Guia da Semana

Saiba tudo sobre o jejum intermitente, prática adotada por Deborah Secco para emagrecer

O especialista em emagrecimento Rodrigo Polesso respondeu algumas dúvidas sobre o polêmico método de perda de peso

A atriz Deborah Secco causou alvoroço ao declarar que após o nascimento de sua filha, Maria Flor, adotou a prática do jejum intermitente (feita em um intervalo grande de tempo) e que chegou a ficar 23 horas sem comer. Mas o que realmente isso significa? Essa prática funciona? Quais são os benefícios e os efeitos colaterais desse procedimento?

Para sanar com todas as dúvidas sobre a prática do jejum intermitente, o Guia da Semana conversou com Rodrigo Polesso, especialista em emagrecimento e certificado em Nutrição Otimizada para Saúde e Bem-Estar pela Universidade Estadual de San Diego, Califórnia.

Segundo o profissional, "o jejum intermitente não é uma dieta, mas sim uma prática de não comer. Dieta seria o que fazemos nos momentos em que não estamos comendo", ressalta.

Confira a entrevista com o especialista em emagrecimento e tire todas as suas dúvidas em relação ao jejum intermitente:

Jejum intermitente é uma prática saudável?
Com certeza. É preciso entender que jejum é simplesmente o oposto de comer. Todo o momento que você não está comendo, está de jejum. É preciso ter um equilíbrio entre comer e fazer jejum. Só para você entender, jejum é a prática de não comer por um tempo determinado, já o jejum intermitente é a prática de fazer isso de forma intermitente, ou seja, temporária e esporádica. O ato de jejuar é algo praticado anualmente por bilhões de pessoas no mundo inteiro devido a muitas religiões, e essa prática sempre foi vista como algo saudável ao corpo humano. Isso sempre foi algo que os seres humanos fizeram naturalmente até poucas décadas atrás. Há não muito tempo, o comum seria fazer duas ou três refeições por dia e só. Hoje em dia, nos é dito que precisamos comer a cada 3h ou até mais frequentemente. Com isso, o corpo sempre está processando alimentos, sempre em estado anabólico e nunca tem tempo para se reciclar. O termo jejum intermitente surgiu para tentarmos voltar ao normal, voltarmos aos hábitos de nos alimentarmos somente quando temos fome e não constantemente. Com essa prática, nós conseguimos dar folga ao corpo e tirar proveito de tudo de bom que acontece enquanto não estamos comendo.

Quais são os maiores benefícios da prática do jejum intermitente?
Existem muitos benefícios do jejum que nem sabemos. O mais óbvio é a perda de peso. Obviamente, se você não comer, seu peso cairá. Normalmente, as pessoas que estão acima do peso estão com problemas no sistema hormonal do corpo e com o metabolismo prejudicado. Uma das coisas que mais vemos nas pessoas acima do peso, por exemplo, é que o hormônio insulina está cronicamente alto no sangue. Isso promove o armazenamento de gordura e previne sua queima. A forma comprovada mais rápida de baixar o hormônio insulina e retomar o seu funcionamento normal é fazer jejum. Além disso, especialmente durante os jejuns mais longos, você terá um aumento no hormônio do crescimento. Quando as pessoas envelhecem, os hormônios do crescimento começam a cair. Se você não tem hormônio do crescimento e o substitui, você consegue mais densidade dos ossos e maior crescimento de músculos. A ciência está cada vez mais mostrando associações bastante promissoras entre a prática do jejum intermitente com a melhora de muitas doenças sérias, como autismo, demência e até câncer.

Quem deve e quem não deve praticar o jejum intermitente?
A ciência mostra que qualquer pessoa saudável pode praticar o jejum intermitente sem problemas. Afinal, até poucas décadas atrás, a grande maioria da população fazia isso naturalmente no dia a dia. Não existe nenhuma prova cientifica dizendo que o ser humano precisa comer constantemente durante o dia, de 3h em 3h, por exemplo. No entanto, é recomendado que qualquer alteração na dieta ou estilo de vida seja sempre acompanhada da orientação de um médico ou profissional da saúde. Principalmente por pessoas que tomam remédios ou sofrem de algum problema de saúde.

Como o jejum intermitente pode ajudar a solucionar a principal causa do ganho de peso?
A grande causadora de ganho de peso é a insulina. E isso nos remete à pergunta "por que ganhamos peso?". Todos pensam que o problema são as calorias, mas não tem nada a ver com calorias. Existe um problema em comum com as calorias, já que certos alimentos que contêm calorias aumentam a insulina, mas não é algo proporcional. O que importa mesmo é como o corpo reage com a insulina. Armazenamento de gordura é resultado de um problema hormonal e não calórico. A insulina é quem diz ao corpo para ganhar peso e a resistência à insulina tem o mesmo efeito em longo prazo. Se você estimula a produção de insulina o tempo todo, você pode eventualmente desenvolver a resistência à insulina. E a resistência à insulina é a tentativa natural do corpo de resistir à insulina alta. A saída, no entanto, não é dar mais insulina para que o corpo "ganhe resistência a esse hormônio", mas sim dar menos insulina. Ou seja: se seu corpo está tentando resistir ao alto nível de insulina, não aumente o nível de insulina porque você terá mais resistência. Você deve baixar os níveis de insulina.

