Guia da Semana

Bienal de Arte na cidade

MASP, Instituto Tomie Ohtake, Estação da Luz e outros pontos de São Paulo exibem obras em programação paralela à Bienal.

A 30ª Bienal de Artes de São Paulo já começou no Pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, mas não é só lá que o evento acontece.

>> Veja a indicação de três galeristas de SP para a Bienal 2012

Locais como o Museu da Cidade (Casa Modernista, Casa do Bandeirante e Capela do Morumbi), o MASP, e o Instituto Tomie Ohtake também exibem obras, além de pontos turísticos da cidade como a Avenida Paulista e a Estação da Luz.

Confira a programação da Bienal pela cidade:

Casa do Bandeirante
5 de setembro a 9 de dezembro
Hugo Canoilas - O artista apresenta sua pesquisa sobre vestígios das explorações dos bandeirantes que ocorreram entre os séculos 16 e 18.

Metrô: Butantã (linha 4), Estação CPTM Cidade Universitária (linha 9)
Ônibus: 809L-10, 7702-10, 7725-10


Sergei Tcherepnin e Ei Arakawa em performance

Casa Modernista
5 de setembro a 9 de dezembro
Obras feitas em parceria entre o norte-americano Sergei Tcherepnin e o japonês Ei Arakawa. Trata-se de uma série de esculturas sonoras que investigam a percepção tonal em ambientes criados para explorar a escuta.

Metrô: Santa Cruz (linha 1)
Ônibus: 375V-10, 476A-10, 4714-10, 5103-10, 5103-21

Capela do Morumbi
5 de setembro a 9 de dezembro
Maryanne Amacher (1938 - 2009). Os artistas Micah Silver e Robert The enfrentam o desafio arquitetônico da antiga capela para apresentar uma seleção audiovisual dos modelos criados por Amacher. 

Metrô: Butantã (linha 4), Estação CPTM Morumbi (linha 9)
Ônibus: 756A-10, 756A-21, 807J-10, 6291-10, 7040-10, 7040-21, 8020-10 

MASP  
4 de setembro a 9 de dezembro
Deuses Madonnas – A arte do sagrado traz a artista alemã Jutta Koether apresentando três pinturas que visitam as fases do recente restauro da obra Himeneu Travestido Assistindo a uma Dança em Honra a Príapo (1634-1638), do pintor francês do século 17 Nicolas Poussin. A releitura de Koether é apresentada junto a Cerimonials (1974), filme do artista espanhol Benet Rossell, que documenta uma série de procissões, festas e rituais, estabelecendo uma contrapartida psicodélica para a mitologia grega traduzida na pintura de Poussin.

Metrô: Trianon-Masp (linha 2)
Ônibus: 175P-10, 478P-10, 478P-31, 508L-10, 577T-10, 669A-10, 669A-41, 714C-10, 715M-10, 775P-10, 857P-10, 857R-10, 874C-10, 874T-10, 875A-10, 875H-10, 875M-10, 875P-10, 877T-10, 917H-10, 917M-10, 975A-10 

Museu de Arte Brasileira da FAAP
6 de setembro a 4 de novembro
Obras de José Arnaud Bello e filmes de Robert Smithson, como Spiral Jetty, Monolake and Swamp. Além disso, o artista chinês Xu Bing recria dois projetos: Forest Project, que liga arte e educação para arrecadar fundos destinados ao plantio de árvores, e Book From the Ground, um romance escrito inteiramente em linguagem de ícones universais.

Metrô: Santa Cecília (linha 3) ou Paulista (linha 4)
Ônibus: 408A-10


Libro Illeggibile, de Bruno Munari

Instituto Tomie Ohtake
3 de outubro a 18 de novembro
Um panorama da obra do artista italiano Bruno Munari

Metrô: Faria Lima (linha 4)
Ônibus: 117Y-10, 477A-10, 802C-10, 875C-10, 875C-22, 957T-10, 958P-10, 5100-10, 6262-10, 6262-21, 8171-10, 9050-10, 9051-10 

Avenida Paulista
7 de setembro a 9 de dezembro
O artista brasileiro Alexandre Navarro Moreira faz uma intevenção ao longo da avenida em displays de bancas de jornal. São os cartazes de Apócrifo, projeto desenvolvido pelo artista nas ruas desde 2001, com retratos que exibem rostos humanos que se mesclam aos ruídos da cidade. 

Estação da Luz (Passarela Central)
4 de setembro a 9 de dezembro
Remontagem de uma escultura minimalista da alemã Charlotte Posenenske: Square Tubes (1967).

Fechada das 0h às 5h

Metrô: Linhas 1, 3, 4, 7, próxima à Pinacoteca do Estado de São Paulo
Ônibus: 2523-10, 7458-10

Trajeto por São Paulo
7 de setembro a 9 de dezembro
Na obra do argentino Leandro Tartaglia, um veículo parte do Parque Ibirapuera destino à Capela do Morumbi, para visitar a obra da artista Maryanne Amacher. Em cerca de 60 minutos, o artista acompanha os visitantes que usam fones de ouvido para ouvir um teatro sonoro narrado por pessoas de diferentes nacionalidades durante o trajeto.

Atualizado em 19 Dez 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA