Guia da Semana
Exposição
Por Nathália Tourais

OSGEMEOS inuaguram exposição individual inédita em Nova York

Mostra "Silence of the Music" promete oferecer experiência multissensorial a visitantes.

OSGEMEOS inauguram exposição em Nova York (Divulgação)

A Galeria Lehmann Maupin, de Nova York (EUA), recebe Silence of the Music, primeira exposição individual da dupla brasileira OSGEMEOS no local. A mostra abrirá no dia 8 de setembro e seguirá em cartaz até 22 de outubro.

Com uma combinação de desenhos, pinturas, colagens, escultura de mídia mista e elementos cinéticos e de áudio, os irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo transformam as várias salas do espaço em uma instalação imersiva. Os novos trabalhos da dupla, ao mesmo tempo que representam uma evolução do estilo que aperfeiçoaram ao longo de décadas, também retomam as experimentações que tiveram no início da carreira com mídias diversas, incluindo agora novas pinturas a óleo. A exposição promete oferecer uma experiência multissensorial elevada, que abraça o poder da imaginação humana e as vastas possibilidades de interpretação visual do subconsciente. 

"Silence of the Music" foi concebida como uma instalação de arte ambiente, onde cada sala reúne um agrupamento original de pinturas e objetos que cobrem as paredes do chão ao teto. A exposição presta homenagem à música em particular. Na sala "B-Boy", por exemplo, há pinturas de rádios com alto-falantes embutidos que reproduzem faixas ligadas ao imaginário sobre as telas, além de esculturas interativas que tocam discos de vinil.


Tal como os artistas surrealistas do início do século 20, OSGEMEOS procuram desafiar as convenções e empurrar os limites da arte e da sociedade a partir da exploração desenfreada do subconsciente e da imaginação. Em contraste direto com a noção surrealista de um espaço de sonho solitário, no entanto, os gêmeos têm descrito uma intuição compartilhada e experiências do subconsciente que são traduzidas visualmente através de seu processo colaborativo. Muitas vezes, eles fazem alusão a esta noção de dualidade com a incorporação do sol e da lua, que é representante das forças masculinas e femininas. A sala "Kiss", por exemplo, é pintada em tons brilhantes que exalam um esplendor ensolarado e é ancorada por uma escultura mecânica, que representa o masculino. No teto, diretamente sobre ela, outra escultura retrata uma mulher, cujo rosto tem forma de lua. Esta aparenta beijar a estátua abaixo, acionando então a música que é tocada no ambiente. Essas imagens e suas instalações têm como intuito evocar um estado de sonho lúcido, capacitando o público a considerar o seu próprio subconsciente.

O simbolismo dos irmãos estende-se a seus personagens, bem como, o indiscriminado tom amarelo destina-se a desafiar as associações raciais, uma decisão artística que pretende enfatizar a unidade e que estabelece o papel desempenhado pela diversidade no Brasil e no exterior. Os gêmeos costumam incorporar máscaras, instrumentos e músicos em seu trabalho como uma forma de visualizar os costumes populares, festivais e o artesanato que representam as inúmeras influências culturais que compõem a paisagem social e cultural brasileira. A exposição Silence of the Music combina arte popular, cultura pop e detritos urbanos a fim de oferecer uma impressão entusiasta da singular perspectiva artística dos dois artistas e de seus processos criativos.


Por Nathália Tourais

Atualizado em 2 Set 2016.

Mais notícias

Saiba tudo sobre a exposição "Hitchcock: Bastidores do Suspense", que chega ao MIS nesta sexta-feira (13)

Exposição

7 exposições em cartaz em São Paulo para visitar nas férias de julho

Exposição

Abertura da exposição Ex Africa, no CCBB, terá performance e debate com artistas; confira!

Exposição

Maio Fotografia do MIS terá cinco exposições simultâneas; confira

Exposição

Jean-Michel Basquiat ganha mega-exposição no CCBB com retrospectiva inédita; saiba mais!

Exposição

Exposições imperdíveis que estão em cartaz em São Paulo

Exposição