Guia da Semana
Cinema
Por Juliana Varella

Biografia de Edward Snowden chega aos cinemas e é perturbadora

Filme de Oliver Stone questiona o uso de computadores e celulares pessoais como instrumentos de controle.

Entre os documentos, estavam provas de que o governo americano espionava sobre pessoas comuns e não apenas suspeitos (Foto: Divulgação)

E se a câmera do seu computador pudesse filmá-lo agora, mesmo que você não estivesse transmitindo (conscientemente) nada? E se alguém, do outro lado do mundo, pudesse assistir? Você pensaria que é um hacker ou um criminoso. Certo? E se nós disséssemos que esse alguém estava fazendo isso com o aval e com os recursos do governo dos Estados Unidos?

Foi essa a verdade inconveniente que Edward Snowden revelou ao mundo em 2013, depois de trabalhar como contratado e terceirizado na agência de segurança americana, NSA, e também na CIA, e testemunhar o uso indiscriminado de acesso aos computadores e celulares pessoais pelos funcionários da casa.

Além de espionar o povo americano e de outros países (o Brasil aparece como o segundo país de onde a agência mais extraía informação) sob a justificativa da segurança, Snowden ainda apontou que o governo poderia, estrategicamente, chantagear um líder que não cedesse aos seus interesses ou provocar um apagão em cidades inteiras como ato de guerra.

Verdade ou paranoia, o fato é que o gênio da informática vazou documentos sigilosos e, desde então, tem vivido como refugiado em países como a Rússia. A mesma de quem os EUA prometera, com tanta desconfiança, proteger seus habitantes por meio da vigilância.

A história de Snowden já foi contada no documentário “CitizenFour”, de Laura Poitras, mas agora chega aos cinemas com uma abordagem mais hollywoodiana pelas mãos de Oliver Stone, na cinebiografia “Snowden – Herói ou Traidor”. No papel principal, está Joseph Gordon-Levitt, ao lado de Shailene Woodley,  Rhys Ifans, Zachary Quinto, Tom Wilkinson e Melissa Leo. 

O filme acompanha a trajetória do personagem, desde sua tentativa frustrada de servir o exército até a denúncia, feita a um seleto grupo de jornalistas num hotel em Hong Kong (incluindo Poitras). Como resultado, temos tanto uma história de vida interessante, sobre um jovem que abandonou sua própria liberdade para proteger a liberdade dos outros; quanto uma reflexão sobre o que a internet significa para o equilíbrio de poder no mundo, por trás da ilusão de transparência e acesso.

Não sei vocês, mas eu já cobri a câmera do meu computador.

6 Filmes para ver nos cinemas no feriado de 15 de novembro

Confira os melhores filmes em cartaz no feriado da Proclamação da República

12 Filmes sobre jornalismo para ver em tempos de crise

Conheça 12 filmes que mostram o trabalho de jornalistas e seus dilemas


Por Juliana Varella

Atualizado em 10 Nov 2016.

Mais notícias

O homem e a máquina: 10 filmes que têm a interação como temática

Cinema

7 filmes do diretor David Lynch que você precisa assistir

Cinema

Os melhores filmes infantis de 2019... até agora

Cinema

10 filmes imperdíveis com alienígenas para quem gosta do gênero

Cinema

10 filmes europeus imperdíveis para assistir na Netflix

Cinema

"MIB: Homens de Preto - Internacional", "Dor e Glória" e mais quatro filmes estreiam nesta quinta (13); Confira:

Cinema