Guia da Semana
Shows
Por Leonardo Paladino

Os 22 melhores álbuns (nacionais e internacionais) de 2016

Confira os discos que embalaram o primeiro semestre do ano.

Rihanna e Beyoncé lançaram ótimos álbuns em 2016 (Divulgação)

O ano de 2016 ainda está na metade, mas desde o mês de janeiro vem ganhando ótimos lançamentos musicais, que vão da MPB ao jazz, passando pelo rap, rock e pop.

De bandas que não lançavam discos há anos, como Radiohead e Nada Surf, até outras que não param de surgir com novidades, o Guia da Semana listou os melhores discos nacionais e internacionais lançados em 2016 até agora. Confira!

David Bowie - Blackstar

Lançado dois dias antes da morte do cantor britânico David Bowie, Blackstar é o vigésimo quinto álbum de estúdio do camaleão do rock e conta forte influência do jazz e rap. O trabalho foi um verdadeiro adeus aos fãs em grande estilo, como só ele poderia ter feito. Vai estar em todas as listas! Principais faixas: "Blackstar", "Lazarus" e "Tis a Pity She Was Whore".

Radiohead - A Moon Shaped Pool

Anunciado de forma misteriosa, o disco A Moon Shaped Pool é o nono trabalho de estúdio da banda britânica liderada pelo genial Thom Yorke. O disco, produzido por Nigel Godrich, também  marcou o fim de um hiato de cinco anos sem material inédito desta que é uma das maiores bandas de rock alternativo. Principais faixas: "Daydreaming", "Burn The Witch" e "True Love Waits".

Kendrick Lamar - untitled unmastered.

A primeira coletânea musical do rapper californiano Kendrick Lamar ganhou elogios de todos os fãs do artista de Compton. O álbum traz canções compostas e gravadas pelo cantor durante as sessões de gravação de seu terceiro álbum de estúdio, To Pimp a Butterfly, lançado em 2015. Principais faixas: "untitled 02 06.23.2014", "utitled 03 05.28.2013" e "untitled 07 2014 - 2016".

Metá Metá - MM3

Após quatro anos sem material inédito, o trio paulistano Metá Metá, formado por Thiago França, Kiko Dinucci e Juçara Marçal, lançou o elogiado MM3, trabalho que mistura MPB com jazz, rock e ritmos africanos, e foi gravado em apenas três dias nos estúdios da Red Bull. Principais faixas: "Mano Légua", "Corpo Vão" e "Toque Certeiro".

Kanye West - The Life of Pablo

O sétimo álbum de estúdio do rapper estadunidense Kanye West é outro que vai estar presente em quase todas as listas. Com participações de nomes como Kendrick Lamar, Rihanna, Frank Ocean, The Weeknd, Kid Cudi e Chance, The Rapper, o álbum caiu nas graças do público e da mídia especializada, mesmo com o rapper se perdendo nas ideias e carreira durante o caminho. Principais faixas: "Father Stretch My Hands Pt. 1", "Famous" e "Waves".

Frank Ocean - 'Blonde'

O segundo álbum do norte-americano Frank Ocean foi lançado em agosto de 2016 e foi um dos mais elogiados. O álbum apresenta um som mais abstrato e experimental em comparação aos lançamentos anteriores do artista, e ainda inclui vocais convidados de André 3000, Beyoncé, Yung Lean e Kim Burrell, entre outros. A produção é feita pelo próprio Ocean, juntamente com vários produtores reconhecidos, incluindo Malay e Om'Mas Keith.

Esperanza Spalding - Emily's D+Evolution

A cantora e contrabaixista norte-americana Esperanza Spalding mostrou que é possível fazer jazz de qualidade nos dias de hoje com o ótimo álbum Emily's D+Evolution. O disco, considerado uma obra de arte, precisa estar na prateleira dos colecionadores que curtem o gênero. Principais faixas: "Good Lava", "Earth To Heaven" e "One".

Iggy Pop - Post Pop Depression

O décimo sétimo álbum de estúdio do lendário Iggy Pop contou com a produção do também excelente Josh Homme, vocalista e guitarrista do Queens of the Stone Age, e traz canções que mesclam reflexões sobre o bom e velho rock com ideias novas sobre a carreira e a crise artística. Principais faixas: "Break Into Your Heart", "Gardenia" e "Sunday".

Beyoncé - Lemonade

A cantora e diva Beyoncé lançou o sexto álbum de estúdio, Lemonade, após a exibição de um curta-metragem de mesmo nome na HBO. Com letras poderosas sobre traição, ódio e feminismo, o trabalho conta com as participações especiais de James Blake, The Weeknd, Jack White e Kendrick Lamar. Principais faixas: "Hold Up", "Sorry" e "Formation.

Charles Bradley - Changes

Com melancolia e letras que são puro amor, o terceiro álbum do cantor de soul Charles Bradley, intitulado Changes, pegou de jeito e conquistou o coração até dos desavisados. Principais faixas: "Good to Be Back Home", "Changes" e "Ain't It a Sin".

Ty Segall - Emotional Mugger

O californiano Ty Segall é um compulsivo por lançar álbuns, porém, em Emotional Mugger ele acertou em cheio. Com faixas poderosas, que vão da psicodelia ao rock sujo, o álbum foi gravado praticamente sozinho e traz uma sonoridade impecável. Principais faixas: "Californian Hill" "Breakfest Eggs" e "Candy Sam".

