Guia da Semana
Teatro
Por Anna Thereza de Almeida

O Rei Leão – O Musical: Diferenças entre o filme e o musical

O espetáculo estreia no Teatro Renault no dia 28 de março.

O filme Rei Leão, da Disney, foi lançado em 1994 (Divulgação)

O sucesso do filme O Rei Leão pode ser explicado, dentre inúmeros motivos, pela sua linda história de amor. E amor de diferentes formas, como o de pai e filho, de homem e mulher, pela natureza, pelo povo ou simplesmente pelo amor à vida.

Essas e outras características do filme foram levadas em consideração pela Broadway no momento da produção do espetáculo. Muitas cenas, personagens e figurinos são fielmente reproduzidos no show que já foi visto por mais de 66 milhões de pessoas.

Comparado ao filme da Disney, a produção da Broadway sofreu algumas modificações. Além disso, em relação ao musical da Broadway, a versão brasileira do espetáculo também possui algumas alterações.

O Guia da Semana listou algumas diferenças entre o filme da Disney e o espetáculo da Broadway. Confira:

Influência africana na trilha sonora

Rei Leão O Musical

Além das famosas músicas de Elton John e Tim Rice feitas especialmente para o filme, o espetáculo conta com um material adicional. O compositor sul-africano Lebo M. foi o responsável pela adaptação da trilha sonora. Junto à orquestra, foram incorporados instrumentos de percussão típicos dos ritmos africanos, como as congas, o caxixi, o shekere, entre outros. Outras inspirações africanas podem ser encontradas nas cenas da personagem Rafiki, que abre o espetáculo com uma canção interpretada em Swahili, uma língua africana – além dessa, outras cinco línguas africanas são usadas nas músicas: Zulu, Sotho, Tswana, Congolese e Xhosa. O som resultante de O Rei Leão – O Musical é uma fusão da música popular ocidental e os diferentes sons e ritmos de África, que vão desde a música que rendeu o Oscar "Can You Feel The Love Tonight" até a balada "Shadowland".

Brasilidade nas canções

Gilberto Gil traduz músicas Rei Leão

A adaptação brasileira do musical da Broadway, espetáculo também dirigido por Julie Taymor e produzido por Thomas Schumacher (presidente da Disney Theatrical Productions), traz Gilberto Gil como autor das canções do musical e Rachel Ripani como a responsável pela tradução do script. A famosa canção "Esta Noite o Amor Chegou", por exemplo, virou "Deve Haver o Amor Aqui". 

Rafiki é mulher

Rafiki é personagem do musical Rei Leão

Diferente do filme, o xamã Rafiki é interpretado por uma mulher. Segundo Julie Taymor, diretora criativa, a escolha de uma mulher foi proposital, pois a história não tem uma mulher de personalidade forte. “Se a mãe de Simba fosse essa mulher, ele não teria desertado do reino para seguir aquela jornada”, afirmou. A atriz africana Phindile Mkhize é quem vai interpretar o sábio babuíno, que é o responsável pelo batismo de Simba e também por abrir os olhos do futuro rei em relação ao seu passado – vale destacar que Phindile Mkhize já fez parte da mesma produção na Broadway.

Sarabi ganha notoriedade

Nathaniel Stampley (Mufasa), from left, Tshidi Manye (Rafiki), and Jean Michelle Grier (Sarabi) in a 2007 production of  Disney's 'The Lion King.' Box office figures released Monday, April 9, 2012, show that “The Lion King” last week swiped the title of Broadway’s all-time highest grossing show from “The Phantom of the Opera.”

No filme, Sarabi, a mãe de Simba, aparece poucas vezes. Já no musical, a personagem, que também é esposa do Rei Mufasa, ganha um pouco mais de notoriedade e aparece em diversos momentos do espetáculo. 


Por Anna Thereza de Almeida

Atualizado em 28 Mai 2013.

Mais notícias

12 espetáculos de Stand Up Comedy que estão em cartaz em São Paulo em março de 2019

Teatro

7 peças infantis imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro

10 peças de teatro e musicais imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro

6 motivos para assistir à peça “Dogville”, com Mel Lisboa e Fábio Assunção

Teatro

Peças de teatro e musicais para assistir em São Paulo no feriado de 25 de janeiro de 2019

Teatro

16 musicais imperdíveis para assistir em São Paulo em 2019

Teatro