O que você pode comer e beber durante o jejum intermitente?
No jejum clássico está liberado somente água, mas existem variações. O jejum seco é sem beber e sem comer. Não recomendo isso, porque você não está somente se privando de comida, mas também está se desidratando. O que eu sugiro é a pessoa em jejum beber água, com ou sem gás, chá de qualquer tipo e café. Tudo sem açúcar, obviamente. Se ajudar a tornar a transição mais fácil, a dica é no máximo usar adoçantes mais saudáveis, como Estévia, Xilitol ou Eritrito, mas o ideal é não utilizar nenhum tipo de adoçante durante o jejum.

Jejum intermitente causa perda muscular? 
Alimentação e exercício são coisas completamente diferentes. Alimentação correta – ou alimentação forte, como eu a chamo – é um estilo de vida alimentar baseado no consumo correto e estratégico de alimentos de verdade e na prática de hábitos comprovadamente saudáveis para se atingir um peso ideal e mantê-lo por toda a vida. A alimentação destrói a gordura e o exercício tonifica e constrói músculos. Então, se você está preocupado com músculos, exercite-se. Agora se você está preocupado com a gordura, não se exercite e trabalhe sua dieta – o principal é trabalhar no que você come todos os dias. Dito isso, estudos mostram que jejum intermitente não provoca perda muscular até mesmo nos casos mais longos. A justificativa disso é que o corpo aumenta a secreção do hormônio do crescimento à medida que o jejum segue.

Exercícios em jejum é uma boa ideia?
Com certeza. Aliás, muitos estudos estão comprovando a existência de benefícios em se exercitar em jejum. As atividades são as mais diversas, podendo ser exercícios para ganho de massa muscular, esportes ou qualquer variação. Não existe limite de tempo, na realidade. Quando em jejum, o corpo tem acesso ao seu estoque de gordura corporal, que é muito grande (mesmo em pessoas magras) e pode prover o corpo com energia por muitas e muitas horas, ao contrário das pessoas que se alimentam o tempo inteiro e dependem da queima de glicose para energia. Agora, é importante notar que para a pessoa estar bem em jejum, é necessário já ter passado por um período de adaptação, principalmente se essa pessoa seguia hábitos alimentares completamente opostos aos propostos no jejum intermitente.

Existem alguns tipos de jejum intermitente. Como funciona o 16/8?
Existem alguns protocolos de jejum intermitente, como o de 12h, o de 16/8, de 24h, 36h e outros mais. O protocolo de 16/8 é o que eu mais gosto e tendo a recomendar aos meus pacientes porque é fácil para se adaptar. Inclusive, esse é um dos principais protocolos do meu programa de emagrecimento, o Código Emagrecer De Vez. Basicamente, você faz todas as refeições dentro de uma janela de 8 horas por dia e passa 16h sem comer no total. Na prática seria assim: você janta às 20h e na manhã seguinte você pula o café da manhã e almoça às 12h. Desta forma você passou 16h em jejum (contando a noite de sono). A partir das 12h, você poderia fazer todas as suas refeições até às 20h, momento em que você jantaria novamente. Este modelo é flexível e pode ser adaptado em diferentes rotinas.

Comente sobre o jejum intermitente feito pela atriz Deborah Secco:
O protocolo de 23h seguido pela atriz Deborah Secco parece ser adequado tendo em vista que ela não focou em calorias, mas sim na qualidade do que comia. Ou seja: uma alimentação forte, otimizada para o emagrecimento, baixa em carboidratos e alta em gorduras (e adequada em proteínas). Eu costumo sugerir o protocolo 16/8 simplesmente porque é mais fácil das pessoas de adaptarem. No entanto, em casos específicos – e dependendo da pessoa e da prioridade em perder peso –, um protocolo de 24h bem feito pode ser bem-vindo.

 

Atualizado em 10 Set 2016.

Por A.
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

4 receitas de Panetone saudável para quem está de dieta

Quem disse que quem está de dieta não pode saborear um delicioso Panetone?

5 motivos para você pensar antes de aderir a uma dieta low-carb

O Guia da Semana conversou com a nutricionista Mariana Nacarato, da Equilibrium

7 receitas de biscoitos saudáveis para fazer em casa

18 receitas saudáveis e refrescantes para saborear no verão

Tem receita de bolo gelado, sorvete, smoothie e até de tartar!

12 exercícios ao ar livre para emagrecer e ainda curtir o verão

Que tal se exercitar e curtir um lindo pôr do sol ao mesmo tempo?

De água à manteiga de coco: conheça 6 maneiras de usar a fruta a favor da saúde

A fruta é rica em vitaminas, minerais e compostos que ajudam na prevenção de doenças