Guia da Semana
Shows
Por Ezio Jemma

Com poucas falas e muitas notas, Joe Satriani hipnotiza o público em São Paulo

A banda que acompanha o guitar hero foi um dos grandes destaques do show.

Satriani é uma das maiores referências para guitarristas em todo o mundo (Ezio Jemma)

Qualquer pessoa no mundo que já tenha se interessado minimamente pelo universo dos guitarristas com certeza ouviu falar em Joe Satriani. O show dessa quarta-feira (1) no Citibank Hall deixou claro o por quê.

Joe não é o cara que toca semicolcheias a 300 BPM ou joga a guitarra no chão durante sua performance. A mistura de feeling com técnicas apuradas compõem um estilo único que inspirou e inspira gerações de guitarristas, inclusive as “crias” de Satriani, como Steve Vai.

Muito melhor em falar com os dedos do que com a própria voz, Joe não fez questão de conversar muito com a plateia. Não era preciso. O primeiro contato só veio a acontecer antes de “Unstoppable momentum”, 4º música do show e que intitula o novo álbum. “Fazia tempo que não tocávamos aqui. É sempre um prazer”.

Os gritos de resposta dos fãs nem se comparavam aos momentos em que as famosas melodias guitarrísticas eram acompanhadas pelas vozes. “The Crush of Love” e “A Door Into Summer” foram um belo exemplo disso.

É óbvio que, por mais virtuoso que seja, um frontman precisa de uma banda a sua altura. Satriani foi além disso. Seu acompanhantes às vezes até ofuscavam o astro, de tão competentes que eram.

Os duelos com Mike Keneally (guitarra e teclados) foram acirradíssimos e proporcionaram um show à parte. Joe até teve que recorrer a técnicas como tocar com os dentes para atrair os gritos da plateia.

Já o baixista Brian Beller executou com perfeição suas duas funções no show: conduzir o groove pesado das harmonias e animar o público com palmas e danças.

A melodia romântica de “Door into Summer” mostrou o controle que o guitarrista tem sobre as válvulas do seus Marshalls Signature, passando de timbres limpos para saturados apenas com o volume.

O clima calmo logo foi substituído pela energética e comemorada “Satch Boogie”, um dos maiores sucessos da carreira de Joe.

Alguns fãs levaram ao pé da letra a performance de “Crying”. O feeling que exalava da Ibanez Signature de Satriani resultou em algumas lágrimas de quem estava na grade.

Foi então que os músicos saíram do palco e começou o momento do baterista Marco Minnemann. Em um solo de aproximadamente 5 minutos, ele deixou o público impressionado com os malabarismos que fazia com as baquetas e com a velocidade que coordenava o seu bumbo duplo.

Já era hora dos maiores hits do guitarrista entraram em cena. A monumental “Always With You Always With Me” foi recebida com frenesi, assim como “Surfing With the Alien”, que resultou na primeira despedida da banda 

Ainda faltava a preferida dos guitarristas adeptas aos harmônicos. “Summer Song” encerrou o bis, restando a Joe e seus companheiros sair do palco pela última vez. 

Ficou claro que os fãs poderiam passar a noite ali ouvindo as melodias incríveis de um dos maiores instrumentistas da atual geração. Para eles, o unstoppable momentum poderia ser muito mais que apenas o nome do álbum.


Por Ezio Jemma

Atualizado em 6 Out 2014.

Mais notícias

Slash ft. Myles Kennedy & The Conspirators no Brasil em 2018

Shows

Los Hermanos fará turnê pelo Brasil em 2019; saiba mais!

Shows

6 shows imperdíveis em São Paulo em dezembro de 2018

Shows

Confira as atrações do Lollapalooza 2019

Shows

Shows internacionais no Brasil em 2019

Shows

Ed Sheeran no Brasil em 2019

Shows