Guia da Semana

Crítica: “Deixa Rolar” entrega exatamente o que se espera de uma comédia romântica, mas não se arrisca a ir além

Filme traz Chris Evans vive um roteirista que não sabe como escrever uma comédia romântica

Sabe aqueles dias em que você só quer sentar na poltrona do cinema (ou no sofá de casa), comer sua pipoca e relaxar com um filme bem bobinho, do tipo que você já conhece a história e já sabe o final, mas mesmo assim termina com um sorrisinho no rosto? Pois você precisa de algo como “Deixa Rolar”, comédia romântica com Chris Evans e Michelle Monaghan que estreia no dia 11 de junho.

O interessante de “Deixa Rolar”, dirigido pelo estreante Justin Reardon, é que ele não tem nenhuma pretensão de ser inovador. Pelo contrário, a trama gira justamente em torno de um escritor (Evans) que está trabalhando num roteiro de comédia romântica e que repudia todos os clichês, mas acaba vivendo-os um por um.

Tanto o personagem de Evans quanto a de Monaghan não chegam a ser nomeados. Afinal, protagonistas são meras peças de xadrez quando falamos em comédias românticas, certo? Existe o menino, a menina (Monaghan), o terceiro elemento (Ioan Gruffund) e um grande tabuleiro de obstáculos a serem vencidos antes que eles fiquem juntos.

No caso, o obstáculo principal é o fato de que nenhum dos dois acredita muito no amor – e ambos por razões bem freudianas. Ele foi abandonado pela mãe quando ainda era criança, ela perdeu o pai por suicídio. Ele decidiu não se envolver com ninguém; ela resolveu se contentar com um relacionamento tedioso, mas estável. Eventualmente, ele percebe que é hora de se envolver, mas ela simplesmente não quer assumir o risco. O resto, vocês já conhecem.

Além dos dois, o filme traz Topher Grace, Aubrey Plaza, Luke Wilson e Martin Starr como os melhores amigos de Evans, e Anthony Mackie como seu editor mulherengo. O longa acerta em algumas cenas românticas, mais fofas do que realmente divertidas (como a da aula de Yoga), mas erra nas sequências que envolvem os amigos do protagonista. Com exceção de Grace, nenhum deles chega a cativar ou criar uma boa química com Evans.

“Deixa Rolar” marca uma pausa rápida para o ator entre os filmes da Marvel, já que o último, “Era de Ultron”, acabou de chegar aos cinemas e o próximo, “Guerra Civil”, já está em fase de produção. Apesar disso, sua dedicação é visível e ajuda a segurar o filme, mesmo com um roteiro fraco. No fim, depois de beijos roubados e casamentos interrompidos, o público pode não sair do cinema surpreso, mais sairá um pouco mais leve, tendo recebido exatamente o que queria.

Atualizado em 28 Mai 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

10 Filmes sul-coreanos que você precisa conhecer

Filmes como “A Criada” e “Invasão Zumbi” são exemplos do crescimento do cinema comercial no país

Michael Fassbender fala sobre a adaptação de “Assassin’s Creed” para os cinemas

Filme estreia no Brasil no dia 12 de janeiro

Natalie Portman encarna a Sra. Kennedy no pesado e surpreendente “Jackie”

Filme reconta o assassinato do presidente americano sob o ponto de vista da primeira-dama

Andrew Garfield fala sobre selinho em Ryan Reynolds no Globo de Ouro - e repete a dose em apresentador!

Ao falar sobre o assunto, Garfield beijou Stephen Colbert

“Moonlight” chega aos cinemas brasileiros às vésperas do Oscar 2017

Filme narra a história de um garoto negro que se descobre gay numa comunidade preconceituosa e violenta

Will Smith pode protagonizar nova versão de "Dumbo", de Tim Burton

Produção está entre os projetos futuros da Disney