Guia da Semana
Bares (antigo)
Por Conceição Gama

Como acabar com manchas na pele

Dermatologista explica porque esse problema aparece.

O tratamento contra o melasma melhora bastante a aparência das manchas (Reprodução)

Conhecido popularmente como mancha na pele, o melasma é um problema que atinge e interfere diretamente sobre a autoestima de muitas brasileiras. Essas manchas de cor acastanhada aparecem na face, principalmente nas regiões das bochechas, testa, dorso do nariz, região supralabial ("bigode") e queixo. 

+ Dez cuidados de beleza para mulheres a partir dos 30 anos
+ Tendências de cabelos para a Primavera/Verão 2015
+ Como acabar com o inchaço

De acordo com a dermatologista Silvia Zimbres, da clínica Doux Dermatologia, o melasma costuma aparecer em pacientes a partir dos 25 anos de idade e as principais causas são predisposição genética (maior incidência em pessoas pardas e morenas), alterações hormonais, uso de cosméticos inaquedados que contenham derivados do petróleo ou substâncias fotossensibilizantes e uso de anticoncepcionais e de terapia de reposição hormonal durante a menopausa.

"(Além desses), a exposição solar é um dos fatores mais importantes no desenvolvimento do melasma, pois os raios ultravioletas estimulam a atividade dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção da melanina. Algumas mulheres observam o aparecimento repentino das manchas após um período de exposição intensa ao sol e outras contam um aparecimento mais gradual depois de repetidas exposições", explica a especialista. 

"Mas também encontramos pacientes que não passaram por tais circunstâncias e mesmo assim desenvolveram melasma. Apesar de ser bem mais raro, podemos também ver indivíduos do sexo masculino com esse problema", esclarece.

Tratamento

De acordo com a dermatologista Silvia Zimbres, apesar de haver tratamento, não existe cura definitiva para o melasma. "Ainda não existe método nenhum que remova 100% do pigmento da pele. Mas existe um controle, que pode melhorar a aparência das manchas existentes", explica. 

Segundo a especialista, a resposta ao tratamento é relacionada diretamente à profundidade do melasma, que pode atingir três estágios: epidérmico (mais superficial), dérmico (mais profundo) ou misto."O dermatologista é capaz de classificá-lo com um instrumento especial chamado luz de Wood e receitar o melhor tratamento", afirma Silvia Zimbres.

A médica explica que o tratamento envolve o uso diário de um filtro solar UVA e UVB com fator de proteção acima de 50. Além da proteção solar, fórmulas com ácidos, agentes clareadores e a vitamina C também podem ajudar a melhorar a aparência dos melasmas. "As fórmulas somente devem ser prescritas pelo dermatologista, de acordo com o tipo de melasma que o paciente apresenta", orienta. 

Ainda de acordo com Silvia Zimbres, alguns procedimentos realizados no consultório de dermatologia também podem ajudar a tratar o melasma, como peelings químicos e também o peeling de cristal (microdermoabrasão) associado ao químico. "Outro procedimento indicado é o uso de alguns tipos de laser, como o fracionado e, mais recentemente, com resultados bastante animadores, o laser Nd YAG Q-switched, como o Revlite. Para manchas tipo sardas ou melanoses de sol, o Revlite também é uma excelente alternativa, além do uso clássico da Luz Intensa Pulsada, com resultados incríveis".


Por Conceição Gama

Atualizado em 18 Jan 2015.

Mais notícias

Cerveja Hoegaarden abre bar próprio no Largo da Batata, em Pinheiros

Bares (antigo)

Cinesala abre bar em São Paulo; saiba mais!

Bares (antigo)

Bar do Urso, da cervejaria Colorado, inaugura unidade na Augusta; confira!

Bares (antigo)

Bar da Vila Madalena inova com comanda individual no celular; confira

Bares (antigo)

Evento de degustação de cervejas caseiras e artesanais ocupa rooftop do prédio Tomie Ohtake

Bares (antigo)

11 bares e restaurantes no RJ para o Dia do Bacon

Bares (antigo)