Guia da Semana

90 Anos da Semana de Arte Moderna de 1922

Entre 15 e 26 de fevereiro, espetáculos comemoram aniversário da semana que marcou a arte brasileira no Theatro Municipal de São Paulo.

Uma programação especial no Theatro Municipal de São Paulo, acontece entre 15 e 26 de fevereiro, para comemorar os 90 Anos da Semana de Arte Moderna de 1922.

O público pode conferir duas óperas - uma delas, Magdalena, de Villa-Lobos, nunca montada em São Paulo -, um espetáculo de dança inédito e dois concertos. Os compositores e autores das obras apresentadas participaram da Semana de Arte em 1922, como Mario de Andrade, ou foram influenciados por ela, como Camargo Guarnieri, Radamés Gnatalli e Lorenzo Fernandez. 

Os ingressos para as atrações já estão à venda na internet e os valores variam de R$ 10 a R$ 100.

Confira a programação:

Magdalena
Ópera em dois atos de Heitor Villa-Lobos, com libreto dos americanos Robert Wright e George Forrest, fez sua estreia na Broadway em 1948 e teve sua apresentação brasileira apenas em 2002, no Festival Amazonas de Ópera, em Manaus, com versão em português de Cláudio Botelho.

Andradiana
O espetáculo conta com duas partes. A primeira é a Camargo Guarnieri: Suíte Vila Rica, com o Balé da Cidade de São Paulo - coreografia inédita de Lara Pinheiro. A segunda parte é a Pedro Malazarte, ópera em 1 ato de Camargo Guarnieri com libreto de Mário de Andrade.

Música de Câmara
O músico Caio Pagano (piano) e o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, formado por Betina Stegmann (violino), Nelson Rios (violino), Marcelo Jaffé (viola) e Robert Suetholz (violoncelo) interpretam obras de Debussy e Villa-Lobos.

Orquestra Experimental de Repertório
Sob a regência de Jamil Maluf, o grupo acompanhado de Pablo Rossi (piano) apresenta peças como Batuque, do compositor carioca Lorenzo Fernandez, Momô Precoce, Fantasia para Piano e Orquestra, de Villa-Lobos, e Sinfonia Popular n° 1, de Gnatalli.

 

O que é a Semana de Arte Moderna de 1922?

O período é famoso na história da arte mundial e rompeu com o padrão estético da época. A princípio, não foi bem recebida, porém ganhou sucesso com o passar do tempo e destacou artistas consagrados do modernismo no Brasil, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Heitor Villa-Lobos e Di Cavalcanti.

O Municipal de São Paulo foi o palco da Semana de 22 e do início de uma nova vida intelectual nas artes plásticas, na música e na literatura.

Atualizado em 23 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA