Guia da Semana

Em entrevista, Charlie Hunnam responde a críticas negativas de “Rei Arthur”

Confira o que o ator declarou durante sua passagem por São Paulo.

No último fim de semana, um único filme dominou as manchetes das revistas americanas de cinema, mas não pelas razões mais positivas. “Rei Arthur – A Lenda da Espada”, versão moderninha de Guy Ritchie para o clássico de capa-e-espada, fracassou radicalmente nas bilheterias, após ser avaliado com críticas raivosas pela imprensa local: “Um filme vulgar para tempos vulgares”, cunhou Todd McCarthy para a Hollywood Reporter, enquanto David Ehrlich, da IndieWire, foi mais enfático: “Um blockbuster genérico que não tem nada a dizer e não faz ideia de como dizê-lo”.

Foi em meio a esse pesadelo comercial que Charlie Hunnam, estrela principal do filme, veio ao Brasil fazer sua parte na divulgação e conversou com a imprensa brasileira sobre o trabalho e, inevitavelmente, sobre a repercussão negativa que ele vem atraindo.  

“Eu tento me manter alheio ao mundo exterior, mas soube que alguns críticos não estão sendo particularmente gentis”, começou, medindo as palavras antes de disparar: “E eu percebi que isso parece ter se tornado um ‘esporte’. Com o crescimento do espetáculo do cinema, há um crescimento do espetáculo [da crítica]... Uma tendência a querer rebaixar alguns filmes, que me parece fora de proporção em relação o produto real do qual se está falando - é como se isso adquirisse sua própria energia... Mas, como eu disse, eu tento não pensar muito nisso.”

O ator, entretanto, parece ter pensado bastante na questão e até desenvolveu uma teoria, relacionando a postura exagerada dos jornalistas a uma cultura de ódio que tem se tornado cada vez mais hegemônica na internet. “Todo esse rancor... Isso fala de uma coisa que não é restrita ao mercado do cinema, é uma tendência da humanidade. Com as mídias sociais, somos encorajados todos os dias a fazer julgamentos rápidos e “curtir” ou “descurtir”... É esta tendência tóxica e traiçoeira que temos a julgar uns aos outros de forma muito severa. Para mim, isso revela uma espécie de buraco profundo, negro e desesperado que todos temos dentro de nós e que, para nos sentirmos melhor com nós mesmos, temos que destruir o outro.”

Hunnam também comparou alguns críticos a “cineastas frustrados” e afirmou que esse julgamento agressivo é reflexo de um profissional que não conhece a realidade de uma produção de cinema. “Eu sei o quão difícil é fazer um bom filme e, por isso, vejo todos os meus colegas com empatia”. Todos, é claro, menos os críticos de cinema.

Rei Arthur – A Lenda da Espada” estreia no Brasil no dia 18 de maio.

Bilheterias: novo “Rei Arthur” tem estreia fraca e pode dar prejuízo milionário

Filme sofre para conquistar o público americano diante da concorrência com "Guardiões da Galáxia Vol. 2"

“Rei Arthur: A Lenda da Espada” – listamos todos os pontos fortes e fracos do novo filme de Guy Ritchie

Saiba o que esperar da aventura que estreia no dia 18 de maio nos cinemas

Confira as estreias da semana nos cinemas

Veja o que chega às principais salas do país nesta quinta-feira

Atualizado em 17 Mai 2017.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

'Jogos Mortais – Jigsaw' ganha prévias com cenas inéditas; confira!

Oitavo filme da franquia chega ao Brasil no dia 30 de novembro

Além da Morte: assista à entrevista com o elenco

Remake de “Linha Mortal” estreia nesta quinta, 19

20 filmes imperdíveis da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2017

Saiba por onde começar na hora de escolher os filmes que você verá na 41ª Mostra

“Detroit em rebelião”, “Logan Lucky” e mais 7 filmes estreiam nesta quinta-feira (12)

Novo longa de Kathryn Bigelow é destaque para o feriado

12 Filmes dirigidos por mulheres para ver na Mostra 2017

Programação conta com 98 títulos dirigidos por elas, além de retrospectiva da cineasta Agnès Varda

Programação grátis na Mostra Internacional de Cinema 2017

Evento acontece entre 16 de outubro e 1º de novembro em São Paulo