Solange - A Seat at the Table

O ano de 2016 foi definitivamente ótimo para a família Knowles, Solange entra no ranking com o álbum A Seat at the Table, que começou a ser criado pela cantora em 2008, e o resultado é um disco feito para ser saboreado e apreciado sem pressa.

Céu - Tropix

Dois anos após seu último lançamento, a cantora e compositora Céu lançou em 2016 o seu quarto álbum de estúdio, intitulado Tropix. Com a produção de Pupillo (baterista do Nação Zumbi) e do francês Hervé Salters, da General Elektriks, o trabalho apresenta uma musicalidade rica e irreverente, comprovando que Céu é uma das maiores cantoras brasileiras da atualidade. Principais faixas: "Perfume Invisível", "Varanda Suspensa" e "Sangria".

Bombino - Azel

O excelente guitarrista e compositor tuaregue, nascido na região de Agadez, no Níger, Bambino lançou no começo do ano o elogiado disco Azel, trabalho que contou com a produção de Dan Auerbach, do Black Keys, e traz uma sonoridade de outro planeta. Principais faixas: "This Moment (Akhar Zaman)", "We Must (Iwaranagh) e "Memories (Timtar)".

Daughter - Not to Disappear

Três anos após o sucesso de If You Leave, de 2013, o trio britânico Daughter lançou mais um elogiado trabalho. Intitulado Not to Disappear, o disco mostra a nova faceta do grupo de indie folk, com influências de showgaze, post rock e dream pop. Principais faixas: "New Ways", "How", "Numbers" e "Doing the Right Thing".

The Last Shadow Puppets - Everything You've Come to Expect

Formado por Alex Turner e Miles Kane, o duo The Last Shadow Puppets é dono de um dos trabalhos mais enigmáticos do ano, o disco Everything You've Come to Expect. Com uma sonoridade que lembra a banda Arctic Monkeys, o álbum merecia melodias mais maduras, mas mesmo assim conseguiu fazer a cabeça do pessoal. Principais faixas: "Aviation", "Miracle Aligner" e "Bad Habits".

Nada Surf - You Know Who You Are

A banda norte-americana Nada Surf, liderada por Matthew Caws, colocou fim ao hiato e lançou ótimo e melancólico disco You Know Who You Are. O oitavo álbum de estúdio dos caras foi produzido por Tom Beaujour e contou com duas canções escritas pelo talentoso Dan Wilson, da banda Semisonic. Principais faixas: "Cold to See Clear", "Believe You're Mine", "Rushing" e "Friend Hospital".

Rihanna - ANTi

A cantora barbadense Rihanna foi uma das artistas mais comentadas no mundo durante o primeiro semestre, após lançar seu oitavo álbum de estúdio, ANTi, trabalho que conta com o hit "Work", em parceria com o rapper Drake, e uma versão da banda psicodélica Tame Impala. Principais faixas: "Kiss It Better", "Work", "Same Ol' Mistakes" e "Needed Me".

James Blake - The Colour in Anything

Assim como o Radiohead, o cantor e produtor britânico James Blake também surpreendeu os fãs ao lançar um disco surpresa. Intitulado The Colour in Anything, o terceiro álbum do artista conta com calaborações de Rick Rubin e Justin Vernon e é uma verdadeira aula de como fazer música de qualidade no século XXI. Principais faixas: "Radio Silence", "Points" e "I Need A Forest Fire".

Ed Motta - Perpetual Gateways

Após se meter em algumas polêmicas nas redes sociais, o genial Ed Motta lançou no começo do ano o excelente Pepetual Gateways, trabalho considerado por alguns fãs como o melhor da carreira do carioca, superando o clássico Manual Prático para Festas, Bailes e Afins, de 1997. Com uma qualidade comparável à dos grandes perfeccionistas da música, o disco conta com influências de jazz, soul, funk, R&B e rock. Principais faixas: "Captain's Refusal", "Hypochondriac's Fun" e "Overblown Overweight".

Deftones - Gore

O oitavo álbum de estúdio da banda de metal alternativo Deftones, liderada por Chino Moreno, chamou a atenção dos amantes da música por causa das influências, que vão de Morrissey a Meshuggah. Com letras melancólicas e agressivas, lembrando que Gore é uma palavra que remete à violência, o disco surpreende positivamente. Principais faixas: "Prayers/Triangles", "Acid Hologram" e "Doomed User".

Mahmundi - Mahmundi

Por fim, a cantora carioca Marcela Vale, conhecida como Mahmundi, lançou seu disco homônimo. Resgatando o pop dos anos 80, o trabalho mescla canções de EPs anteriores com composições inéditas, todas com uma pegada pop-eltrônica e recheadas de sintetizadores. Principais faixas: "Hit", "Azul" e "Eterno Verão".


Por Leonardo Paladino

Atualizado em 15 Dez 2016.

Mais notícias

Mais de 12 shows imperdíveis em São Paulo em abril de 2019

Shows

Sandy e Junior no Brasil em 2019

Shows

Sidney Magal faz show no Quintal do Espeto Tatuapé no dia 11 de abril; saiba mais!

Shows

Sandy e Junior: 21 músicas que queremos ouvir na turnê "Nossa História"

Shows

Sandy e Junior confirmam turnê comemorativa de 30 anos; primeiro show é em Recife, dia 12 de julho

Shows

10 atrações brasileiras que você não vai querer perder no Lollapalooza 2019

Shows