Dos mesmos criadores de "Eta, Giovana", apresentamos o novo hit da internet

Com Super Mario e Zelda, novo videogame da Nintendo será lançado em março

Switch, misto de videogame de mesa e console portátil, sairá por US$ 299

10 dicas infalíveis para curtir ao máximo os bloquinhos de Carnaval de rua

Temer aprova lei que cobra impostos de serviços como Netflix e Spotify

Serviços de streaming passam a entrar na lista de cobrança do ISS